sábado, 16 de janeiro de 2010

JUSTIÇA TARDIA É JUSTIÇA NEGADA


O caso de Sean Goldman proporcionou um suculento espetáculo de tudo que está errado na justiça brasileira.

Um menino é levado pela mãe a seu país. A mãe comunica que se está se divorciando. O pai tenta negociar amistosamente o retorno do filho ou ao menos alguma rotina de visitação e compartilhamento em férias. Passadas quatro semanas, fica sabendo que existe um pedido de divórcio na justiça brasileira. Imediatamente comunica o fato às cortes americanas que fazem saber à justiça brasileira que a Convenção de Haia sobre os Aspectos Civis da Abdução de Crianças foi violada. Pela convenção a criança deve ser repatriada para em seis semanas para que se discuta no país de residência como deverá ser a custódia.
O pai passa quatro anos e meio ou mais batalhando, respeitando o conselho de não conduzir um alarido na imprensa, até que, apesar do falecimento da mãe ainda lhe é negada a posse do filho.
A justiça brasileira fica aceitando contestações que jamais deveriam ser aceitas porque o assunto está coberto por uma Convenção Internacional ratificada pelos dois países. Os anos passam, o pai tem ganho de causa nos muitos processos, tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos, alegações da família brasileira são contestadas e comprovadas como sendo falsas. Não interessa. A posse da criança e o poder econômico superior da família brasileira, assessorada pelo advogado, agora genro fazem o tempo passar, e com o passar dos anos alega-se que a criança agora sofreria ao ser arrancada do (Salve, salve Pátria Amada Brasil!) país, já que passou metade da sua vida aqui, naturalmente como abduzido.
(Recomenda-se ler a carta de Ricardo Zamariola Jr. advogado de David Goldman (http://bringseanhome.org/rz1.html) em contestação à carta de João Paulo Lins e Silva (http://bringseanhome.org/jpls.html) assim com a carta da advogada PatriciaAppy(http://bringseanhome.org/apy.html) advogada de Goldman nos Estados Unidos.
Estas três cartas são uma “tour de force” sobre o assunto. Apontam para uma verdadeira conspiração dos prepotentes. Zanariola inclusive cita posições absolutamente contrárias àquelas adotadas contra David em um outro processo de repatriação da criança de um italiano, em que o pai é representado pelo escritório Lins e Silva, sendo o Dr. Paulo Lins e Silva uma reconhecida e merecida autoridade internacional nestes assuntos. É de espantar que não manifeste vergonha ante as atitudes do filho.
Agora, tendo Sean embarcado graças à atitude de Gilmar Mendes, também um homem versado em direito internacional, chovem críticas na Globo. Mas como David estava pastoreando o filho escada do avião acima. Olha o NBC emprestando o avião (Queriam o que? O pai não tem grana para alugar um jato. Queriam a criança num vôo comercial cheio de jornalistas?).
Aliás, tenho monitorado a NBC. Ela tem se comportado com louvável discrição. Muito mais do que a imprensa internacional que foi a Cuba registrar a chegada de Elián Golzalez. Provavelmente David foi bem assessorado quanto ao que autorizava ou não.
Mas chama a atenção que este caso é similar ao de corruptos elegíveis. Empurram-se os processos com a barriga até que se esteja ate fatos consumados. Os acusados, com centenas de processos estão eleitos. Os processos ficam suspensos e prescrevem.
Provavelmente a avó predadora e o advogado cúmplice esperavam controlar Sean Goldman e fazer sua lavagem cerebral contra o pai até 2018 quando ele teria 18 anos.
Não creio na hipótese de amor neste caso. Parece mais o caso de uma pessoa dominadora e controladora que não aceita que qualquer pessoa de sua família escape às suas garras. Possivelmente começando pela filha quando esta morava nos Estados Unidos.

Ralph J. Hofmann


Exploração sexual de crianças e adolescentes na Copa e Olimpíadas: não queremos o Brasil nesse pódio


Organizações e especialistas que atuam na área de defesa dos Direitos da Infância mostram a preocupação de que o volume de turistas possa incrementar o trabalho infantil e a exploração sexual de crianças e adolescentes

Por: Denise de Quadros

Em um intervalo de pouco mais de seis anos, o Brasil vai receber os dois mais importantes eventos esportivos mundiais: a Copa do Mundo de Futebol (2014) e as Olimpíadas do Rio de Janeiro (2016). Há grandes expectativas de que os dois eventos mobilizem a economia, gerem milhares de empregos e aqueçam a indústria do turismo.
As estimativas do Ministério do Turismo são de que a Copa do Mundo deve trazer ao país entre 500 mil a 600 mil turistas. Já as Olimpíadas do Rio devem gerar um fluxo de visitantes ao Brasil cerca 15% maior em 2016 em comparação com o número de turistas do ano anterior.
Por trás desta euforia, há uma séria preocupação das organizações e de especialistas que atuam na área de defesa dos Direitos da Infância: que o enorme volume de turistas possa representar um risco maior para crianças em situação de vulnerabilidade, com o incremento do trabalho infantil e da exploração sexual de crianças e adolescentes.
Esta preocupação tem fundamento. Organizações internacionais que se dedicam ao enfrentamento da violência sexual contra meninos e meninas relatam, a partir de estudos e relatórios oficiais, que Copas e Olimpíadas anteriores registraram um preocupante crescimento de casos de desrespeito aos direitos humanos de crianças e adolescentes.

Confira mais infdormações aqui : Andi
Foto: Tarso Sarraf - Olhares.com

Brasil tem 38% da população indígena vivendo na pobreza


RIO - Dos 750 mil índios - números do Censo de 2000 -, cerca de 285 mil (38%) vivem em extrema pobreza no Brasil. Os dados fazem parte do primeiro relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) apresentado nesta quinta-feira, no Centro de Informações das Nações Unidas para o Brasil (Unic-Rio), sobre a situação dos povos indígenas. Segundo o documento, dos 370 milhões de índios (cerca de 5% da população) existentes no mundo, 300 milhões deles estão na mesma situação. Isso corresponde a um terço dos 900 milhões dos miseráveis do planeta.
O relatório "A situação dos povos indígenas do mundo" foi produzido pelo Secretariado do Fórum Permanente sobre Questões Indígenas das Nações Unidas e divulgado simultaneamente no Rio de Janeiro, Nova York, Bruxelas, Canberra, Manila, México, Moscou, Pretoria e Bogotá.
De acordo com os analistas da ONU, a expectativa de vida da população indígena chega a ser 20 anos inferior à média nacional em alguns países, como Nepal e Austrália. Os motivos, aponta o estudo, ocorre devido à pobreza e à falta de acesso à saúde e educação. Por conta disso, diversos povos indígenas enfrentam sério risco de extinção.
- No Brasil, a situação mais grave é no Mato Grosso do Sul por causa dos conflitos de demarcação das terras. É o estado mais violento. Recentemente, dois índios foram assassinados em decorrência dessas demarcações - revelou Marcos Terena, articulador dos direitos dos índios no Comitê Intertribal - Memória e Ciência Indígena (ITC) e membro da Cátedra Indígena Itinerante.
Diante do quadro revelado pela ONU, diversos povos indígenas enfrentam risco de extinção. Além disso, o documento afirma que, em cem anos, 90% de todos os idiomas indígenas - entre seis e sete mil no mundo, sendo 180 no Brasil - devem desaparecer.
- A situação crítica é pobreza, analfabetismo e indígenas, que não são reconhecidos pelos seus governos em algumas regiões do mundo africano, asiático e até mesmo árabe. Os índios são excluídos do poder econômico e político, como acontece no Brasil. Um índio não consegue ser presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio) - criticou Marcos Terena.

