sábado, 14 de novembro de 2009

Praticar esportes é ter interesse pela coletividade

Uma das formas de demonstrar-se interesse pelas causas sociais é a participação em competições esportivas.

Há muita gente que faz ginástica em academias ou em casa mas não tem nenhum interesse em competir: muitas mulheres pretendem apenas espantar a celulite ou não ficar muito fora de forma enquanto que muitos homens “malham” à procura de uma musculatura hipertrofiada sem outra finalidade que a ostentação da vaidade.
São dignos de admiração aqueles e aquelas que, independente da idade, inscrevem-se em corridas de rua ou inscrevem-se em equipes de competição de vôlei, handebol, futebol ou basquete.
A participação em eventos dessa natureza somente engrandece seus participantes - mesmo que não sejam campeões – porque servem de exemplo saudável para as pessoas em geral.
Quem tem horror à exposição pública ao atuar esportivamente deixa de contribuir para a Cultura da Saúde e da Qualidade de Vida.
O número de corredores de rua é proporcionalmente muito pequeno no nosso país e, por isso, normalmente somos vencidos pelos quenianos nas corridas de rua e jamaicanos nas corridas de velocidade.
Temos pouquíssimos praticantes de vôlei, basquete e handebol e, por isso, há poucas equipes profissionais dessas modalidades no Brasil.
Não conseguimos ainda superar nossa estereotipo de “país do futebol” e ficamos limitados somente ao futebol masculino, enquanto que o feminino vive à míngua de patrocínios e investimentos das escolas, clubes, empresas e Governo.
Temos que ficar felizes ao ver pessoas como LUCIANA MEDINA e LEONORA MANSUR competindo em maratonas, modalidade que exige um treinamento e força de vontade de gigantes para cumprir-se a meta de 42 Km. Essas duas atletas investem indiretamente na melhoria da saúde da população da sua cidade e contribuem para que outras pessoas animem-se a abandonar uma vida sedentária e causadora de achaques físicos e psicológicos. Não é por acaso que são respectivamente psicóloga e médica.
Parte da culpa do sedentarismo de muitos deve ser debitada a eles próprios, uma vez que preferem refestelar-se nos prazeres da mesa e outros ao invés de disciplinarem o corpo e a mente com as práticas esportivas. Aqueles prazeres amolecem o corpo e o espírito e envelhecem-nos rapidamente, enquanto que os últimos proporcionam o que há de melhor.
Não há restrição de idade para se praticar esportes. Contanto que se tomem certas cautelas, há muito que se fazer, nessa área, para uma vida feliz.
Eu mesmo, que contraí limitações, devido a lesões meniscais nos dois joelhos, muito posso fazer e o faço diariamente.
Isso sem contar que cada um de nós pode encaminhar seus descendestes para um caminho de saúde e vitórias no esporte.

Luiz Guilherme Marques


Revista Jus Vigilantibus

Alerta contra a hepatite B


Mais da metade dos moradores do estado com idades entre 11 e 19 anos não se vacinou contra a doença, segundo o Ministério da Saúde. A dose é gratuita nos postos de saúde

Rio - Mais da metade dos moradores do Rio com idades entre 11 e 19 anos não foram vacinados contra hepatite B, segundo o Ministério da Saúde. O estado tem um dos piores índices, de acordo com levantamento realizado em março. Segundo o ministério, são cerca de 2 milhões de contaminados pelo vírus no País. A meta do órgão é vacinar, pelo menos, 80% das pessoas com idades entre 11 e 19 anos de idade.
Segundo o infectologista Edimilson Migowski, da UFRJ, o potencial de contaminação do vírus é 20 vezes maior do que o do HIV. O vírus é transmitido pelo sangue, esperma e secreção vaginal. A transmissão também pode ocorrer pelo compartilhamento de lâminas de barbear, alicates, materiais para desenhar tatuagem e furar piercing e instrumentos para aplicação de drogas injetáveis e inaláveis.
De acordo com Migowski, 85% das crianças infectadas não apresentam sintomas da doença até atingirem a idade adulta. Já cerca de 80% dos adultos apresentam sintomas de hepatite B até seis meses depois de se contaminarem. A minoria evolui para a doença crônica, que pode ser inflamação constante do fígado, cirrose hepática e câncer de fígado.
O professor afirma que 98% das crianças adquirem a doença no parto. Por isso a importância de se vacinarem até 12 horas depois que nascem.
“O ministério preconiza que toda criança seja vacinada nas primeiras horas de vida. Mas a prática não é adotada na maioria das maternidades particulares”, diz , acrescentando que a vacina tem eficácia próxima dos 100% em crianças, e acima de 90% nos adultos.
No Rio, a vacina contra a hepatite B está disponível gratuitamente nos postos de saúde para pessoas com até 19 anos — não é preciso esperar campanhas de vacinação. Para garantir a imunização, são necessárias três doses. Profissionais de saúde, manicures, usuários de drogas, hemofílicos, pacientes que fazem hemodiálise e pessoas com hepatite C ou HIV têm direito de receber a vacina gratuitamente, independentemente da idade.


Tetra antecipado, Diego Hypolito fecha a Copa do Mundo com ouro no solo

Ginasta vence a etapa de Stuttgart, a última da temporada

Tetracampeão antecipado, Diego Hypolito nem precisava competir em Stuttgart. Mas o ginasta brasileiro, que garantiu o título da Superfinal da Copa do Mundo na semana passada, em Osijek (Croácia), queria mais. Com uma prova quase perfeita, voltou a vencer neste sábado, fechando a temporada com mais uma medalha de ouro no solo. No salto, Diego terminou em quinto.
Neste sábado, Diego abriu a série com um duplo twist carpado e teve apenas pequenos desequilíbrios em duas séries de piruetas. Ganhou 15,825 pontos, soma suficiente para dar a ele a primeira colocação. Nas eliminatórias, Diego já havia obtido a nota recorde do ano entre todos os atletas: 15,900.
O israelense Alexander Shatilov ficou em segundo, com 15,200, e o chileno Tomas González (15,200) completou o pódio.
- Com mais essa medalha de ouro, posso garantir que 2009 foi o melhor ano de toda a minha carreira. Já fazia tempo que não ficava tão feliz assim. Estou passando por um momento inesquecível, com forma física ideal e a confiança plena. Resolvi fazer uma série nova aqui na Alemanha, onde o grau de dificuldade era muito maior. Mas tudo deu certo, numa competição que reuniu vários finalistas do último mundial, em Londres, como o (Marian) Dragulescu, da Romênia, o (Alexander) Shatilov de Israel, entre outros - vibrou Diego.
O título da Superfinal é dado para o atleta que consegue mais pontos no ranking da Copa do Mundo em cada categoria. Com a vitória na Croácia, o ginasta brasileiro somou 180 pontos na liderança do solo e não poderia mais ser alcançado.

Diego também festejou seu desempenho no solo em Stuttgart.
- Até agora não estou acreditando que consegui terminar em quinto na final de salto. Mas acho que mais uma vez, me superei. Foram apenas dois treinos na Alemanha, pós-cirurgia no ombro, e mesmo assim consegui chegar entre os três melhores deste aparelho, de acordo com o ranking da FIG da Superfinal - comentou.


Metade dos alimentos produzidos no Brasil vai para o lixo


Desperdício de alimento

Uma . Por ano, 26 milhões de toneladas são jogadas fora

Há pequenas ações, simples, que podem ser tomadas no dia-a-dia, e fazer a diferença. São dicas simples como, por exemplo, usar o arroz que sobrou para fazer bolinho.
Em São Paulo, a maior central de distribuição de alimentos do país criou um programa para reduzir o desperdício. Mas muita comida ainda acaba no lixo.
Verduras frescas e legumes são sobras descartadas pelo comércio. Na Companhia de Abastecimento de São Paulo (Ceagesp), um casal junta as frutas jogadas no lixo. Um outro homem recolhe folhas de acelga e o alho que ficou no chão.
Desempregada, Claudia Salete Souza revira o lixo fora dali, atrás de papel para reciclagem. Já encontrou comida: “Cheguei a achar pacotes de arroz e café fechados”.
Foi o suficiente para preparar o almoço e o jantar durante uma semana. “Tem demais e não tem para quem dar. Acaba jogando no lixo”, comenta Cláudia.
“Comida na minha casa não estraga, por causa dos meus quatro filhos. Eles comem bastante. Então, finda fica faltando ainda”, diz a desempregada.
O catador Paulo Roberto Silva quase sempre encontra carne congelada no lixo: “O povo joga fora. Passou um pouco, aí não quer comer. É assim mesmo. O mundo está assim mesmo”.
Por ano, 26 milhões de toneladas de alimentos são jogadas no lixo, em um país em que a miséria produz dados alarmantes. Segundo o IBGE, são 14 milhões de brasileiros que não têm o que comer. A fome é maior entre as famílias que têm crianças pequenas.
Ainda de acordo com o IBGE, 58 milhões de pessoas vivem em um estado de insegurança alimentar, quando falta alimento no prato e a pessoa não consegue fazer todas as refeições.
Para evitar que cenas como essas voltem a se repetir, a Ceagesp criou um banco de alimentos. Empresários recolhem as sobras que depois são doadas a associações e entidades.
“Tem uma equipe operacional e técnica que faz uma pré-seleção. Nem tudo que chega pode ser doado também. Tem alimentos que deveriam ir para o lixo, mas temos um trabalho de compostagem”, comenta a coordenador de sustentabilidade/ Ceagesp Andréia Mendonça Oliveira.
O desperdício começa dentro de casa. Um terço dos alimentos saem da geladeira e do armário direto para o lixo. É alimento com o prazo de validade vencido, fruta e verdura estragada. Quem nunca cometeu esse pecado?
“Lá em casa, por exemplo, compro bastante banana, e criança acaba não comendo, e estraga”, diz uma dona-de-casa.
“Do almoço que a gente fez hoje, se sobrar, a gente janta à noite. No outro dia, se sobrar vai para o lixo”, comenta uma paulista.
A dona-de-casa Luciana Sanchez guarda tudo em pote de plástico. Depois da chegada do terceiro filho, a conta do supermercado ficou cara demais para a família: “Sempre quando meu marido vai no supermercado, peço para comprar em quantidade pequena e produtos pequenos, para não ter sobra”.
Se decidir fazer uma aplicação financeira de tudo o que economizar com o desperdício de alimentos, Luciana pode chegar aos 70 anos com R$ 800 mil.
“Importante que as pessoas tenham a consciência de que o desperdício de alimentos tem impacto sobre ela, sobre a economia, sobre a sociedade, sobre o meio ambiente. Se elas tiverem essa consciência, as pessoas irão mudar seu comportamento”, o presidente do Instituto Akatu Hélio Mattar
Para o consultor da ONU em reciclagem, não são só os consumidores que devem se responsabilizar. Os governos podem desenvolver ações específicas para reduzir o desperdício.
“O desperdício ocorre em grande parte porque não temos uma legislação que torne responsáveis pelo destino final daquilo que produzem os efetivos geradores dos produtos. O governo pode atuar na minimização do desperdício através de planejamento, através de regulamentação e difusão de informação e educação”, sugere o economista Sabetai Calderoni.
Segundo uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, desde a plantação até a casa do consumidor, o desperdício chega a 30% da produção de grãos, 35% das frutas e metade das hortaliças.
Os motivos são variados: condições ruins das estradas, armazenamento precário nas centrais de distribuição, exagero do consumidor na hora de comprar.

