segunda-feira, 10 de junho de 2013

COMENTÁRIO EM DESTAQUE

Anônimo deixou um novo comentário sobre a sua postagem "Estudante do Colégio Naval é internado com suspeit...":

Eu conheci de perto esses covardes disfarçados de militares 'educadores'. São capazes sim, de praticarem bulling e coisas muito piores em nome da tal da disciplina que eles tanto pregam - mas não acreditam. Eles sabem que disciplina de verdade passa longe milhas daquilo que eles praticam lá naquele colégio. O que vi lá me assustou. Na verdade, me assustou mais o que não vi mas que, paradoxalmente, era o mais óbvio. Eu tenho que agradecer a Deus todos os dias pelo insight que tive de ir lá e exigir o desligamento do meu filho e só sair de lá com ele 'embaixo da minha asa'. Mas do dia em que pedi a baixa dele até deixarem finalmente ele sair, foi um suplício! E isso, porque me hospedei do lado do colégio e avisei que estava ali à espreita e a postos para qualquer eventualidade (entenda-se: não mexam com ele pois vão se dar mal) mas o que puderam humilhar, fizeram. E não me deixaram vê-lo até o dia em que foi liberado. Isso aconteceu 5 dias após o pedido. Inventaram mil papeis que ele tinha que levar pra um e outro assinar lá dentro, e para cada um daqueles recalcados ele tinha que explicar porque estava saindo e ouvir a ladainha recalcada deles, o papo esdrúxulo de você está fazendo uma loucura em sair daqui - aquela lavagem cerebral que eles adoram fazer tentando convencer-se de que eles mesmo estão no lugar que querem. Quando saí dali com meu filho, até tirei os saltos altos e andei de pé no chão com ele ao lado. Até hoje não está sendo fácil trazê-lo de volta ao mundo suave, jovem, sem medos, sem recalques, sem paranoias, sem covardes atacando. Mas está no caminho de onde nunca deveria ter saído. Indo para a carreira que sempre sonhou e aos poucos esse pesadelo vai virando piada de mau gosto.
Só lamento pelos que ficaram. Aquilo poderia mesmo ser uma escola de príncipes se os sapos que a conduzem reconhecessem que para serem militares não precisam parecer uns micos amestrados.



Postado por Anônimo no blog Anjos e Guerreiros em 10 de junho de 2013 03:48

2 comentários:

  1. Não sei de que colégio falam, porque estou em Portugal e não acompanhei o caso, mas identifiquei-me e comovi-me com essa mãe. sei do que ela fala, mãe é isso, proteção, e alguém a quem se pode confiar.
    Bem haja

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Colégio Militar, Cristina Simões.

      Excluir

Verbratec© Desktop.