Taxa de suicídios 19 vezes maior que a média brasileira

Na América Latina, as taxas de pobreza dos índios são sempre superiores às do restante da sociedade: no Paraguai, ela é 7,9 vezes maior; no Panamá 5,9 vezes maior; no México 3,3 vezes maior; e na Guatemala 2,8 vezes maior. A ONU cita que, entre 2000 e 2005, a taxa de suicídios entre os índios guaranis foi 19 vezes maior do que a média brasileira.
- A situação dos Kaiowá resume os principais problemas indígenas do Brasil. Desnutrição, suicídio, alcoolismo, desemprego, falta de terras e violência - disse Marcos Terena.

- O Brasil tem avançado. O problema é transformar as leis em políticas públicas concretas. As políticas públicas, hoje, são muito atrasadas - disse Giancarlo Summa, diretor do Unic-Rio.

Presidente da Funai fala em melhorias

Em Brasília, o presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Márcio Meira, disse que o relatório foi elaborado com a cooperação do governo brasileiro e que muitos dos pontos preocupantes fazem parte do diagnóstico do governo sobre a situação indígena no país.
Meira disse que muitos indicadores já estão melhorando, como o de mortalidade infantil:
- Estima-se que o Censo do IBGE deste ano revele uma população de mais de um milhão de índios, comparada com os 730 mil medidos em 2000. O crescimento entre os índios é cinco vezes maior que na população geral. Estamos em um período de queda da mortalidade e aumento da população.
O relatório da ONU destaca ainda que no Brasil, Bolívia e Chile, mais da metade da população indígena vive em áreas urbanas. Só no Brasil existem 12 povos indígenas isolados, sem contato com outras sociedades. Outro obstáculo é a desnutrição, duas vezes mais comum em crianças indígenas do que as não indígenas. Em Honduras, 95% das crianças menores de 14 anos sofrem com o problema.
O documento revela ainda que, durante as três últimas décadas na Colômbia, milhares de pessoas indígenas foram deslocadas devido à atividade militar do Estado ou a presença de grupos armados envolvidos com o cultivo e o tráfico de drogas. Isso gerou o aumento das populações refugiadas nos países vizinhos como o Brasil, Equador, Panamá, Peru e Venezuela.
O estudo mostra que os índios possuem níveis desproporcionais de mortalidade infantil e materna, desnutrição, doenças cardiovasculares, HIV, entre outras, como malária e tuberculose.

Globo.com
Foto: Adriana Alves Brier - Olhares.com

Um alerta sobre castigos físicos



Célio da Cunha
Castigos físicos: o alerta da CIDH

O recente Relatório da Comissão Interamericana de Direitos Humanos sobre castigos corporais de crianças e adolescentes, embora pouco noticiado pela imprensa, deveria ser objeto de profundas reflexões, não somente dos estudiosos e pesquisadores da infância, como também dos poderes constituídos do país. Informa esse documento que o castigo corporal está presente na maioria das regiões do mundo e que, no âmbitos do países que integram a Organização dos Estados Americanos, somente em três países – Uruguai, Costa Rica e Venezuela – eles foram formalmente abolidos. Informa ainda que apenas 2% das crianças do planeta e 42% dos estudantes da escola básica estão protegidos.
Esses dados, se os contextualizarmos no marco de um novo milênio que tem por meta universalizar a cidadania e à luz de inúmeros instrumentos internacionais que foram aprovados como desdobramento da Declaração Universal dos Direitos Humanos, conduz-nos a uma questão de principio: será que estamos fracassando? Essa pergunta foi feita também por ocasião de uma conferência da Unesco realizada há alguns anos, em Genebra, para discutir um dos pilares fundamentais e indispensáveis ao nosso tempo, –o aprender a conviver juntos – recomendado pelo relatório mundial de educação coordenado por Jacques Delors. As reflexões e as respostas não foram conclusivas.
Todavia, se como aponta o relatório da CIDH, somente 24 países no mundo proíbem formalmente os castigos corporais, deve-se admitir que os avanços, se se admite que existam alguns, estão sendo extremamente lentos, colocando em risco o itinerário de vida de milhões de crianças e jovens que são vítimas de castigos físicos, tanto em suas famílias, na escola ou em inúmeras outras situações da sociedade.
Em 2008, a Unesco editou no Brasil uma obra organizada por Stuart N.Hart, Presidente do Comitê das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança, que mostra em um de seus capítulos, as implicações dos castigos corporais para o comportamento e o desenvolvimento da criança. Uma das conclusões afirma que em estudos naturalísticos, longitudinais e observacionais, descobriu-se que o castigo corporal é regularmente preditor de inúmeros resultados negativos e perniciosos, entre eles, destaca-se o de estar associado à agressividade, solapamento das relações entre pais, mães e filhos e pode desencadear violências graves.
Nessa direção, uma das recomendações do Relatório da CIDH não pode deixar de ser considerado pelas autoridades, notadamente quando afirma que o uso de castigo corporal como método de disciplina imposto a crianças e adolescentes ou quando tolerados pelo poder público, configura-se como uma forma de violência que vulnera e fragiliza a dignidade das pessoas. A permanecer essa situação, o próprio preceito constitucional de desenvolvimento integral das pessoas estará prejudicado.

Clipping do Andi
Foto: João Sargo - Olhares.com

Uso de crack cresce em Bauru e casos de esquizofrenia triplicam


Em cinco anos, triplicou o número de pacientes com distúrbios mentais associados à droga atendidos pelo Caps-AD