Fonte: G1

Dicas para uma boa educação


Palestra ministrada pelo médico psiquiatra Dr. Içami Tiba, em Curitiba,
23/07/09.

O palestrante é membro eleito do quadro de Diretores do International
Association of Group Psychotherapy. Conselheiro do Instituto Nacional de
Capacitação e Educação para o Trabalho "Via de Acesso". Professor de cursos
e workshops no Brasil e no Exterior.
Em pesquisa realizada em março de 2006, pelo IBOPE, entre os psicólogos do
Conselho Federal de Psicologia, os entrevistados colocaram o Dr. Içami Tiba
como terceiro autor de referência e admiração - o primeiro nacional
(1º- lugar: Sigmund Freud; 2º- lugar: Gustav Jung; 3º- Lugar: Içami Tiba).

1. A educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é
para sempre.

2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo. Não se pode
castigar com internet, som, tv, etc...

3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo.
Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia
todo em hospital de queimados.

4. É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que
professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das
testemunhas.

5. Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato
de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer
camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção
que a camisinha proporciona.

6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais. Ambos devem mandar.
Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não
pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a
família fará. A criança não pode alterar as regras da casa.

A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições
também) e vice-versa. Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe
não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente.

7. Em casa que tem comida, criança não morre de fome . Se ela quiser comer,
saberá a hora. E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o
que comer.

8. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na
qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que
entender.

9. É preciso transmitir aos filhos a idéia de que temos de produzir o máximo
que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo
colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.

10. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes
estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente.

11. A gravidez é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista
sexual.

12. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é
dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga. A
mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar
discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará
com ele e pronto. Deve 'abandoná-lo' .

13. A mãe é incompetente para 'abandonar' o filho. Se soubesse fazê-lo, o
filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.

14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve
alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão
até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias.
Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele
se acalmar e aplicar o devido castigo.

15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.

16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota
boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar
no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o
perderá se for mal na faculdade.

17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do
neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca.

18. Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que
engolir também.

19. Videogames são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade,
mostrar que na vida real não existem 'vidas', e sim uma única vida. Não dá
para morrer e reviver. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a
dívida.

20. Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater
cartão.

21. Pais e mães não pode se valer do filho por uma inabilidade que eles
tenham.

'Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com o computador'.
Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita
pelo Skype,é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe.

22. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa.
O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos
elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A
sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do
universo.

23. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família.

24. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar
palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a
geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se
quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus
supostos luxos) incrementará o gasto final.

25. Dinheiro 'a rodo' para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o
tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.

Frase: "A mãe (ou o pai!) que leva o filho para a igreja, não vai buscá-lo
na cadeia..."

Enviado para o grupo da APASE no Yahoo por Luís Eduardo Barros

CIDH teme que violações de direitos em Honduras se alastrem


Washington, 13 nov (EFE).- A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) expressou hoje sua preocupação com o impacto que as agora frequentes violações em Honduras possam ter no resto do continente e, por isso, pediu uma ação firme da comunidade internacional.
Ao término de seu 137º período de sessões, onde fez um balanço das 52 audiências que realizou, a comissão emitiu um comunicado em que considera "indispensável" a restituição do deposto Manuel Zelaya ao poder e o restabelecimento da ordem constitucional como garantia do exercício efetivo dos direitos civis e políticos em Honduras.
A CIDH pediu, além disso, ao Governo interino de Honduras que garanta os direitos humanos de todos os cidadãos, especialmente com a proximidade das eleições de 29 de novembro.
O relator da CIDH para Honduras, Felipe González, afirmou que a situação em Honduras é "sumamente grave" pelas violações aos direitos humanos que acontecem no contexto do golpe de Estado que derrubou Zelaya em junho.
González ressaltou ainda que a CIDH se preocupa com o impacto que isso pode ter no resto do continente, não só na América Central, "caso não haja uma ação decidida de parte dos organismos internacionais de direitos humanos".
Por isso, segundo ele, o organismo considera "muito importante, tanto para a situação do povo hondurenho como para a vigência da democracia no resto do continente, que seja feito um acompanhamento estreito da situação dos direitos humanos em Honduras".
Em coletiva de imprensa, a presidente da CIDH, Luz Patricia Mejía, concordou com o comissário ao ressaltar que o golpe de Estado em Honduras não significa somente "a violação estrutural dos direitos humanos do povo hondurenho, mas seu impacto vai se refletir diretamente no resto da saúde democrática de toda a região".
Nesse sentido, assegurou que "a resposta da comunidade internacional e o vigor com que esta resposta for aplicada vai ter um impacto em todos os países da região".
A CIDH, que manteve durante seu 137º período de sessões 28 reuniões de trabalho, também se referiu a outras audiências e casos que tratou nas últimas duas semanas.
Sobre a situação geral dos direitos humanos no continente americano, a CIDH indicou que a desigualdade e a discriminação "são graves problemas estruturais".
A comissão segue preocupada com a frequência dos conflitos sociais e atos de violência associados com disputas sobre terras e recursos naturais dos povos indígenas.
Em relação a casos concretos, a CIDH citou de novo o Governo de El Salvador por ter reconhecido finalmente sua responsabilidade no assassinato do arcebispo Oscar Arnulfo Romero.
Durante o período de sessões houve três acordos de solução amistosa; um por parte do Governo do Paraguai, que reconheceu sua responsabilidade no desaparecimento forçado de duas crianças-soldado, e dois por parte da Argentina, sobre deportações e leis migratórias, e aposentados.
Entre as audiências realizadas se destacaram as da Venezuela e da Colômbia, embora não tanto pelas denúncias ou defesas da situação dos direitos humanos nos países, mas pela atitude de seus Governos.
A Venezuela acusou a CIDH de atuar sob interesses de determinados setores para desestabilizar e desacreditar o Governo e pediu a substituição do secretário-executivo, Santiago Canton.
O relator para a Colômbia da CIDH, Victor Abramovich, reiterou hoje que a decisão sobre a designação ou substituição do secretário-executivo depende exclusivamente do organismo.
Já o Governo da Colômbia abandonou uma audiência em que foi denunciada uma "gigantesca e ilegal" operação de inteligência contra ONGs e defensores de direitos humanos que comprometeria todas as agências de Estado.
O embaixador da Colômbia perante a Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Alfonso Hoyos, abandonou a sala com o argumento de que o Governo não tinha sido informado adequadamente sobre a audiência por parte da CIDH, embora o organismo tenha demonstrado depois que Bogotá tinha recebido toda a documentação necessária. EFE

Por: Céline Aemisegger
Fonte: G1

Droga de Vida


Por FELIPE JOST CLAVÉ|Estudante

Em meio aos jovens, andar com pessoas que utilizam algum tipo de entorpecente é praticamente normal. E, por conta disso, no mínimo um dos nossos amigos usa algum tipo de substância ilegal, mesmo que não saibamos. Eu acho deprimente ter de afirmar isso, mas a cada dia que passa milhares de adolescentes entram em um submundo de vício que parte da maconha até o crack e outras drogas muito mais pesadas. Já virou até clichê dizer que a parada final é a morte, mas isso não deixa de ser verdade. Em meio a esse cenário atual, uma das perguntas mais feitas é: de quem é a culpa?
Sem dúvida nenhuma, dos usuários. Vício não se herda dos pais, nem é imposto pela sociedade. Dos pais, recebemos apenas educação. Porém, mesmo com ela, muitos adolescentes preferem os conselhos de traficantes. E nenhum traficante que se preze vai forçar alguém a usar drogas, afinal ele é sempre um “amigo” e nunca ofereceria algo que não fosse “legal”. Além disso, usar drogas virou “moda”, marca da juventude rebelada que teve tudo nas mãos, nunca lutou por nada e se acha no direito de fazer uma revolução.
Se não fossem os usuários, todo esse comércio ilegal já teria acabado há muito tempo. E esse usuário não deve ser idealizado como uma pessoa sem condições, marginalizada pela sociedade e que furta para pagar pelas drogas que consome. O usuário que sustenta esse tráfico é um estudante que sempre teve acesso a tudo o que quis e nunca realmente trabalhou para receber dinheiro. É o tipo de adolescente que gasta de R$ 300 a R$ 400 em entorpecentes quando vai em festas.
Os motivos para o consumo são ainda mais incoerentes. Como ressaltei, o apelo dos jovens é que usar drogas é “legal”. De muitos amigos, escutei que festas sem bebidas ou drogas não são “festas”. Existem tantas desculpas para esse consumo, uma mais ridícula que a outra, que me dá até vontade de rir. Não um riso feliz, mas aquele amarelo do coringa. Um que esconde a vergonha de pertencer a uma geração tão fútil, cujo lema ironicamente é “Viva a vida, pois a vida é curta”. Sim, curta para eles. Curta de ideias, de personalidade, de caráter... de todos os valores morais que realmente contam. É uma “semivida”, na qual sua felicidade acabou dependendo desse estado eufórico em que você esquece todas as derrotas.
Em suma, é da falta de responsabilidade que parte toda essa situação calamitante em que está imersa grande parte da juventude brasileira. Atualmente tudo é fácil, e o mundo apressado faz com que tenhamos o que queremos nas mãos sem ou com pouco esforço. O remédio para essa epidemia não é apenas a conscientização, mas o amadurecimento dessa geração tão infantil.