Nos últimos anos, disparou o número de casos de esquizofrenia relacionados ao uso intenso e prolongado de entorpecentes. E nos últimos cinco anos, triplicou a quantidade de pacientes com distúrbios mentais associados às drogas atendidos pelo Centro de Atenção Psicossocial a Usuários de Álcool e Drogas (Caps-AD) de Bauru.
Na maioria das situações, os distúrbios estão relacionados ao uso crônico do crack. Atualmente, o Caps-AD vem atendendo a 30 pacientes nessa situação. Em 2004 eram apenas cinco. “É desesperador. O grupo aumentou muito, e a cada dia chegam mais e mais pessoas”, diz a fonoaudióloga Érika Paez, que atua no local há mais de 15 anos.
O psiquiatra Sérgio Sato explica que o crack costuma funcionar como um “gatilho” que desencadeia a esquizofrenia nos indivíduos que já possuem uma tendência latente de desenvolver o distúrbio. Há casos, também, de usuários que não tinham predisposição ao transtorno, mas acabaram desenvolvendo o problema em decorrência do uso crônico da substância.
“O crack afeta no cérebro a área da observação, que permite aos seres humanos se comunicarem. O uso intenso e prolongado do entorpecente pode fazer com que a pessoa perca a capacidade de compreender as coisas ao seu redor. Ela passa a viver sob a influência de um meio subjetivo doentio”, afirma.
A esquizofrenia (do grego “phrenés”, que em português significa “dividir”) é um transtorno que costuma manifestar-se em adolescentes a partir dos 16 anos de idade. “Em geral, são indivíduos muito inteligentes e ao mesmo tempo bastante retraídos socialmente”, explica Sato.
Tais características são denominadas pelos especialistas de “personalidade pré-mórbida”. As causas para o distúrbio seriam genéticas, mas pesquisadores divergem quanto a essa hipótese. Na medida em que a pessoa com tendências esquizofrênicas fica mais velha, os sintomas podem se aprofundar: ela fica ainda mais retraída e se isola do restante do mundo; além disso, passa a ter ideias mirabolantes, porém sem nexo algum.
Se nada for feito para frear esse processo, a tendência é que o indivíduo comece a ouvir vozes no interior de sua cabeça. Na maioria das vezes, tais alucinações têm um tom ofensivo ou mesmo persecutório (colocam em dúvida a sexualidade da pessoa, incitam-na a atentar contra a própria vida etc).
Na metade do ano passado, o bauruense Gabriel (nome fictício), 22 anos de idade e usuário de crack, começou a sofrer alucinações. “Eu ouvia uma voz feminina na minha cabeça. Parecia um desses ‘radinhos’ a pilha”, afirma o rapaz. A mulher que atormentava a mente do rapaz com palavras ofensivas se chamaria Natália.
Em outubro, a situação de Gabriel se agravou ainda mais. “Meu filho já não dormia. Ele acordava chorando no meio da noite, reclamando das vozes. Quando via TV, ficava dizendo que estava dentro do aparelho e ainda se zangava comigo porque eu não conseguia enxergá-lo na tela”, conta a mãe do jovem.
Às vezes, durante as crises, Gabriel se desesperava e saía correndo pela rua, aos gritos. “Ele permanecia apontando para o céu e dizendo que a mulher da voz estava escondida na estrela”, relata a mãe. Numa ocasião, ele tentou se matar com uma faca de cozinha. “Foi horrível. Passei um mês sem pregar os olhos, pois precisava ficar atenta para que ele não fizesse nenhuma besteira”, afirma.
Um outro paciente atendido pelo Caps-AD, de 26 anos de idade e também usuário de drogas, além de atentar contra a própria vida, tentou assassinar a irmã com uma faca. Aos 12 anos, ele fumava maconha. Dois anos depois, já bebia com frequência. Há cerca de um ano, teve sua primeira experiência com crack, fato que desencadeou os distúrbios psíquicos atuais.

Pais não sabem

Tanto no caso de Gabriel quanto no do jovem de 26 anos, os pais não faziam ideia de que os filhos estavam envolvidos com entorpecentes. “Só fui saber que ele usava drogas no dia em que o trouxe para a primeira consulta no Caps-AD”, afirma a mãe.
De acordo com Érika Paez, a situação é mais frequente do que imagina o senso comum. “Muitas vezes, a família nem imagina que o filho foi buscar ajuda especializada contra as drogas”, afirma. Hoje em dia, Gabriel faz tratamento com medicamentos antipsicóticos. Ele já não ouve vozes, porém, apresenta alguns efeitos colaterais em decorrência do uso da medicação.
Suas pernas balançam de maneira involuntária a todo instante, e ele apresenta certa dificuldade para expressar suas ideias. Gabriel ainda não tem condições de trabalhar ou morar sozinho. Somente aos poucos ele poderá ser liberado da medicação.


• Serviço

O Caps-AD funciona na rua Cussy Júnior, 12-27, Centro. Mais informações sobre o tratamento oferecido aos dependentes químicos podem ser obtidas pelo telefone (14) 3227-3287.

Rodrigo Ferrari
Jornal da Cidade de Bauru

Procuradora pede a suspensão da cirurgia experimental que promete curar diabetes

AUREO E DALIANA
O médico (à esq.) diz que não faz cirurgia ilegal. Sua paciente (à dir.) diz que foi enganada e prejudicada. Outras 11 famílias dizem o mesmo e buscam justiça
O médico Aureo Ludovico de Paula terá de se defender na Justiça Federal da acusação de usar pacientes como "vítmas/cobaias" de técnicas experimentais

O médico Aureo Ludovico de Paula tornou-se conhecido por realizar operações que prometem curar o diabetes. Agora, terá de se defender na Justiça Federal da acusação de praticar em seres humanos técnicas experimentais de medicina. Segundo a Procuradoria Federal de Goiás, suas técnicas teriam levado à morte pelo menos sete pessoas. A acusação contra ele foi apresentada na semana passada pela procuradora federal Léa Batista de Oliveira. Num documento de 39 páginas, ela se refere aos pacientes de Aureo como “vítimas/cobaias” e termina com o pedido de suspensão imediata da técnica cirúrgica conhecida como interposição ileal. Aureo pratica a técnica experimental de forma não regulamentada. Operou gente famosa, como o apresentador de televisão Fausto Silva e o senador Demóstenes Torres. A procuradora também acusa o Conselho Regional de Medicina de Goiás de omissão diante das ações do médico.
Um despacho assinado na quinta-feira pelo juiz Urbano Leal Berquó Neto, da Justiça Federal de Goiás, intima Aureo e o CRM de Goiás a se manifestarem sobre as acusações em 72 horas. Na mesma quinta-feira, o CRM de Goiás recebeu uma denúncia coletiva contra o médico por “cirurgia experimental clandestina, ilegal e imoral em seres humanos”. A denúncia foi apresentada por seis pessoas (quatro delas parentes de pacientes mortos) e pede interdição imediata do médico e cassação de sua licença ao final do processo. “São várias pessoas contra o mesmo médico, com a mesma queixa. Nunca vi nada assim”, diz o advogado Marcelo Di Rezende, que apresentou a denúncia.
Em entrevista a ÉPOCA, Aureo queixou-se de que não teve acesso às acusações contra ele. Afirmou que dispõe de farta documentação científica em sua defesa. “O que eu faço não é ilegal nem experimental”, afirma. “É uma revolução que já beneficiou mais de 700 pacientes. Só estão olhando para um lado da história.”
Aureo tornou-se conhecido em 2007, quando uma revista semanal dedicou reportagem de capa ao método cirúrgico que ele pratica. A revista estampou uma maçã do amor na capa e a chamada “Cura do diabetes: a esperança está numa cirurgia”. O médico operava em vários hospitais, inclusive no conceituado Albert Einstein de São Paulo. Segundo a denúncia da procuradora, cobrava caro por seu trabalho – ainda que a cirurgia não fosse regulamentada e tampouco seguisse o protocolo exigido por lei para tratamentos experimentais. Entre outras restrições, o protocolo proíbe a cobrança de honorários.
Em julho do ano passado, uma de suas pacientes, Daliana Kristel Gonçalves Camargo, apresentou queixa contra Aureo na Procuradoria Federal de Goiás. Disse ter sido usada como cobaia involuntária de uma experiência médica que resultara em danos gravíssimos a sua saúde. A família pagou R$ 28 mil e ela foi submetida sem seu conhecimento à interposição de íleo, embora não fosse diabética. Hoje tem uma fístula (um buraco) no estômago que a impede de comer ou tomar líquidos. Daliana se alimenta por sonda. A Procuradoria de Goiás reuniu 11 famílias com reclamações semelhantes contra o médico. Em novembro do ano passado, o Conselho Nacional de Saúde considerou ilegal a técnica cirúrgica oferecida por ele. Agora o assunto está nos tribunais.
IVAN MARTINS


Pinturas com a boca e os pés



As pinturas vistas neste vídeo, foram feitas com a boca e com os pés, numa prova de fé, perseverança e amor.
Os Pintores com a boca e os pés, são pessoas iluminadas que apesar de suas deficiências físicas, resolveram ser úteis e não depender de caridade, e incentivam os deficientes como eles, a erguer a cabeça e seguir em frente de acordo com a vontade de Deus.
Com suas pinturas feitas segurando o pincel com a boca ou com os dedos dos pés, conseguem sustentar suas famílias.
Suas obras já estiveram expostas no Brasil e no mundo, e foram adotadas como inspiração para muitas pessoas.

Homem é preso acusado de matar e ocultar corpo da mulher em freezer em SP


Prisão ocorreu depois de a polícia de Osasco receber denúncia.
Suspeito alegou legítima defesa para cometer o crime.

Um homem foi preso na tarde de sexta-feira (15) acusado de matar a esposa e de manter o corpo dela em um freezer dentro de casa, na Rua Quero Quero, em Osasco, na Grande São Paulo, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública.
A polícia recebeu uma denúncia de assassinato e, ao chegar ao local, vizinhos já estavam agredindo o suspeito, de 45 anos. O corpo da vítima foi encontrado em posição fetal congelado. Em depoimento à polícia, o acusado disse que matou a mulher asfixiada em legítima defesa. Segundo ele, a esposa ameaçava matá-lo envenenado.
A polícia não encontrou vestígios de sangue e nem de lesões no corpo. No entanto, por ainda estar congelado, não pode ser removido para que a identificação fosse feita. Preso em flagrante, o homem foi encaminhado a um Pronto Socorro, para receber atendimento médico, antes de ser encaminhado à cadeia pública da cidade. O caso foi registrado no 10º DP de Osasco.


Gangue aterroriza Grajaú


Jovens de quatro bairros marcam briga pela Internet, espancam adolescente de 15 anos que passava pelo local e promovem quebra-quebra nas ruas próximas à Praça Edmundo Rêgo

Rio - Pelo menos 100 jovens de classe média, usando roupas de grife, ligados a gangues de quatro bairros — Méier, Cachambi, Lins de Vasconcelos e Engenho Novo —, espalharam pânico, violência e vandalismo em cinco ruas do Grajaú, na Zona Norte, na noite de quinta-feira. Segundo a polícia, eles marcaram, por sites de relacionamentos da Internet, um confronto na Praça Edmundo Rêgo com rapazes que moram no bairro, mas que acabaram não comparecendo porque começou a chover.
Por volta de 20h30, irado, o bando, armado com pedras, pedaços de paus com pregos, morteiros, bombas de fabricação caseira e socos ingleses, se dividiu em vários grupos e, gritando palavras de ordem, passou a depredar carros, lixeiras, canteiros e luminárias. Algumas pessoas foram agredidas, entre elas, um adolescente de 15 anos, que foi roubado e espancado. Parte do comércio do bairro fechou as portas. Vinte e quatro agressores, entre eles nove menores, foram detidos por policiais do 6º BPM (Tijuca), acionados por moradores apavorados.
“Moro há 20 anos aqui e nunca tinha visto algo parecido. A invasão parecia coisa de filme. Ficamos aterrorizados com os gritos. A impressão que dava é que invadiriam os prédios também”, disse o aposentado J., de 67 anos. Da janela de seu apartamento, J. viu A., 15, ser violentamente espancado no meio da rua.
“Tinha saído para comprar pão e, de repente, percebi cerca de 60 pitboys correndo em minha direção, aos gritos de ‘é ele, é ele’. Por uns três minutos, levei chutes, pontapés e pauladas. Me salvei porque os PMs chegaram, e eles saíram correndo, levando um cordão de ouro”, contou A.. Com escoriações e cortes na cabeça, ele teve de ser medicado no Hospital do Andaraí.

Acusados foram liberados
Depois de depor, os acusados foram liberados. O delegado Marco Castro os autuou por crime de rixa. O caso será levado ao Juizado Especial Criminal e à Vara da Infância e da Juventude. As penas costumam ser convertidas em medidas socioeducativas e distribuição de cestas básicas a entidades carentes. Se a prefeitura registrar a destruição de lixeiras, os acusados podem responder por dano a patrimônio público.

Francisco Édson Alves e Charles Rodrigues


Pedófilo geria site para crianças na internet

Um pedófilo condenado pela Justiça britânica trabalhou como administrador de um dos principais sites de educação do país, após mudar de nome, segundo informações obtidas pela BBC.

Na semana passada, Samuel Kinge, de 28 anos, antes conhecido como Daniel Kinge, foi preso pela segunda vez por baixar imagens de crianças sendo abusadas sexualmente e vai cumprir pena de 12 meses de detenção.
Até então, ele trabalhava como administrador do site Sparklebox, usado por milhares de escolas e que dá dicas a pais e oferece informações sobre educação.
O site foi bloqueado em algumas regiões depois que funcionários de segurança da internet descobriram que Kinge estava por trás dele e que casos de "interatividade preocupante" teriam sido detectados.

Sistemas de monitoramento
O caso veio à tona semanas depois de o governo britânico ter facilitado os sistemas de verificação prévia à contratação de funcionários e voluntários em escolas do país.
Funcionários de segurança da internet afirmaram à BBC que o site lhes chamou a atenção depois que foram publicados um blog e fotos de crianças.
Isso levou as autoridades a bloquear o acesso ao site no sudoeste da Inglaterra.
"Fomos alertados ao problema pela primeira vez em meados de 2009 quando o nosso sistema de monitoramento e filtragem revelou que o website Sparklebox apresentava problemas potenciais", afirmou David Wright, do Learning Trust.
Kinge já tinha cumprido pena de nove meses de prisão em 2005 por baixar da internet imagens de abusos de crianças. Na época, trabalhava para a escola de Warwickshire.
Em fevereiro de 2005, o pedófilo conseguiu na Justiça o direito de usar a internet, sob o argumento que sem isso, ele não teria chance de obter praticamente nenhum tipo de emprego.
Agora, pelos próximos 15 anos, Kinge só poderá usar computadores monitorados pela polícia.


Com medo da violência, médicos abandonam sobreviventes de terremoto no Haiti e levam suprimentos


RIO - Vítimas do terremoto que destruiu a capital do Haiti na terça-feira foram abandonadas por médicos e enfermeiras em um hospital improvisado na sexta-feira depois que funcionários das Nações Unidas ordenaram a evacuação do lugar por motivos de segurança. O único que permaneceu foi o médico correspondente-chefe da emissora americana CNN, Sanjay Gupta. Ele cuidou das necessidades dos 25 pacientes, mas sem suprimentos não havia muito o que fazer, e pacientes continuavam a chegar. No cenário de calamidade que toma conta do Haiti, o controle operacional de serviços elementares à população estão a cargo de países estrangeiros e a entidades de ajuda internacional.
- Nunca estive numa situação dessas. Isso é completamente ridículo - disse Gupta.
Com uma carência de serviços médicos na capital haitiana, ambulâncias não tinham outro lugar para onde levar os pacientes, alguns deles com ferimentos graves - amputações e ferimentos na cabeça. Outros tinham perdido muito sangue e não havia estoque para transfusões.
Ao longo da noite, Gupta disse que alguns talvez não chegassem vivos à manhã do dia seguinte.
De acordo com Gupta, os médicos belgas que estavam no local não queriam deixar os pacientes, mas receberam ordem das Nações Unidas para o fazer e ônibus foram enviados ao local para transportá-los.
- Existe uma preocupação com tumultos não longe daqui - e isso é parte do problema - disse Gupta. - O que é impressionante para mim como médico é que pacientes que recém tinham passado por cirurgia, pacientes que estão em estado grave, estão sendo deixados sozinhos, sem ninguém para se importar com eles.