Fonte: Diário de Santa Maria

Novo reitor da USP propõe debate sobre cotas raciais


Saída para aumentar inclusão social pode ser 'Inclusp turbinado', diz João Rodas, que vai convidar primeiro colocado na eleição, Glaucius Oliva, para assessorá-lo

SÃO PAULO - O novo reitor da USP, João Grandino Rodas, disse esta tarde que a universidade precisa debater novas formas de inclusão social, entre elas a adoção de cotas raciais. “A saída pode ser um Inclusp turbinado ou até mesmo cotas”, disse, referindo-se ao Programa de Inclusão Social da USP, que garante pontuação extra no vestibular a candidatos saídos de escolas públicas. Um dos criadores do Inclusp foi o cientista Glaucius Oliva, candidato mais votado na eleição, a quem Rodas pretende oferecer algum cargo na sua gestão. O novo reitor disse que telefonou para Oliva, mas não conseguiu falar com o cientista. “Ele só não vai participar se não quiser.”
Diretor da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, Rodas disse que não se sente desconfortável por ter sido indicado pelo governador José Serra mesmo ficando em segundo lugar na eleição – isso só tinha ocorrido uma vez, em 1981, no governo Paulo Maluf. “Lista tríplice é assim mesmo. É tríplice porque dá à autoridade o poder de escolher. Na própria USP isso já ocorreu, na escolha de diretores de unidades”, disse.
Sobre o motivo de ter sido o escolhido por Serra, o novo reitor ressaltou o próprio currículo. “Tenho a impressão de que pesou minha carreira de 39 anos na USP e também minha carreira na magistratura”, disse Rodas. “Fui presidente do Cade (Conselho Administrativo de Defesa da Ordem Econômica) e tenho experiência diplomática no Ministério das Relações Exteriores.”
Quanto às cotas, Rodas disse que pretende estabelecer o prazo de seis meses para o debate. Parte dos subsídios da discussão deve vir do trabalho de uma comissão criada por ele depois que o prédio da Faculdade de Direito foi invadido, em junho de 2007, por estudantes e representantes do Movimento dos Sem-Terra (MST). “É bom que a USP discuta cotas raciais.”

Carolina Stanisci - Especial para o Estadão.edu

Luanda - Comemora-se hoje o Dia Mundial da Diabetes

Luanda – Comemora-se hoje, 14 de Novembro, o Dia Mundial da Diabetes, definido pela Federação Internacional de Diabetes (IDF), entidade vinculada à Organização Mundial da Saúde (OMS), e introduzido no calendário em 1991, como resposta ao alarmante crescimento da doença em todo o mundo.
Em 2007, a Assembléia-Geral da ONU aprovou a Resolução nº 61/225, considerando a diabetes um problema de saúde pública e conclamando os países a divulgarem esse dia como forma de alerta e os governos a definirem políticas e suporte adequados para os portadores da doença.
A data tem ainda como objectivo alertar para o impacto da diabetes e estimular políticas públicas que favoreçam e possibilitem que os portadores da doença vivam mais e melhor.
Outra finalidade é promover o diagnóstico precoce e orientar sobre formas de tratamento adequado, o que ajuda na redução de complicações crônicas da doença.
Um estudo recente estudo divulgado pela OMS, revela que as principais causas de morte no mundo mudarão em 25 anos e a América Latina será uma das regiões onde esta mudança será mais evidente, por causa do maior impacto das afecções crónicas (cardiovasculares, acidentes vasculares cerebrais e diabetes) e pelo aumento da incidência do HIV/SIDA.
Segundo o trabalho, em 2030, a diabetes mellitus será a segunda causa de morte na América Latina, enquanto o HIV/SIDA ocupará o quarto lugar. Assim, a diabetes duplicará seu impacto e, em comparação aos 5% de mortes que provoca actualmente, passará a causar 10% dos óbitos, enquanto a a Sida, que hoje é a 10ª causa de falecimento, representará 4,8%, contra o 2,5% actual.
De acordo com os indicadores da OMS, o mundo já vive uma epidemia de diabetes. Em 1985, a doença atingia aproximadamente 30 milhões de pessoas. O número aumentou para 135 milhões em 1995 e para 177 milhões em 2000. A entidade estima que a prevalência da diabetes deva alcançar 333 milhões de pessoas em 2025.
Ainda de acordo com a OMS, há uma importante diferença entre o aumento da prevalência da diabetes em países desenvolvidos em comparação com os países em desenvolvimento. As estimativas para 2030 são as de que a maioria das pessoas com diabetes nos países desenvolvidos terá 65 anos de idade ou mais.
Em contrapartida, a maioria dos pacientes com diabetes nos países em desenvolvimento terá de 45 a 64 anos de idade – idades mais produtivas.
"As projecções feitas pela OMS são preocupantes, uma vez que o portador da diabetes tem um risco 29 vezes maior de ter um comprometimento sério da visão que o não-portador da doença”, afirma um oftalmologista.
Em relação à saúde ocular, o melhor caminho para evitar complicações é a prevenção. "A diabetes mellitus provoca uma série de reacções no organismo que afectam directamente a saúde ocular, predispondo o paciente a complicações na córnea, propiciando o aparecimento de catarata e de glaucoma. Além disso, favorece a formação da retinopatia diabética, a maior causa de cegueira permanente em indivíduos economicamente activos", disse o oftalmologista.


O que é a diabetes
É uma disfunção do metabolismo, ou seja, do jeito com que o organismo usa a digestão dos alimentos para crescer e produzir energia. A maioria das comidas que comemos é quebrada em partículas de glicose, um tipo de açúcar que fica no sangue. Esta substância é o principal combustível para o corpo.
Depois da digestão, a glicose passa para a corrente sanguínea, onde é utilizada pelas células para crescer e produzir energia. No entanto, para que a glicose possa adestrar as células, ela precisa da ajuda de uma outra substância, a insulina.
A insulina é uma hormona produzido no pâncreas, uma grande glândula localizada atrás do estômago. Quando nos alimentamos, o pâncreas produz automaticamente a quantidade certa de insulina necessária para mover a glicose do sangue para as células do corpo.
Nas pessoas com diabetes, porém, o pâncreas produz pouca insulina ou então as células não respondem da forma esperada à insulina produzida. O que acontece? A glicose do sangue vai directo para a urina sem que o corpo se aproveite dela. Ou então fica no sangue, aumenta o que se chama de glicemia (concentração de glicose) e também não é aproveitada pelas células.

Quais os tipos existentes de diabetes?
Diabetes do tipo 1
Diabetes do tipo 2
Diabetes gestacional

Diabetes tipo 1
Este tipo de diabetes é uma doença auto-imune. O que significa isto? Significa que o sistema que seria responsável por defender o corpo de infecções (o sistema imunológico) actua de forma contrária e acaba lutando contra uma parte do próprio organismo. Na diabetes, por exemplo, o sistema imunológico ataca as células do pâncreas responsáveis pela produção de insulina, matando-as. Assim, este órgão passa a produzir pouca ou nenhuma insulina. Por conta disso, quem tem diabetes do tipo 1 deve tomar insulina todos os dias.

Diabetes do tipo 2
Esta é a forma mais comum da diabetes. Entre 90% a 95% das pessoas que são diagnosticadas com esta doença, tem o tipo 2. Este diabetes está associada à velhice, obesidade, histórico da moléstia na família e de diabetes gestacional, além do sedentarismo. Nada menos do que 80% das pessoas que têm diabetes tipo 2 estão acima do peso ideal.
Por causa do aumento da obesidade entre crianças e adolescentes, já que as dietas de hoje em dia não são nada saudáveis, esta doença tem aumentando nestas faixas etárias. Nesta doença, quase sempre o pâncreas produz a quantidade suficiente de insulina, mas, por razões desconhecidas, o corpo não consegue utilizar esta substância de forma efectiva.
A este problema dá-se o nome de resistência à insulina. Depois de alguns anos de resistência, a produção desta substância acaba diminuindo. O resultado é o mesmo de diabetes do tipo 1: a glicose produzida na digestão não é utilizada como combustível pelo corpo.
Este tipo de diabetes pode causar sérias complicações. Por isso, é muito importante reconhecer os sintomas desta doença. Eles desenvolvem-se de forma gradual. Ao contrário do que ocorre na do tipo 1, eles não aparecem repentinamente. Mas podem ser bastante parecidos e são reflexos do aumento da quantidade de açúcar no sangue:
Causa cansaço extremo, náusea, aumento da quantidade de urina, sede além do normal, perda de peso, visão embaçada e infecções frequentes. Há outros sintomas menos frequentes e mais graves: dificuldade de curar cortes, coceira na pele (geralmente na área vaginal ou da virilha), perda da visão e impotência Algumas pessoas, no entanto, não apresentam sintomas.

Diabetes gestacional
É uma doença caracterizada pelo aumento do nível de açúcar no sangue que aparece pela primeira vez na gravidez. Este problema acontece em cerca de 4% das mulheres que ficam grávidas. Ela pode desaparecer depois do parto ou transformar-se num diabetes do tipo 2.