Fabricante faz recall de Tylenol no mundo



Pela vez em menos de um mês, a Johnson&Johnson fez recall de medicamentos como o Tylenol.

A medida, tomada depois de o cheiro mofado fazer usuários ficarem doentes, inclui 500 lotes – nenhum deles teria chegado ao Brasil, segundo a empresa.
O recall inclui lotes regulares e extras de Tylenol, Tylenol infantil, Tylenol de oito horas, Tylenol para artrite, Tylenol PM, Motrin para crianças, Motrin IB, Benadryl Rolaids, Simply Sleep e a aspirina St. Joseph. Lotes de produtos vendidos nas Américas do Norte, Central e do Sul, nos Emirados Árabes Unidos e nas Ilhas Fiji também foram incluídos no recall.


EPTV.com traz série sobre a saúde do homem


São 3 reportagens a partir deste domingo (17)

O EPTV.com traz, neste e nos próximos dois domingos, uma série com três reportagens sobre a saúde do homem. O tema volta a ficar em evidência a partir deste ano, quando o governo federal lança uma política nacional voltada ao assunto.
O homem, guerra dos sexos à parte, vive até sete anos a menos que a mulher. O medo e o preconceito que o impedem de visitar o médico com mais freqüência são as principais causas. Este é o tema da primeira reportagem, do jornalista Edison Souza.
No dia 24, as doenças fatais e a importância do diagnóstico precoce. No encerramento da série, no dia 31, a busca pelas academias e outros métodos para manter a saúde.


Polícia investiga dois casos suspeitos de pedofilia no sul de Minas


A polícia investiga dois casos suspeitos de pedofilia em Muzambinho e em Três Corações, no sul de Minas Gerais. Em Muzambinho, um homem, de 33 anos, foi preso, nessa quinta-feira, porque teria molestado pelo menos cinco crianças com idade entre cinco e oito anos. A denúncia partiu do tio de uma das crianças.
O delegado Sílvio Sergio Domingues disse que já foi instaurado um inquérito policial e tanto as crianças como os pais e responsáveis já foram chamados para prestar depoimento. Na delegacia estão vários materiais que foram encontrados na casa do suspeito, como vídeos pornográficos e brinquedos. O suspeito está na cadeia da cidade.
Em Três Corações, um homem de 27 anos foi detido, na tarde de quinta-feira, por suspeita de tentativa de estupro contra a enteada, de nove anos. O caso aconteceu no Bairro Santo Afonso. Uma pessoa que passava perto da casa ouviu os gritos da menina e o homem foi preso em flagrante.
O Conselho Tutelar foi avisado e a menina foi encaminhada para o Instituto Médico Legal onde foi constatado que ela sofreu violência sexual. O homem está na cadeia da cidade.


Haitianos passam noite nas ruas entre corpos e escombros


Muitos moradores da capital têm medo de retornar às suas casas

Dezenas de milhares de haitianos passaram a segunda noite seguida nas ruas, após o terremoto. Muitos moradores da capital Porto Príncipe desabrigados ou com medo de novos tremores, se agrupavam em lugares abertos para passar a noite, muitos deles próximos a escombros e corpos. A situação na cidade é de desespero, sem sinais de um esforço de resgate coordenado, com suprimentos médicos escassos e com ajuda humanitária apenas começando a chegar. Pessoas, entre elas crianças, dormiram ao lado de corpos em decomposição.
O que mais chama a atenção na cidade, ainda mais que os escombros e a poeira, é a quantidade de corpos sob cobertores por todos os lados.
A busca por sobreviventes sob os escombros entrou madrugada adentro, auxiliada pela chegada de ajuda material e de equipes de resgate enviadas por vários países.
Testemunhas afirmam que muitos tentavam escavar os escombros com as mãos ou com ferramentas simples para tentar encontrar vítimas que possam estar soterradas.
A Cruz Vermelha Internacional estima que até 3 milhões de pessoas tenham sido afetadas pelo terremoto.
O presidente René Preval, que escapou ileso após o desabamento do palácio presidencial, disse não ter uma estimativa oficial do número de mortos, mas que ouviu que eles podem chegar a 50 mil.
O terremoto de magnitude 7 na escala Richter, o pior no país em dois séculos, ocorreu às 16h53 de terça-feira (19h53 de Brasília), com epicentro a apenas 15 quilômetros da capital.
Segundo Roger Searle, professor do Departamento de Ciências Geológicas da Universidade de Durham, na Grã-Bretanha, a energia liberada pelo tremor foi equivalente à explosão de meio milhão de toneladas de dinamite.

Edson Fonseca-Publicado em 14/01/2002


Jornale

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Opinião: Filho mais velho não pode ser responsável pelo irmão mais novo


Ao fazerem isso, pais exigem que o primogênito amadureça antes do tempo.

Quando se tem o primeiro filho, apesar de tudo ser novo e em alguns momentos, assustador, o tempo disponível para a tarefa de cuidar dele é exclusivo. Mesmo assim, é bem-vinda a ajuda de alguém, pois um bebê requer muitos cuidados e, à medida que cresce, precisa ser praticamente vigiado para não se meter em nenhuma enrascada.
Por ser muito trabalhoso, ocupar-se de uma criança pequena também é cansativo. E, se no começo a mãe jura de pés juntos que será a única a trocar as fraldas daquele pequeno ser, com o passar do tempo, a maioria pede ajuda, o que é natural. Dividir os afazeres que a maternidade requer com alguém de confiança, como o pai, que tem, pouco a pouco, colaborado mais, ou uma avó ou uma babá é algo saudável. O que menos uma criança precisa é de uma mãe estressada, cansada e sem paciência para cuidar dela.
Após os primeiros anos, a criança vai se tornando mais independente. Não necessita mais de alguns cuidados: usa o banheiro sozinha, pode tomar um banho ou outro sem ajuda, brinca com amiguinhos ou apenas com seus brinquedos, e não precisa tanto da presença física dos pais para se sentir segura.
Passado o período de maior trabalho, alguns casais decidem por uma outra criança. Já sentem saudade das fraldas. O segundo chega e as coisas são diferentes. A prática faz com que geralmente os casais cuidem do segundo com uma facilidade maior. Sem contar que percebem que não são tão poderosos assim e aceitam de bom grado a ajuda possível.
Até porque, agora são dois. Mesmo o primogênito não necessitando de cuidados tão minuciosos como o bebê, ainda precisa dos pais. No entanto, às vezes surge a sensação de que aquele que chegou antes deixou de ser criança assim que o irmão nasceu. E algumas coisas que eram nele toleradas agora não são mais. Afinal, agora ele é o irmão mais velho e já está grande.