Escolinha do Mangueirão promove palestra sobre violência sexual

A Escolinha do Mangueirão, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer realizou na manhã desta sexta-feira (13) no auditório do Detran, a palestra "Conversando sobre Violência Sexual: O que é? O que fazer? E como prevenir". No evento estavam presentes o secretário de Esporte e Lazer, Jorge Panzera, o diretor do Estádio Olímpico, Yan Macedo, a psicóloga da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, Letícia Palheta, além do coordenador da Escolinha, professor Carlos Alberto.
O principal objetivo da palestra entre alunos, pais e a equipe técnica foi esclarecer as formas que a violência sexual acontece, no quanto elas são prejudiciais a saúde, tanto física quanto mental, quais as formas de prevenir e as maneiras de denunciar. Segundo a psicóloga Letícia Palheta, os pais e padrastos ainda são os maiores agressores dentro do ambiente familiar.
"Nesses casos o fator que mais dificulta é o silêncio causado pela vitima. "É preciso saber escutar, esse tipo de violência pode até não deixar marcas físicas, mais com certeza deixará marcas psicológicas, que revive a cada dia", afirmou.
Segundo a psicológa a violência sexual é mais que uma violência física, é uma violação dos direitos sexuais, que pode ocorrer pela força ou pela coerção. As principais vítimas dessa violência são crianças e jovens, que ao sofrer o ato carregam consigo marcas profundas. Cada pessoa expressa essas marcas de uma maneira diferente como depressão, dificuldades de se relacionar, e até mesmo baixa auto-estima.
O secretário de Esporte e Lazer, Jorge Panzera, falou que iniciativas como essa são importantes porque trabalham não só o lado físico, mais também o psicológico. "É importante para as crianças e jovens do estado, ter espaços como a escolinha do Mangueirão para além da prática esportiva, debaterem temas de fundamental importância para a formação de cada cidadão. Melhor do que selecionar um ou dois para ser destaque no futebol do Pará, é poder estar formando homens e mulheres, cidadãos, para ajudar a formar um Pará ainda melhor, com disciplina e respeito ao próximo" disse o titular da Seel na abertura do evento.
Maria do Carmo, mãe do aluno da escolinha esteve no evento e elogiou a iniciativa: "Uma atividade como essa é muito importante, pois fortalece o que nós conversamos dentro de casa com nossos filhos e ajuda para que eles criem responsabilidade" disse.
Para este final de ano já estão sendo programadas outras atividades, entre elas a visita dos alunos da escolinha do Mangueirão ao Planetário, que deve acontecer no início do mês de dezembro.

Michelle Muniz - Seel


Beija-flor-preto nasce em cativeiro no Mangal das Garças

Pela primeira vez na América Latina nasceu em cativeiro o Anthracothorax nigricollis, conhecido popularmente como beija-flor-preto ou beija-flor-de-veste-preta. O fato inédito aconteceu no Parque Ambiental e Turístico Mangal das Garças, localizado em Belém. "Estamos muito felizes em compartilhar mais um evento de reprodução inédito no Mangal das Garças", declarou a veterinária do Parque, Áurea Linhares.
A preparação do ninho e o nascimento dos filhotes foram acompanhados pela equipe técnica do Mangal. "Desde sábado (7) estamos acompanhando a movimentação da mãe de primeira viagem, que tem sido muito eficiente na tarefa de alimentar suas crias", disse a veterinária. Registro anterior a este se deu apenas no Parque das Aves do Paraná, com a reprodução de outra espécie, o beija-flor-de-banda-branca (Amazilia versicolor).
O beija-flor-preto é uma ave da família Trochilidae, que se destaca pela grande diferença entre o macho e a fêmea, que parecem ser espécies distintas por suas diferenças na plumagem. O macho parece ser todo negro, mas essa cor aparece apenas no peito, na barriga e garganta. O restante da plumagem é verde escuro, com tons avermelhados. O bico é longo e fino, com a ponta levemente curvada para baixo.
A fêmea tem uma longa listra negra, começando na base do bico e terminando na barriga, ladeada por faixas brancas largas. O restante da plumagem é verde claro. O animal chega no máximo a sete centímetros de comprimento, e as fêmeas são maiores que os machos.
A espécie se alimenta de néctar e de pequenos insetos, os quais captura pairando em áreas abertas. O beija-flor-preto ocupa todos os ambientes florestais e pode ser visto em jardins, gostando de ficar nas folhas dos ingazeiros na beira dos rios. Em alguns locais da região do cerrado, desaparece no início das secas.

Reprodução - É uma ave que se adaptou ao ambiente urbano, podendo ser vista em áreas da cidade. Na reprodução, as fêmeas têm muito trabalho, pois não contam com a ajuda dos machos na preparação dos ninhos, no ato de chocar os ovos e na proteção dos filhotes.
Os beija-flores são hábeis construtores. Depois de preparar o ninho com grama, folhas, flores, pétalas e musgo, o beija-flor fixa a estrutura com o fio viscoso da teia de aranha, dando firmeza ao abrigo. Geralmente, os beija-flores botam apenas dois ovos, pois além de seus ninhos não comportarem mais de dois filhotes, seria difícil para a fêmea alimentá-los.
O futuro dos beija-flores está diretamente ligado à preservação da flora, sobretudo das plantas que têm florescência. Facilmente adaptáveis a qualquer ambiente, os beija-flores constroem seus ninhos em todo tipo de árvore e podem encontrar alimento nas flores dos jardins, hortas e parques.
Também não temem as pessoas e vivem nas cidades com tranquilidade. Mas o crescimento da população e a destruição de muitas espécies nativas podem se constituir em um grave problema para a preservação do beija-flor-preto.


Técnica de enfermagem é presa por aplicar sedativos em recém-nascidos

Vanessa Pedroso negou ter injetado medicamentos nos bebês, que estão na UTI

A Polícia Civil do RS prendeu na madrugada deste sábado uma técnica de enfermagem acusada de ter injetado alta dosagem de sedativos em 11 bebês nascidos na maternidade do Hospital Universitário da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre.
Vanessa Pedroso, 25 anos, prestou depoimento de mais de uma hora na 1ª Delegacia da Polícia Civil de Canoas. Segundo o advogado da garota, Sérgio Assumpção, ela nega ter aplicado os medicamentos nas crianças, que atualmente se encontram na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do hospital.
O delegado Guilherme Pacífico, no entanto, lavrou o flagrante por tentativas de homicídio e a encaminhou para a Penitenciária Feminina Madre Pelletier, na Capital. Hoje pela manhã, o delegado dará uma entrevista coletiva para explicar detalhes do caso.
A Polícia Civil investigava o uso indevido de de benzodiazepínicos (sedativos) no hospital. Desde a última segunda-feira, 11 bebês receberam a medicação nas primeiras seis horas de vida. Eles escaparam da morte porque foram levados para a UTI.
– Hoje (sexta-feira) posso dizer que estamos tratando de um crime. Tenho 30 anos de medicina e nunca havia vivenciado uma situação parecida com esta – diz a diretora-geral do hospital, Eleonora Walcher.
De acordo com Eleonora, profissionais começaram a perceber a anormalidade no início da semana.
– Os bebês ficavam fracos, desfaleciam e evoluíam para o quadro de parada respiratória sem nenhum motivo aparente – conta a diretora.
Com a sucessão de casos, os médicos do hospital começaram a desconfiar de que alguma coisa estava errada.
– Em um momento, suspeitamos até de envenenamento – diz Eleonora.
Amostras de cinco bebês que ficaram doentes foram coletadas e enviadas para análise. O resultado: recém-nascidos haviam recebido indevidamente doses de calmantes.
– Se não tivesse uma equipe maravilhosa de enfermeiros e uma UTI dentro do hospital, nós não teríamos como salvar esses bebês, que tinham cinco ou seis horas de vida apenas quando apresentaram os sintomas – detalha a médica.
O caso é acompanhado "de perto" pelo Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers), segundo seu vice-presidente, Rogério de Aguiar.
Na noite desta sexta, pais aflitos procuravam informações. Um deles disse que, até aquele momento, não tinha havia sido informado oficialmente pelo hospital do que ocorrera.
O Hospital Universitário realiza cem partos por mês. O centro obstétrico suspendeu temporiamente o atendimento a gestantes em trabalho de parto, que devem se dirigir ao Hospital Nossa Senhora das Graças.

O medicamento
O remédio pode ser usado em casos de emergência sob prescrição médica
- Benzodiazepínicos são tranquilizantes. Um dos mais conhecidos é o Diazepan.
- O medicamento pode ser utilizado em situações de emergência, quando, por exemplo, uma criança muito agitada precisa de cuidados imediatos ao chegar ao hospital ou está em crise convulsiva (ataque epiléptico).
- Recém-nascidos podem receber a medicação, sempre com prescrição médica. A dose do medicamento é administrada de acordo com o peso do bebê.
- Adultos podem fazer uso regular do medicamento, também com orientação de um médico, em caso de quadros de ansiedade.

Gustavo Azevedo e Carlos


Zero Hora

Assuntos relacionados:
Secretário fala em ação de “psicopata”
Ulbra suspende atendimento a gestantes em trabalho de parto

As crianças estão cada vez mais altas

COMO OS SEUS PAIS
Quase olho no olho: Ronald, 9, a 3 centímetros de alcançar Milene; Malia, 11, quase igual a Michelle; e Sasha, 11, na orelha de Xuxa


Tamanho é documento
As crianças estão cada vez mais altas. E as baixinhas se sentem
mais deslocadas. A boa notícia é que há tratamento para o crescimento
abaixo da média
Onde é que essas crianças vão parar? Ao que tudo indica, muito acima da população adulta atual. O programa acelerado de crescimento que está transformando os baixinhos em altinhos é evidente em qualquer ambiente social, em especial os que reúnem crianças naquela fase de esticamento da pré-adolescência. Os números comprovam: de 1974 a 2003, ano da última grande contagem oficial de altura da população, constatou-se que as crianças e os jovens brasileiros ficaram de 5 a 12 centímetros mais altos. "Isso se deve a décadas de vacinação em massa, à melhoria das condições sanitárias, ao controle de doenças infecciosas que prejudicam o crescimento e também à inserção de um cardápio mais nutritivo desde a tenra infância, com alimentos como carne, leite e cereais", explica o nutrólogo Mauro Fisberg, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A consequência, segundo Fisberg, é que atualmente as crianças sadias crescem de 6 a 7 centímetros por ano entre os 2 e os 9 anos e de 8 a 10 centímetros entre os 9 e os 15 anos. Às vezes, bem mais que isso, como demonstram os filhos de pais excepcionalmente altos retratados nestas páginas.
Aos 11 anos completados em julho, Malia, a filha mais velha do presidente Barack Obama (1,88 metro), está batendo na orelha da mãe, Michelle (1,82 metro). Sasha, filha de Xuxa Meneghel (1,77 metro) e Luciano Szafir (1,90 metro), também tem 11 anos e parece que em algum momento vai olhá-los de cima. O menino escolhido para viver seu, por assim dizer, par romântico no filme infantil O Mistério de Feiurinha, Bernardo Mesquita, mede 1,82 metro.
Robusto desde bebê, Ronald, o filho do jogador Ronaldo (1,83 metro), olha diretamente nos olhos da mãe, Milene. Não seria muito impressionante, já que ela mede 1,60 metro, não tivesse Ronald apenas 9 anos. "O Ronald está com 1,57 metro. É o maior da classe dele e também do time de futebol. Está tão grande que compro camisetas para meninos de 14 anos e sapatos tamanho 40", descreve Milene. "Filhos de pais muito altos têm chances muito grandes de ser os mais altos da classe.
Mas essas crianças não necessariamente se tornarão adultos enormes. Pode ser que o Ronald, que não tem mãe muito alta, não cresça até a juventude na mesma velocidade que cresceu até agora", explica Fisberg.
Como tudo na vida em geral, e em especial no sensível período do fim da infância ao início da adolescência, sair do padrão, nem que seja por uma característica desejada como a altura, cria problemas. As crianças mais altas se queixam dos apelidos, da eterna posição no fundo das fotografias, da falta de jeito da pré-puberdade, quando ainda não se sentem à vontade com seu tamanho. Mais difícil ainda, nesse ambiente de estirados, é ser mais baixinho que a média.
A médica Leda Barone, 48, de São Paulo, lembra-se do dia em que o filho Michel, então com 6 anos, chegou mudo em casa. Com muito esforço, conseguiu arrancar que ele havia sido vetado pelos outros meninos no futebol da escola por ser pequeno. Michel tinha 1,09 metro e era mais baixo que o irmão de 4 anos. "Ele disse que não aguentava mais ser chamado de tampinha e que percebia que eu encurtava as calças dele, coisa que não fazia com meu outro filho", conta Leda. Sob orientação de um pediatra, Michel começou a tomar injeções do hormônio do crescimento, o GH. Durante dois anos e meio, enfrentou o tratamento feito com seis injeções por semana. Em julho, foi liberado: aos 9 anos e 8 meses, Michel mede 1,34 metro, 2 centímetros a menos que a média da idade aferida pela Organização Mundial de Saúde, mas o suficiente para mudar de faixa. "Sem o medicamento, ele tinha um prognóstico de chegar aos 18 anos com 1,60 metro. Agora, deve chegar a 1,70. Não será altíssimo, mas, pelo menos, vai alcançar o máximo de altura que seu corpo pode ter", diz Leda.
O tratamento com o hormônio GH sintético, indicado para crianças que não o produzem normalmente, é o mais frequente para meninos e meninas que crescem bem abaixo da média. Para casos específicos de meninas, existe um outro tipo de tratamento hormonal, destinado a postergar a puberdade precoce, quando surgem sinais de que a primeira menstruação está por vir antes do tempo. "A puberdade ‘fecha’ as áreas de crescimento dos ossos e interrompe seu desenvolvimento", diz Luis Eduardo Calliari, pediatra e endocrinologista do Hospital São Luiz e professor da Faculdade de Medicina da Santa Casa. Os tratamentos são caros e demorados, mas cada centímetro soa como uma vitória. "Ser alto hoje em dia é quase fundamental para conquistar boas oportunidades profissionais e sociais. A questão é que nem todo mundo pode ser assim. Os novos tratamentos trazem esperança para muitas crianças", resume o nutrólogo Fisberg.

Juliana Linhares

Veja
Leia mais:

Dia Mundial do Diabetes -14 de Novembro de 2009

Tema 2009
Prevenção e educação são os pontos fortes da campanha do Dia Mundial 2009. "Diabetes: Educar para Prevenir" é o tema adotados pela Sociedade Brasileira de Diabetes. Ajude a divulgar a data! 14 de novembro

Educar Para Prevenir
Dra. Marília de Brito Gomes, presidente da SBD, fala sobre o tema da campanha do Dia Mundial do Diabetes à imprensa carioca. A presidente agradece a Arquidiocese e Prefeitura do Rio de Janeiro pela iluminação do Cristo Redentor, como uma homenagem a todas as pessoas com diabetes.

Campanha Repercute na Mídia
A campanha pelo Dia Mundial do Diabetes foi tema de reportagem no site de Sidney Rezende. Na matéria, o jornalista diz que a estátua do Cristo Redentor será iluminada de azul, pelo terceiro ano consecutivo, com apoio da Arquidiocese do Rio de Janeiro

Brasil em Azul
Brasil supera os números de 2008. Estão confirmados 131 locais que serão iluminados de azul no Dia Mundial do Diabetes. Veja a lista de locais que serão iluminados de azul no dia 14 de novembro. Mobilize sua comunidade e envie-nos o nome e a foto do monumento.

Cartaz, Folheto e Camiseta de Divulgação
Para ajudar na divulgação do Dia Mundial do Diabetes, a Sociedade Brasileira de Diabetes disponibiliza o cartaz, o folheto e a camiseta de divulgação. O material pode ser usado gratuitamente, basta entrar no link e baixar as versões dos materiais. Quase 2 mil downloads foram feitos nos últimos dois meses.


Estatísticas do Diabetes no Brasil
O Censo de Diabetes (1988) mostrou uma prevalência de 7.6% de pessoas com diabetes na população brasileira de 30 a 69 anos. Destes, cerca de 50% não sabem que têm diabetes. Conheça outras informações sobre dados estatísticos.

Sinais e Sintomas
Você perdeu peso rapidamente? Anda com muita sede? Está urinando muito? Sente que falta energia? Isso pode ser um sinal do aparecimento do diabetes. Fique atento.

SDB

Curso que ensina masturbação para jovens causa polêmica na Espanha


Um novo curso escolar que ensina masturbação a jovens de 14 aos 17 anos está provocando polêmica entre pais e educadores na Espanha.

O curso faz parte de um programa introduzido pelas Secretarias de Educação e Juventude da província de Extremadura, e intitulado “O prazer está em suas mãos”. Ele pretende acabar com mitos para que os adolescentes entendam a sexualidade de forma natural.
As aulas sobre sexo serão facultativas nas escolas de segundo grau da província de Extremadura (oeste do país) a partir de novembro. Os conteúdos vão de anatomia e fisiologia sexual masculina e feminina até técnicas de masturbação e uso de objetos eróticos.
Para a secretária de Juventude de Extremadura, Laura Garrido, o novo curso “não deveria escandalizar a ninguém, principalmente porque todos nós fomos adolescentes algum dia e todos nós temos sexualidade”.
Consciente das críticas de grupos de pais de alunos e veículos de comunicação conservadores, que classificaram a atividade escolar de imoral e irresponsável, a secretária disse à BBC Brasil que “resumir tudo em uma polêmica sobre como sentir prazer é uma barbaridade”.
“O programa tem muitos mais aspectos, como hábitos saudáveis, auto-estima, afetividade, identidade de gênero, doenças de transmissão sexual… e esperamos derrubar muitos mitos negativos sobre a masturbação, é óbvio”.

Dúvidas

A Secretaria de Educação de Extremadura elaborou 1.200 livros em formato revista com exemplos de dúvidas habituais de adolescentes sobre o tema e as respectivas respostas de educadores e sexólogos.
O material didático das aulas inclui mapas da anatomia humana, explicações sobre tipos de brinquedos eróticos, endereços úteis e até um baralho que coloca os jogadores em exemplos de situações de risco como uma ereção prolongada ou uma infecção genital, para que saibam como resolver os problemas.
Os slogans do curso escolar – “O prazer está em suas mãos” e “Prazer quando e onde você quiser” – foram aprovados pelo Instituto da Mulher de Extremadura (ONG que reúne associações feministas locais), porque consideram as aulas necessárias para que os jovens entendam que o sexo não é apenas um ato físico.
“Se esse curso conseguir que os nossos filhos se desenvolvam através de uma sexualidade saudável, será mais fácil evitar condutas discriminatórias e agressivas em suas relações”, disse à BBC Brasil a diretora geral do Instituto da Mulher, Maria José Pulido.
“É importante que pais e educadores possam tratar a sexualidade como um comportamento, uma expressão afetiva e de saúde também”.

Fórum na internet

Mas nem todos os pais de alunos estão de acordo. A Associação de Pais Católicos de Extremadura formou um grupo de protesto chamado “Cidadania para a Educação” e ameaça levar o governo regional aos tribunais.
O grupo abriu um fórum de debate na internet e enviou uma carta ao governador local reclamando do novo curso escolar.
“Exigimos ser informados previamente da natureza, do conteúdo e da orientação de toda atividade que tenha alguma implicação de caráter moral, porque somos os primeiros e principais educadores de nossos filhos”, diz a carta.
A presidente da associação, Margarita Cabrer, disse à BBC Brasil que ainda não recebeu resposta do governo e que o grupo de pais estuda vias legais para processar o Estado se o curso continuar até o fim do ano letivo (junho de 2010).
“O problema não é o ensino de masturbação. Não me preocupa que meus filhos se masturbem. O que me preocupa é que um adulto, cujos hábitos e valores morais eu desconheço, seja quem ensine os meus filhos a fazê-lo”, afirmou.
Cabrer disse também que espera uma intervenção imediata do Juizado de Menores de Extremadura, porque acha que o curso pode infringir o código penal nos artigos sobre corrupção de menores.
A assessoria de imprensa do Juizado de Menores de Extremadura não quis fazer comentários sobre o assunto à BBC Brasil.