Amadurecimento
Não é bem assim. Provavelmente a mudança de posto na família vai promover seu amadurecimento, o que está longe de torná-lo um pequeno adulto.
Porém, o que se costuma observar é que naquela de solicitar ajuda para cuidar do bebê e vendo o primeiro como um adulto, ele acaba sendo chamado para cooperar. Sem problemas se isso for algo natural, como pegar algo para ajudar a mamãe no banho.
Só que nem sempre param por aí. E ele acaba se tornando o responsável por olhar o menor quando os pais não estão perto. Ora, como uma criança de cinco ou seis anos pode olhar uma de um? Não é seu dever e ela não tem condições para isso. Até porque ela também precisa que cuidem dela para que não faça nada que possa prejudicá-la.
Colocando essa responsabilidade nas costas do mais velho, tiramos seu lugar de filho que inclusive pode dar suas cabeçadas – exigi-se que amadureça antes do tempo. Com isso, colabora-se para que haja animosidade entre eles. Sem contar a culpa que o mais velho poderá vir a sentir caso ocorra algo com o mais novo – provavelmente será cobrado se qualquer coisa der errado. Isso pode acontecer até mesmo quando forem adolescentes e, na balada, o primogênito acaba se tornando responsável pelo mais novo.
A responsabilidade pelos filhos é dos pais e não dos irmãos. Claro que dentro de uma fraternidade todos podem se ajudar, mas não um ser responsável pelo outro. Quando são pequeninos, a responsabilidade pelos seus cuidados é dos pais e seus cuidadores adultos. Na juventude, cada um deve responder pelas coisas que faz


Italiano suspeito de pedofilia é preso em Belo Horizonte


A polícia suspeita que ele faça parte de uma rede internacional de pedofilia

Um italiano suspeito de pedofilia foi preso nesta sexta-feira, no bairro Estoril, região oeste de Belo Horizonte. O homem já era investigado após uma denúncia anônima. Os policiais prenderam Maximo Angelleti, de 44 anos, em flagrante, utilizando um mandado de prisão.
De acordo com a Polícia Civil, foram encontrados, no apartamento do suspeito, fotos e vídeos pornográficos de crianças e adolescentes do sexo masculino. Foram apreendidos, ainda, três computadores, uma máquina fotográfica, dois pen drives, um passaporte e diversos documentos. A polícia suspeita que ele faça parte de uma rede internacional de pedofilia. Ele foi encaminhado para a Delegacia do 4° Distrito e, segundo a polícia, está colaborando com as investigações. De acordo com a Polícia Civil, ele participava de trabalhos voluntários com crianças em países africanos e estava em processo de naturalização.
Para julgar o suspeito, será aplicado o princípio de territorialidade, que significa que ele será submetido às leis brasileiras.
Maximo Angelleti mora há dois anos e três meses no Brasil e tem uma relação estável com uma brasileira. Ele está desempregado, mas já trabalhou em uma empresa italiana no país.


Record exibe documentário da NBC sobre o menino Sean


O programa "Domingo Espetacular", da Record, exibe neste domingo (17) um documentário feito pelo canal de TV americano NBC sobre o reencontro do pai com o garoto Sean, pivô de uma disputa judicial pela sua guarda, que terminou no final do ano passado.
Sean Goldman, 9, é filho de uma brasileira, que morreu no ano retrasado, e do americano David Goldman, que lutava pela guarda definitiva do menino na Justiça brasileira.
O caso comoveu os EUA e ganhou destaque na mídia.
O pai do menino voltou com ele para os Estados Unidos em um avião fretado pela NBC, o que gerou críticas sobre a exposição da criança.
O "Domingo Espetacular" começa às 17h.



Presa mulher suspeita de esfaquear filha de 8 meses em MG



Bebê sofreu um corte na mão e tinha hematomas pelo corpo.
Exames no IML vão determinar se jovem tem transtornos psicológicos.

Uma mulher suspeita de esfaquear a filha de 8 meses foi presa em Belo Horizonte, nesta quinta-feira (14).
A mãe, de 26 anos, ligou para a polícia e disse que tinha cometido o crime. Segundo a polícia, o bebê sofreu um corte na mão e apresentava hematomas pelo corpo.
A mulher está grávida de 3 meses e disse à polícia que tem depressão, transtorno bipolar e escuta vozes que pedem para ela matar a menina.
Ela foi autuada em flagrante por lesão corporal e será submetida a testes no Instituto Médico Legal, que vão determinar se ela tem transtornos psicológicos.
A criança foi encaminhada para o hospital, mas já recebeu alta. De acordo com a Polícia Civil, a criança está sob a guarda do pai.


G1

HAITI, BRASIL E A CATÁSTROFE HUMANITÁRIA.


Nem é preciso falar das gravíssimas ocorrências do início deste ano aqui no Brasil e no Haiti. No inferno sob as águas que algumas de nossas cidades se transformaram até a desolação total e o cenário de guerra em que o Haiti se encontra, temos em comum apenas a solidariedade do povo.
Por isso venho pedir a vocês leitores do Visão Panorâmica que façam doações para as vítimas brasileiras e haitianas através da Cruz Vermelha Brasileira. Uma entidade das mais sérias e que está ao lado do ser humano em suas piores horas.

Para o Haiti você pode doar aqui:
Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) – doações só em dinheiro devido a dificuldade de deslocamento de donativos. Tudo o que for possível comprar será feito com o dinheiro enviado internacionalmente para as unidades da Cruz Vermelha em serviço lá.

Credite qualquer valor (mesmo um simples real) na conta:
Nome: Comitê Internacional da Cruz Vermelha
Banco: HSBC – Agência: 1276 – CC: 14526-84 – CNPJ: 04359688/0001-51

****************************************************

Doações e ajuda de qualquer tipo para socorro e reconstrução de São Luiz do Paraitinga.

Doe aqui:
A cidade de São Luís do Paraitinga, a 182 km da capital paulista, enfrenta a maior tragédia de sua história devido às enchentes que ocorreram na região e deixaram mais de 4 mil pessoas desabrigadas e desalojadas. A Cruz Vermelha Brasileira – Filial do Estado de São Paulo mobiliza-se em uma Campanha de Ajuda Humanitária que prioriza o envio de voluntários e donativos aos afetados no local. As prioridades de doações no momento são alimentos de fácil preparação e consumo, leite longa vida, itens de higiene, limpeza e materiais de Primeiros Socorros. Doações em dinheiro podem ser feitas através do banco Itaú, número 341, agência 6480, conta corrente 06310-3. Nosso CNPJ é 07.127.753/0001-01. Para a entrega e distribuição das doações contamos com as Filiais Municipais de Jacareí e São José dos Campos. Estão presentes em São Luiz do Paraitinga 15 voluntários a fim de prestar auxílio à Defesa Civil em relação a coordenação de voluntários, abrigos e pré-atendimento hospitalar para às vítimas. A Cruz Vermelha é uma instituição sem fins lucrativos que está presente em 185 países e tem como missão atenuar o sofrimento humano com toda a imparcialidade, sem distinção de raça, religião, nacionalidade, nível social e opinião política. A Cruz Vermelha de São Paulo conta com voluntários de todas as idades e diversificadas formações como: bombeiros, médicos, socorristas, enfermeiros, administradores, professores, etc.

Um abraço a todos.