Anelise Infante

De Madri para a BBC Brasil

Há um ponto de exploração sexual infantil a cada 26,7 km


Seja para comprar comida ou fumar crack, o fato é que milhares de crianças e adolescentes estão espalhados pelas rodovias federais brasileiras oferecendo os corpos por até R$ 2. No Brasil, há um ponto vulnerável à exploração sexual infantil a cada 26,7 quilômetros - isso considerando apenas os locais em que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) já flagrou ou recebeu denúncia de menores de 18 anos submetidos à prostituição.
Mapeamento da PRF apontou a existência de 1.819 pontos "vulneráveis" para a exploração sexual de menores nas estradas. São postos de combustíveis, bares, boates, restaurantes ou mesmo acostamento. Trata-se da quarta edição do mapeamento feito pela PRF em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), mas os dados gerais pouco variaram em relação à edição de 2007, com Minas Gerais e Rio Grande do Sul encabeçando a lista em número de pontos, com 290 e 217 respectivamente - os dois Estados, no entanto, têm grandes malhas viárias federais. Levando em conta quantidade e extensão das vias, os piores são Distrito Federal, Rio Grande do Norte e São Paulo.
A PRF agora vai utilizar os dados do mapeamento para dividir os locais em graus de vulnerabilidade, em parceria com o Instituto WCF Brasil. O resultado, desta vez, não será divulgado. "Achávamos que o conhecimento dos locais inibiria a atuação de criminosos. Mas constatamos que não inibiu e provocou migração para outros pontos", afirma o presidente da Comissão de Direitos Humanos da PRF-SP, Waldiwilson dos Santos. "Vamos manter sigilo para não atrapalhar as operações."
Mesmo após constatar a situação, a conexão com outros órgãos continua falha - somente a PRF tem o levantamento, impossibilitando cruzamento de dados. Das polícias rodoviárias estaduais, apenas a de Pernambuco manifestou interesse em fazer o mapeamento.

Pontos vulneráveis

A distribuição dos pontos vulneráveis à exploração sexual infanto-juvenil expõe conexões com as rotas dos viajantes e com bolsões de pobreza pelo País. Existem 290 áreas críticas apenas em Minas, e oito rodovias federais, incluindo as de maior tráfego - como a BR-040 e a BR-381, que ligam Belo Horizonte ao Rio de Janeiro e a São Paulo, respectivamente -, estão no mapa da prostituição. Em segundo lugar no ranking por Estados vem o Rio Grande do Sul, onde a preocupação é sobretudo com os postos de combustível.
Para o promotor José Carlos Fortes, o resultado mais importante dessas ações não é "processual". "A publicidade sobre a ação do Ministério Público (MP) inibe a prática desse tipo de crime pelos donos dos estabelecimentos e também pelos pais." Isso porque grande parte das crianças e adolescentes é levada para o comércio do sexo pela própria mãe que, geralmente, também foi explorada quando criança.
"A exploração sexual e a miséria também estão intimamente ligadas", destaca o promotor. "Enquanto não combatermos a miséria, que é uma questão de longo prazo, não resolveremos a questão da exploração." Segundo ele, os 290 pontos de vulnerabilidade levantados pela PRF coincidem com as periferias de cidades mineiras de médio porte. Já os serviços de assistência social da região metropolitana de Porto Alegre detectaram casos de prostituição de crianças de bairros pobres cortados pela BR-116. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Fonte: Agência Estado

Álcool e adolescência


Uma droga lícita e perigosa que a sociedade tolera e muitas vezes até incentiva (com propagandas que associam seu consumo a sucesso, boa situação financeira etc...), tem levado muitos jovens a hospitais e clínicas especializadas. Como têm mais dificuldades em se controlar, eles terminam abusando da bebida, que muitas vezes pode levá-los ao coma alcóolico. Além de prejudicar o seu organismo, de adqüirir um terrível mal-estar que pode durar alguns dias, poderão estar dando início a um problema crônico de alcoolismo, que talvez os acompanhe por toda vida.
Médicos e psiquiatras advertem que, quanto mais cedo a pessoa se inicía no álcool, mais rapidamente o consumo evolui para a dependência. O adulto certamente terá mais dificuldade em superar um vício adqüirido na adolescência.
O álcool é uma droga perversa. A pessoa que bebe só decide tomar uma atitude contra a situação de dependência, quando começa a sentir efeitos negativos. Então, talvez seja tarde, pois seu organismo e sua sanidade já estarão bastante comprometidos.

DANOS CAUSADOS PELO ÁLCOOL

Dra. Sandra Scivoletto, médica psiquiatra responsável pelo ambulatório de Adolescentes, Drogas e Álcool do Hospital das Clínicas de São Paulo, diz que o desempenho escolar é a primeira área a ser afetada na vida de um adolescente que abusa da bebida.
A partir daí, o comportamento e os hábitos do jovem começam a se alterar em diferentes áreas. Quanto mais cedo receber ajuda, mais facilmente ele se libertará desse hábito.Toda atenção é necessária, pois os danos podem se tornar irrecuperáveis. Os prejuízos físicos causados pelo álcool e comprovados cientificamente são:
*O álcool mata as células nervosas (neurônios)do cérebro. Isso é irreversível, porque os neurônios não se multiplicam mais nessa idade. A perda da memória e a dificuldade de assimilar novos dados, são os primeiros sintomas.Depois, vem a perda gradativa da capacidade de raciocínio, até o ponto de causar demência alcóolica.
* Os danos no cérebro são facilmente visíveis: Há uma redução de quase um terço no tamanho da massa encefálica do alcóolatra, devido à morte dos neurônios.
* O álcool é metabolizado no fígado e este é o próximo órgão a ser atingido.Suas células também são danificadas, causando a HEPATITE. Num estágio final,acontece a CIRROSE, que é a perda total das células do fígado.
* A perda das funções do fígado, compromete outras funções do organismo, como a coagulação do sangue e a absorção dos alimentos.
* O pâncreas também é afetado,e a longo prazo, o indivíduo não consegue produzir mais as enzimas para a digestão, podendo ficar diabético.
Esses malefícios atingem a pessoa em qualquer fase da vida. Na criança ou no adolescente, cujo organismo ainda está em formação, eles acontecem com mais rapidez, causando o envelhecimento e a deterioração precoce dos órgãos, comprometendo toda a existência.

Postado por Sanny Lemos na Comunidade Fio Cruz

Paciente desiste do HC que pedia ao TJ/ES a interrupção da gravidez de feto com anomalia cerebral


Os desembargadores que integram a 2ª Câmara Criminal do TJ/ES homologaram no dia 11/11, o pedido de desistência de uma mulher para interromper uma gravidez, cujo feto possui anomalia no cérebro. A gestante havia entrado com um pedido de HC no TJ/ES, no qual solicitava à Justiça Estadual autorização para interromper a gestação. O processo começou a ser votado na semana passada, mas não foi concluído (não houve votação) pois a paciente desistiu do procedimento. Mesmo assim, os integrantes da 2ª Câmara Criminal determinaram à Secretaria Estadual de Saúde um acompanhamento multidisciplinar, inclusive por equipe de psicólogos, durante e após o parto, como também que o SUS proporcione todos os meios necessários para a conservação da vida da criança.
O HC em favor da gestante foi protocolado pela Defensoria Pública Estadual. O pedido já havia sido negado pelo juiz de primeiro grau, na comarca de origem. Foi feito recurso ao TJ e a relatora do processo foi a desembargadora substituta Janete Vargas Simões. A votação teve início no dia 4/11, quando a relatora acatou o pedido, acompanhando o parecer do procurador de Justiça, Sócrates de Souza. Mas a votação não foi concluída, porque o desembargador Sérgio Gama pediu vista, devido à complexidade e à polêmica que envolve a matéria.
Mas, mesmo com a desistência da gestante de interromper a gravidez, os dois desembargadores que votariam ontem fizeram questão de registrar seus votos, especificamente com relação a esse processo. Os desembargadores Sérgio Gama e Adalto Dias Tristão tiveram um entendimento diferente da relatora e se manifestaram contra a interrupção da gestação.
Além de outros aspectos, ambos ressaltaram que no processo havia apenas um laudo assinado por uma única médica atestando que o feto é portador de holoprosencefalia1 e não de anencefalia, conforme afirmava a petição inicial. Nesses casos, de acordo com os magistrados, é necessário uma avaliação de uma junta médica e ouvir várias opiniões. Outro aspecto observado pelos desembargadores foi o adiantado estado de gravidez da paciente, que já está com 35 semanas, cerca de sete meses de gestação, não se podendo desprezar o fato de que o feto já se encontra praticamente constituído, possuindo, inclusive, sentidos vitais.
Gama ressalta em sua posição: "Em nosso ordenamento jurídico, a interrupção da gravidez (aborto) é admitida como medida de exceção, nos termos do artigo 128 do Código Penal, se não houver outro meio de salvar a vida da gestante ou se a gravidez resulta de estupro, dependendo, neste caso, de consentimento da gestante ou, quando, incapaz, de seu representante legal". O desembargador Sérgio ainda ressaltou que "levando-se em cota a inviolabilidade constitucional do direito à vida em qualquer dos seus estágios, entendo que a interrupção da gravidez na hipótese dos autos, onde não se exclui a possibilidade de sobrevida extra-uterina e nem há risco de vida à genitora, não se revela a medida mais adequada".
O desembargador Adalto Dias Tristão lembrou que o aborto de feto com anomalia no cérebro já foi bastante discutido, mas até hoje não há um consenso sobre essa polêmica questão. Entretanto, já há decisão firmada de que os processos criminais em curso, relativos à anencefalia, deveriam ficar suspensos até o crivo final do STF. O desembargador relatou vários posicionamentos e doutrinas sobre a matéria e concluiu que "surgindo a necessidade de antecipação do parto, ou sendo ele realizado no prazo normal, ou seja, em qualquer destas hipóteses, seja proporcionado pelo SUS todos os meios necessários para a conservação da vida da criança enquanto houver possibilidade para tanto, seja em incubadora, UTI pré-natal ou outros meios necessários, enquanto houver vida". A relatora também acompanhou esta posição do desembargador Adalto, determinando à Secretaria Estadual de Saúde total acompanhamento à gestante e também à criança quando nascer.