A. Maximus
BLOG VISÃO PANORÂMICA
http://www.visaopanoramica.com/

Um terço da população mais pobre do mundo é composto por indígenas, revela ONU


Os povos indígenas representam um terço da população mais pobre do mundo, segundo uma pesquisa da Organização das Nações Unidas (ONU) divulgada nesta quinta-feira. De acordo com o levantamento, existem atualmente no mundo cerca de 370 milhões de indígenas espalhados por 90 países vivendo com taxas desproporcionais de miséria, problemas de saúde, analfabetismo e abusos dos direitos humanos.
A publicação da ONU foi o primeiro relatório feito exclusivamente sobre as condições de vida desses povos e ilustram a gravidade da situação tanto em países desenvolvidos como em nações em desenvolvimento. No total, os 370 milhões de indígenas existentes no mundo ocupam cerca de 20% do território do planeta.
“O relatório é mais um passo para tornar o tema das questões indígenas cada vez mais central. Há alguns anos não havia um debate sobre essas questões”, avaliou Giancarlo Summa, diretor do Centro de Informações das Nações Unidas para o Brasil.
Segundo a pesquisa, na América Latina, as taxas de pobreza dos indígenas estão muito acima das taxas referentes ao resto da população em vários países, sendo 7,9 vezes maior no Paraguai, 5,9 no Panamá e 1,2 no Brasil. Dados do IBGE, mostram que aproximadamente 1 milhão de indígenas vive no País, distribuídos em 230 povos, ocupando 14% do território nacional.
O relatório da ONU aponta ainda estatísticas alarmantes na área da saúde. A expectativa de vida dos indígenas é 20 anos menor do que a média, mais de 50% da população adulta acima de 35 anos têm diabetes tipo 2 e a mortalidade infantil ainda é de 70% na América Latina.
As taxas de suicídio, principalmente entre os jovens também chamam a atenção. No Brasil, os índices de suicídio na tribo dos Guaranis era 19 vezes maior entre 2000 e 2005 do que a taxa nacional. De acordo com a ONU, esse tipo problema é mais acentuado em áreas urbanas, onde os indígenas são destacados de suas comunidades e culturas e quase nunca são totalmente integrados à comunidade dominante.
Para Marcos Terena, membro da Cátedra Indígena Itinerante, a situação mais crítica para os índios brasileiros está no Mato Grosso do Sul. Segundo ele, o caso, no entanto, ainda não é tratado como prioridade pelo governo.
“As mortes ainda são tratadas como questões secundárias. O governo ainda precisa aprender a dialogar com o povo indígena. O povo indígena, por sua vez, precisa aprender a participar das mesas de debate”, finalizou.

Leia mais sobre: indígenas


Mãe é presa acusada de jogar filho de um ano contra a parede em SP


SÃO PAULO - Uma dona de casa, acusada de jogar o próprio filho contra a parede, foi presa por volta das 0h50m desta quarta-feira, no Jardim Nova Cumbica, em Guarulhos, Grande São Paulo. A criança, de apenas um ano, está internada e não responde a estímulos.
A Polícia Militar foi acionada via Centro de Operações da PM (Copom) e, ao chegar ao local, encontrou várias pessoas tentando linchar T.C.L., de 23 anos, acusando-a de ter matado o filho. Os policiais foram até a residência dos pais da dona de casa, onde ela estava escondida.
Primeiro, a mãe informou a polícia que, por volta das 12h de terça-feira, estava com o filho no colo quando teve um mal súbito e desmaiou. Ela disse que caiu de um degrau sobre o filho. Ela só acordou quando o marido, um ajudante de 23 anos, chegou em casa para almoçar, por volta das 13h.
Ao ver a cena, o pai do menino correu para socorrer o filho, com ajuda do avô da criança e dos vizinhos. Ele foi levado ao Pronto Socorro Alvorada e encaminhado para o Hospital Santa Casa, onde permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).
O delegado esteve na residência e verificou que a queda do degrau não poderia ter acarretado no afundamento do crânio da criança, como diagnosticou o médico responsável.
Enquanto levavam o menino para o hospital, T. contou para o marido e para o sogro que havia visto o vulto de um homem, com bota, capa preta e chifres, que disse que já tinha lhe tirado um filho e que agora levaria o outro. Segundo a dona de casa, o homem pegou o filho, o jogou na parede e depois a empurrou.
Segundo o avô da criança, a mulher apresenta distúrbios psicológicos, e já chegou a sufocar o menino dormindo em cima dele. Quando isso aconteceu, a avó tentou obter a guarda da criança, mas sem sucesso.
Para o delegado, a mãe contou a mesma história do vulto, e que só acordou quando o marido chegou em casa. Afirmou, ainda, que ninguém acreditaria nela, a não ser a própria mãe e uma amiga que a benze.
A dona de casa deu à luz gêmeos, porém, uma das crianças morreu ainda no hospital. Médicos aconselharam, após o parto, que a mulher a fizesse acompanhamento psicológico - conselho que não foi seguido.
O delegado responsável pelo caso acredita que T.C.L. usou o pretexto 'dos vultos' para tentar matar o próprio filho. Ela foi presa e está à disposição da Justiça.
O delegado pediu exame de corpo de delito para a criança, para a mãe e perícia para o local.


‘Rinha’ de passarinhos é tradição em festival indiano

Indianos assistem a uma luta entre passarinhos, nesta quinta-feira (14), para comemorar o ‘Magh Bihu’ ou 'Bhogali Bihu’, festival da colheita no templo de Haigrib, em Guwahati, na Índia. (Foto: Barcroft India/Getty Images)

Lutas são parte importante das celebrações do festival da colheita.
Cerca de 400 pássaros são treinados por seus donos para o evento.


As ‘rinhas’ de passarinho são uma parte importante das celebrações do festival há vários séculos. Cerca de 400 pássaros são treinados por seus proprietários para lutar. (Foto: Barcroft India/Getty Images)



52 Histórias que não acabaram: o que levou a primeira mulher delegada do RS a abandonar a profissão



Na série 52 Histórias que não acabaram deste sábado (16/01), você conhecerá a história da primeira mulher delegada no Estado. Rosana Costa Szalansk, ex-delegada da Polícia Civil, hoje se dedica ao esoterismo e é terapeuta ocupacional.


Vídeo zerohora.com

Desentendimento em audiência no Conselho Tutelar acaba em morte em Campo Bom


Namorado e ex-companheiro de jovem se desentenderam
Um desentendimento ma saída de uma audiência no Conselho Tutelar de Campo Bom acabou em morte na manhã desta quinta-feira. Uma adolescente de 17 anos, mãe de uma menina de sete meses foi até a sede do Conselho para discutir com o ex-companheiro a guarda da criança.
Na saída da audiência, o pai da criança se desentendeu com o atual namorado da jovem, que acabou levando uma facada. Carlos Augusto da Silveira, 30 anos, não resistiu e morreu no local.
O ex-companheiro da adolescente, de 20 anos, foi preso na hora e será encaminhado à Penitenciária Modulada de Montenegro.


quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

HOMENAGEM DO ANJOS E GUERREIROS À ZILDA ARNS NEUMANN



EXEMPLO DE AMOR,
QUE SIGA COM A MESMA PAZ QUE SEMPRE SEMEOU.