1 Holoprosencefalia - Patologia causada pela falta de divisão do lóbulo frontal do cérebro do embrião para formar hemisférios cerebrais bilaterais (as metades esquerda e direta do cérebro), causando defeitos no desenvolvimento da face e na estrutura e no funcionamento do cérebro.

Fonte: Migalhas

Menina espirra sem parar há duas semanas; veja o vídeo


A americana Lauren Johnson, de 12 anos, está intrigando os médicos, com um acesso de espirros que já dura duas semanas. A garota, que mora no Estado de Virginia, espirra mais de mil vezes ao dia. Os espirros só param quando ela dorme.

Os especialistas dizem que a condição é rara, mas conhecida, podendo ser provocada por alergias ou obstruções nasais. Mas eles não conseguiram até agora descobrir o que vem provocando os espirros em Lauren.

Fonte: Bonde News

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Salvador se destaca nas estatísticas de reencontros


Vidas separadas. Um dia, pessoas podem se reencontrar. Há esperança. O segredo é não desistir, nem se 30 anos estiverem entre você e o seu sonho.

"Antes eu dormia pensando que ela estava viva e acordava pensando que ela estava morta. Quem tem um ente querido desaparecido não sabe o que pensar. O desespero é inevitável", diz a mãe de desaparecida Josenilda Lima.
Durou cinco anos e meio o desespero de Josenilda. Em 2000, a única filha dela, Simone, viajou para passar as festas juninas na cidade de Lençóis, interior da Bahia. Nunca mais voltou. A menina, que sempre carregava um periquito no ombro, foi morta por um psicopata. O crime só foi descoberto graças à busca incansável da mãe.
“Não tem mais jeito. Minha filha está morta mesmo. Eu tenho que enterrar e seguir minha missão, que para mim isso é uma missão mesmo, ajudar as pessoas desaparecidas", afirma Josenilda.
Josenilda coordena um trabalho voluntário de buscas na Bahia. Antonio Carlos, Alana, Daniele, Ailton, Adriano são algumas das pessoas que tiveram a sorte de reencontrar suas famílias. Sabe quantas são no cadastro de Josenilda? 599 pessoas na Bahia. Isso é pouco? Claro que não. É o resultado do trabalho de apenas uma pessoa. Imaginem se tivesse mais gente interessada em resolver esse problema.
A recompensa é a alegria. Aquela alegria de quem recebe um presente precioso, diz Josenilda: "Parece que eu estou reencontrando a minha filha. É a coisa mais sublime que existe fazer um reencontro".
Reencontro. Uma palavra que, na Bahia, se pronuncia com certa frequência. A bela capital baiana tem se destacado nas estatísticas nacionais de pessoas reencontradas. De acordo com um levantamento da polícia, nos últimos nove anos, quase 70% dos casos de desaparecimento registrados nas delegacias foram resolvidos.
Praça da Piedade, Salvador, é o endereço mais procurado na Bahia por quem perdeu de vista um parente, um amigo, uma pessoa querida. Lá funciona uma espécie de central de buscas que utiliza uma forma simples mas eficiente de localizar desaparecidos: a divulgação.
Diante das câmeras, pais, filhos, tios - famílias aflitas fazem apelos comoventes. Virou quadro fixo de um dos telejornais da TV Bahia, afiliada da Rede Globo. Toda quarta-feira, os desaparecidos ganham espaço em todos os blocos do programa. Uma rede voluntária de informantes logo se forma e entra em ação.
“Quando aparece a imagem de uma pessoa desaparecida a população tem interesse em ligar dando informações, dando detalhes de onde a pessoa pode ser encontrada", comenta o delegado Joelson Reis.
Em alguns casos, o mistério do sumiço se desfaz ali mesmo na praça, com o programa ainda no ar. Bastou a dona de casa Ednalva dos Reis aparecer chorando e a filha que ela tanto procurava deu notícia: “Ela viu a reportagem, ligou, colocou para falar com o sobrinho, disse que está indo para casa. Estou alegre, estou feliz, obrigado Meu Deus."
Conceição do Jacuípe, Recôncavo Baiano: uma história surpreendente nos trouxe a esta cidade de 30 mil habitantes. Os personagens que viemos procurar não temos nem o endereço, mas estamos com sorte. Claudio e Dona Nilma são filho e mãe. Não se conheciam até o ano passado. E não foi por falta de empenho. Ela buscou pistas, informações. Tudo em vão. Chegou a desistir.
“Cheguei a perder a esperança. Não sabia nem se ele estava vivo", conta Dona Nilma.
Filho de pais separados, Claudio ainda era um recém-nascido quando perdeu o contato com a mãe: “Eu queria conhecê-la, queria saber se eu tinha irmãos. Queria saber qual era a vida que eu tinha antes de nascer".
Claudio não tirava da cabeça o seu desejo e quando se viu chegando aos 30 anos sem nenhuma notícia da mãe, foi à Praça da Piedade e fez um apelo na TV: “Por favor, Nilma, minha mãe, eu faço 30 anos como você sabe, nesta sexta-feira, e gostaria muito que você estivesse presente neste dia especial para mim", pediu.
Não foi apenas o melhor presente de aniversário. Depois do reencontro, mãe e filho ganharam uma nova família.
Mais do que um reencontro, a história de Claudio e Dona Nilma é também um exemplo de persistência, diz Josenilda. Com a experiência de quem enfrentou a dor do desaparecimento e morte de sua única filha, ela recomenda: “Nunca desista dos seus sonhos, corra atrás, mesmo que você encontre as portas fechadas, insista. A persistência é a chave. Pode ter certeza que você terá um resultado".

Fonte: Jornal Floripa

Lula deve assinar 30 decretos para regularizar terras quilombolas


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve assinar no Dia da Consciência Negra (20 de novembro), em Salvador, 30 decretos regularizando 342 mil hectares de terras que passarão a pertencer a 3,818 mil famílias quilombolas. A partir dessa decisão, o presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Rolf Hackart, adotará as medidas legais para os processos de avaliação dos imóveis e de indenização dos proprietários. Com isso, as famílias de quilombolas passam a ter acesso a todo território e, posteriormente, ao título de domínio definitivo das terras, que é coletivo e inalienável (não pode ser vendido nem cedido).
Dentre os 30 territórios que serão reconhecidos, sete – Castainho e Conceição das Crioulas, em Pernambuco; Mocambo, em Sergipe; Mata Cavalo, em Mato Grosso; Furnas da Boa Sorte e Furnas do Dionísio, em Mato Grosso do Sul; e Kalunga, em Goiás,– já têm os títulos emitidos pela Fundação Cultural Palmares, mas as posses não foram efetivadas.
É que a fundação não tinha os instrumentos jurídicos e constitucionais para garantir esse direito. Todo o arcabouço legal e constitucional de regularização fundiária e demarcação das áreas quilombolas passou a ser, a partir de 2003, do Incra. Com a demarcação sob a responsabilidade do instituto, o governo federal terá como consolidar esse território étnico brasileiro.
Por se tratar de uma política estruturante de relevância para as comunidades quilombolas, elas também devem ter atenção redobrada de programas como o Bolsa Família, o Minha Casa, Minha Vida, o de Cozinhas Comunitárias e o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).
Serão beneficiadas ainda as seguintes comunidades: Mata de São Benedito, Santa Joana, Piqui e Santa Maria dos Pretos, no Maranhão; Engenho do Bonfim, na Paraíba; Tabacaria, em Alagoas; Lagoa dos Campinhos, em Sergipe; Nova Batalhinha, Jatobá e Lagoa do Peixe, na Bahia; Jatobá, no Rio Grande do Norte; Cafundó e Brotas, em São Paulo; Casca, Rincão dos Martinianos e São Miguel, no Rio Grande do Sul; Lagoinha de Baixo, em Mato Grosso; Colônia de São Miguel e Chácara Buriti, em Mato Grosso do Sul; Retiro, no Espírito Santo; e Preto Fôrro e São José da Serra, no Rio de Janeiro.

Da Agência Brasil
Fonte: Diário de Pernambuco

Britânica se finge de adolescente para flagrar marido pedófilo


Roberts está proibido de se aproximar de menores de 18 anos
Uma dona-de-casa britânica fingiu ser uma adolescente em um site de bate-papo para desmascarar o próprio marido, que ela suspeitava ser pedófilo.


Cheryl Roberts, de 61 anos, entrou no site fingindo ser uma menina de 14 anos e pouco depois foi convidada por seu marido, David Roberts, de 68, para se encontrarem e terem uma relação sexual.
David Roberts, que foi julgado em um tribunal de Cardiff, no País de Gales, admitiu ter realizado "atividades sexuais" na presença de menores, além de produzir e ter posse de imagens ilegais de pornografia infantil.
Ele foi condenado a três anos de uma pena restritiva cujos detalhes vão ser determinados pela corte e incluem a proibição de se aproximar pessoalmente ou online de menores de 18 anos.

Webcam

No julgamento, Cheryl Roberts disse que começou a suspeitar do tempo que o marido estava passando fechado no escritório de casa, principalmente após ver uma mensagem que apareceu na tela do computador quando ele estava fora.
Usando outro computador, ela entrou na mesma sala de bate-papo e fingiu ser uma adolescente.
Ele então passou a paquerar a "garota" sem saber que se tratava de sua própria mulher.
Segundo a promotoria, David Roberts chegou a usar uma webcam para se filmar realizando "atos indecentes".
Cheryl se disse tão chocada com o que viu que decidiu chamar a polícia.
Quando interrogado pelos policiais, Roberts negou ter tido relações sexuais com menores, mas admitiu que "estava pronto para isso".
Relatórios de psiquiatras dizem que ele deve estar sofrendo de algum distúrbio mental que provoca seu comportamento exibicionista.
Os Roberts têm dois filhos e ficaram casados durante quase 20 anos. Agora estão em processo de divórcio.

Fonte: BBC Brasil

Cientistas descobrem como desarmar proteína do câncer


RIO - Cientistas descobriram uma maneira de desarmar uma proteína que seria a causadora da leucemia e de outros tipos de câncer, segundo o site da BBC . A novidade, do Instituto de Câncer Dana-Farber, dos Estados Unidos, publicada na revista "Nature", pode significar uma esperança para novos tratamentos da doença. Outras tentativas anteriores de neutralizar essa proteína, chamada de Notch, fracassaram, o que levou os especialistas a concluírem que drogas não a combateriam.
A proteína Noch tem como função estimular ou inibir o desenvolvimento das células e pode interferir no crescimento de tumores. O gene responsável por formar esta proteína é normalmente danificado ou sofreu mutação nos pacientes com linfoblastoma, um tipo de leucemia. A consequência é que o gene é estimulado o tempo todo, levando ao crescimento incontrolável das células, uma caracaterística do câncer.
Outras anormalidades na proteína Notch também podem causar câncer de pulmão, ovário, do pâncreas e tumores gastrointestinais. Examinando de perto a estrutura da proteína Notch, os pesquisadores conseguiram isolar uma parte mais fraca de sua estrutura. Empregaram então uma técnica para moldar quimicamente pedacinhos da proteína, os chamados peptídeos, numa forma tridimensional específica.
Essas partes modificadas puderam ser absorvidas pelas células e foram capazes de alterar o gene em locais específicos. Depois de desenhar e testar vários peptídeos modificados, os pesquisadores identificaram um capaz de desarmar a função da Notch. A descoberta, testada em ratos, foi capaz de limitar o crescimento das células cancerígenas.


Fotógrafo registra 'poses' de animais selvagens na África


'Leão antes da tempestade' é uma das fotos da mostra - Crédito: Divulgação/Nick Brandt


Imagens de Nick Brandt, que já fez videoclipes para Michael Jackson e Moby, compõem mostra em Paris

PARIS - O fotógrafo britânico Nick Brandt inaugurou em Paris uma mostra que traz "retratos" de animais selvagens da África, como se estivessem posando para as lentes.
As imagens da exposição A Shadow Falls ("Uma Sombra Cai"), foram tiradas a uma curta distância, sem o uso de lentes teleobjetivas e propõem o mesmo estilo dos retratos de humanos feitos em estúdios fotográficos.
O artista mostra os animais de maneira poética, conferindo a eles uma imagem romântica e nostálgica, para alertar sobre o desaparecimento das espécies.
"Não fazemos o retrato de uma pessoa com uma teleobjetiva, a 30 metros de distância, esperando mostrar um pouco de sua alma. Nos aproximamos dela", disse o fotógrafo nascido em Londres.
"Ao ficar tão perto deles, eu acabo tendo uma certa sensação de intimidade, uma conivência com o animal que está a minha frente. Tenho, por vezes, até a impressão de que eles estão fazendo uma pausa, como em um estúdio fotográfico", diz.

Livro
Brandt fotografou animais como leões, leopardos, rinocerontes, elefantes, gnus, girafas e zebras, normalmente com poses "serenas". As imagens, em preto e branco, mostram o céu sempre com nuvens.
As fotos da exposição A Shadow Falls, em cartaz na A. Galerie, integram ainda o livro A África no Crespúsculo, lançado recentemente na França.
"Espero que vocês vejam esses animais como eu os vejo, ou seja, não muito diferentes de nós", afirma.
Imagem registra grupos de babuínos na savana - Crédito: Divulgação/Nick Brandt

O fotógrafo espera pelo momento exato, até ter a sensação de que o animal está posando, "como este velho leão, em uma noite de tempestade, que parece um ator meditando sobre o passado no fim de sua carreira", diz Brandt sobre uma das imagens.
Girafas com pescoços entrelaçados, uma fêmea leopardo com seus filhotes descansando sobre um rochedo ou zebras olhando na mesma direção são alguns dos instantes captados pelo fotógrafo.

Carreira
Antes de iniciar sua carreira de fotógrafo na África, em 2000, Brandt realizou videoclipes para artistas famosos, como Michael Jackson e Moby.
Na avaliação de críticos internacionais, as fotos artísticas de Brandt são bem diferentes das tradicionais imagens de animais publicadas em revistas como a National Geographic, que tem um visual mais voltado para o documentário.
Brandt diz ter percorrido pela primeira vez, em 1995, o trajeto de Nairobi a Arusha, no norte da Tanzânia, passando pelo sul do Quênia, no qual ele afirma ter visto girafas, gazelas, zebras, impalas e gnus.
"Treze anos depois, refiz o mesmo percurso e, durante quatro horas de estrada, não vi nenhum animal selvagem. Eles não migraram para outro lugar, eles desapareceram", disse.
"Estas fotos são meu poema para um mundo que está desaparecendo tragicamente", afirmou.
A mostra A Shadow Falls pode ser vista até 15 de janeiro de 2010 em Paris.

Manada de gnus atravessa rio na África - Crédito: Divulgação/Nick Brandt


Fonte:BBC Brasil

Folha Online

Professora é demitida após colocar fita crepe em boca de aluno


Uma professora foi demitida sob acusação de tapar a boca de um menino de quatro anos e de prender seus braços com fita crepe em plena sala de aula. O caso aconteceu numa escola particular de Sete Lagoas (79 km de Belo Horizonte), no final de outubro.
Pedagogia a distância tem mais candidatos que curso da USP
Reitor eleito da USP tem quatro diplomas de graduação
Advogados de Geisy pedem acesso a sindicância
Elaine Aparecida Batista, 26, a professora envolvida, é recém-formada em pedagogia e começou a dar aulas na escola no início deste ano, após um ano como ajudante.
A demissão foi efetivada ainda em outubro pela direção do Centro Educacional Mundo Encantado. A Folha não conseguiu localizar a professora Elaine para comentar o episódio.
Dias após o incidente, a mãe da criança decidiu tirá-la da escola e processar a professora e a escola por danos morais. Até a noite de ontem, a mãe não tinha ligado de volta para a reportagem.

Xingamento
A diretora da escola, Maria da Consolação Machado, afirma que a fita usada pela professora não tinha aderência forte.
De acordo com ela, a professora alegou que o menino a estava xingando e, então, decidiu tapar-lhe a boca utilizando fita crepe.
O garoto, de acordo com a versão da diretora, tirou a fita da boca. Com isso, a professora, além de voltar a fechar a boca da criança, prendeu os seus braços para trás, também com a fita.
O menino, ainda segundo a diretora, conseguiu se soltar em seguida. Outras 12 crianças presenciaram a ação, segundo a escola.

Outro lado
Em nota, o colégio afirma que os profissionais da escola passam por "rigorosa avaliação, tanto pessoal quanto profissional".
No caso da professora envolvida, a nota relata que não foi constatado nada que desabonasse sua conduta durante seu período de testes. A nota ainda classifica o caso como um "lamentável e censurável incidente".
A direção da escola também afirma que, após o episódio, o menino continuou frequentando as aulas no estabelecimento, com acompanhamento psicológico. O centro educacional, fundado há 20 anos, tem 230 alunos, do maternal à quarta série. A mensalidade cobrada é de cerca de R$ 300.


Cientistas criam mosquitos geneticamente modificados contra malária


Cientistas americanos informaram nesta quinta-feira (12) ter criado os primeiros mosquitos geneticamente modificados com organismos capazes de destruir o Plasmodium falciparum, protozoário responsável pela transmissão da malária.
A infecção pode incidir no homem e em outros mamíferos, assim como em aves e anfíbios, transmitida por picadas de mosquitos do gênero Anopheles, que possui cerca de 50 espécies.
"São os primeiros mosquitos geneticamente modificados resistentes ao parasita graças a uma modificação de seu sistema imunológico", felicita-se George Dimopoulos, professor de microbiologia molecular e de imunologia no JHMRI, Instituto de Pesquisa sobre o Impaludismo da Universidade Johns Hopkins em Baltimore (Maryland, leste), que dirige a equipe de estudiosos.
Mais de 300 milhões de novos casos são diagnosticados a cada ano no mundo e cerca de um milhão de pessoas morrem vítimas da doença, principalmente crianças da África, diz um comunicado.
Até agora, os cientistas criaram dois grupos de mosquitos geneticamente modificados. Nos do primeiro grupo, o gene que provoca a destruição do Plasmodium foi ativado no tecido intestinal do inseto, onde inicialmente se instala o parasita.
No segundo grupo de mosquitos, a modificação genética desencadeou uma reação no sistema imunológico contra o Plasmodium atingindo um órgão do parasita que desempenha o papel de fígado.


Estudantes suspeitos de envolvimento em trote violento são proibidos de se formarem na Unitau



Dois estudantes de medicina da Universidade de Taubaté foram impedidos de se formarem. A proibição, por parte da Unitau, aconteceu porque eles são suspeitos de envolvimento em trotes violentos.

Entre tantos formandos com becas e diplomas nas mãos, dois estudantes de medicina, que preferem não se identificar, não puderam colar grau. Eles fazem parte do grupo acusado de aplicar trote violento em calouros no início do ano.
O caso aconteceu em fevereiro quando alunos do primeiro ano teriam sido obrigados, entre outras coisas, a sentarem em água suja, ficarem de joelho por muito tempo e dirigir perigosamente pela via Dutra. Após uma sindicância interna, a Unitau identificou nove responsáveis pelos abusos. Eles foram punidos com suspensão de dois meses.
A defesa dos estudantes recorreu na Justiça e como ainda não há uma decisão final sobre o processo, o advogado contesta a medida adotada ontem pela universidade.
"É uma matéria 'sub judice'. Ninguém pode ser condenado se não existe nenhuma prova. E, no caso presente, não existe nenhuma prova material, nem a prova testemunhal, nenhuma prova sequer contra nenhum dos estudantes. não só dos dois, como dos demais", diz o advogado Décio Azevedo.
Segundo a Unitau, as últimas decisões na justiça mantiveram a suspensão dos alunos. Nessas condições, eles não podem participar de nenhuma atividade acadêmica. Por isso, foram impedidos de colar grau. Ainda de acordo com a Unitau, caso os alunos consigam na justiça anular a suspensão, poderão colar grau normalmente. Mas, para isso, deverão repor as aulas perdidas.


Verbratec© Desktop.