Médicos são condenados por demora no atendimento a grávida em Mato Grosso


CUIABÁ - Dois médicos foram condenados por improbidade por causa da demora em atender uma gestante adolescente no momento do parto em Mato Grosso. A demora teria causado asfixia perinatal (encefalopatia hipoxico-isquêmica) no recém-nascido durante o parto, que deixou seqüelas físicas e mentais irreversíveis no bebê. A decisão foi do juiz da Terceira Vara da Comarca de Juína, Alexandre Delicato Pampado, que determinou que os dois condenados paguem multa civil no valor de 50 vezes a remuneração total que recebiam do Sistema Único de Saúde na época dos fatos, corrigida pelo INPC. O dinheiro será revertido em proveito da criança.
Os médicos também foram proibidos de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual sejam sócios majoritários, pelo prazo de três anos.
De acordo com o processo, a paciente foi ao Hospital Municipal de Juína para ter o filho pelo método cesariana, em decorrência de ser adolescente, como havia sido marcado pelo médico que teria realizado todo o seu pré-natal. Contudo, ao chegar às 7h da data marcada, foi informada que seu parto teria sido prorrogado. Por volta das 18h, sem o médico ter ido ao quarto, ela teria entrado em trabalho de parto, sentido fortes dores e sangramento.
A família teria procurado o médico, contudo recebeu a informação de que outro profissional que seria o plantonista, seria responsável pelo parto. A gestante teria sido encaminhada para a sala de parto e ficado ali até o nascimento de seu filho por volta das 3h do dia seguinte.
Conforme depoimentos de técnicas de enfermagens, o médico plantonista não estaria no hospital e somente compareceu após ligações das funcionárias. Ele teria ficado observando os procedimentos feitos por elas que, ao apararem a criança, constataram que o cordão umbilical estava enrolado ao pescoço. O bebê não expressou nenhuma reação ao nascer, sendo só então, socorrido pelo médico plantonista que acionou a pediatra.
Em sua defesa, os médicos alegaram que não praticaram o ato de improbidade. O médico que teria agendado a cesárea alegou que não seria o responsável pelo parto já que seu plantão teria se encerrado às 18h. Argumentou que a escolha pela cesariana teria sido da mãe da adolescente. Já o plantonista, sustentou que não poderia realizar o parto, uma vez que necessitaria da autorização do médico que acompanhou a gestação, pois a mesma não era sua paciente e, se assim o fizesse, estaria desobedecendo o art. 81 do Código de Ética Médica.
Contudo, para o magistrado, os atos praticados pelos dois médicos em razão da postergação do parto, da ausência do local de trabalho e da não intervenção médica para a realização do procedimento, trouxeram conseqüências graves para a criança. Com isso, no seu entendimento, as alegações de ambos os médicos seriam descabidas.
O magistrado explicou que o procedimento deveria ter sido feito pela manhã e que somente não ocorreu pelas remarcações do próprio profissional. Com isso, ao deixar de realizar o parto da paciente postergando para o plantão de outro médico, deixou de praticar ato de ofício. Quanto ao plantonista, o magistrado esclareceu que não haveria razão para deixar de realizar o parto cesariano, tão somente pelo fato da adolescente ser paciente de outro médico.
O juiz Alexandre Delicato Pampado explicou que o próprio Código de Ética Médica possui uma ressalva no artigo 81 ao estipular que o tratamento pode ser alterado salvo em situação de indiscutível conveniência para a paciente.
Na decisão, o juiz também determinou a instauração de inquérito policial para investigar duas técnicas de enfermagem que participaram do parto, suspeitas de terem praticado o crime previsto no artigo 342 do Código Penal (falso testemunho).


Dono de creche acusado de pedofilia é preso na Tijuca


RIO - Policiais da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) prenderam, na manhã desta quinta-feira, um homem acusado de abusar sexualmente de cinco crianças em uma creche na Tijuca, Zona Norte. Os agentes foram cumprir mandado de prisão depois que pais dos alunos estiveram na delegacia e denunciaram que seus filhos foram vítimas de abuso.
Segundo a polícia, Paulo Maurício de Lima Barcelos, acusado do crime, seria diretor e dono da creche, que funciona na Rua Araújo Pena, na Tijuca. Ele teria abusado sexualmente de crianças entre 4 e 6 anos de idade. De acordo com os policiais, se condenado, ele pode pegar até 30 anos de prisão.
O suspeito é investigado há seis meses. Ele foi preso em casa, na Rua Barão de Itapagipe, na Tijuca. Em seguida, foi levado para a delegacia, onde vai prestar depoimento. No momento da prisão, ele negou as acusações e disse que é inocente.
Paulo Maurício de Lima Barcelos deverá ser encaminhado ainda nesta quinta à Polinter.


O Globo

Pais e responsáveis devem escolher com atenção quem levará as crianças ao colégio


Credenciais do motorista e conservação do veículo são dois dos itens a serem observados

Com a proximidade do início do ano letivo, os pais precisam reorganizar a rotina dos filhos. Entre as principais preocupações para quem não pode levar as crianças ao colégio todos os dias, está a escolha do transporte escolar. É preciso cuidado na hora de optar entre os prestadores desse serviço (ler o que diz a lei). Por volta de 1,6 mil motoristas autorizados e cinco mil ônibus e vans têm cadastro no Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF). Em 2009, 174 veículos foram apreendidos devido à falta de condições adequadas e outros 300 que trabalhavam como piratas tiveram de ser retirados de circulação.
Os pais ou responsáveis devem checar as credenciais do motorista antes de contratá-lo. É necessária uma permissão especial para dirigir vans e ônibus escolares. Os condutores devem ter mais de 21 anos. Eles submetem-se a um curso de formação oferecido pelo Detran. A cada cinco anos, as lições são renovadas. O motorista aprende noções de relações pessoais, primeiros socorros e direção defensiva. “Não pode ser alguém com antecedentes criminais de roubo, furto e estupro, por exemplo. Nem com multas graves ou várias infrações médias na carteira de motorista”, explica o gerente de fiscalização do Detran, Silvain Fonseca. “Os pais devem sempre assinar um contrato para se proteger”, acrescentou.
Os veículos passam por revisão a cada seis meses. Devem ter itens básicos, como cinto de segurança, pneus em bom estado de conservação e placas educativas no interior. Além disso, os estudantes não podem ser transportados em pé. A fiscalização para evitar irregularidades ocorre durante todo o ano letivo. Mas, no fim de janeiro e começo de fevereiro, as blitzes devem ser intensificadas, principalmente na porta das escolas. “Alguns pais só pensam no preço do transporte e acabam entregando os filhos a pessoas não credenciadas. Vamos evitar que isso aconteça. As denúncias também são importantes”, disse Fonseca. Quem for pego fazendo transporte escolar ilegal pode receber multa entre R$ 2 e R$ 5 mil. Os que têm permissão, mas apresentam problemas na hora da revisão, ganham penalidade de R$ 127 e cinco pontos na carteira de motorista, além da apreensão do veículo.
Para garantir o bem-estar da filha, a massoterapeuta Adriana Fátima da Silva, 38 anos, moradora do Cruzeiro, tomou muito cuidado na hora de escolher uma van. Ela chegou a seguir o motorista, escondida, para constatar se ele dirigia de acordo com as normas de trânsito. “Peguei meu carro e fui atrás dele sem ele ver. No caminho foi tudo bem, o motorista não correu muito nem foi violento no trânsito”, admitiu a mãe. Adriana tem dicas menos radicais para outros pais. “Observem quem é o ajudante, se tiver um. Porque ele também vai lidar de perto com seus filhos. Já ouvi muitas reclamações, por isso sou cuidadosa, afinal, é a vida dos nossos maiores amores”, relatou.
A filha de Adriana, Dayanne Silva Cortes, 13 anos, vai ao colégio em vans desde o jardim de infância. “É confortável e a gente faz amigos. Sempre me trataram bem”, opinou Dayanne. Na mesma rua onde ela mora, na Quadra 12 do Cruzeiro Velho, muitas outras crianças usam o serviço. Mateus Henrique Soares, 12, Thayná Soares, 14, Aline Oliveira, 14, e Laíza Soares, 7, são “amigos de van”. “A maior reclamação é ser esquecido na escola. Às vezes, o motorista não presta atenção e a gente tem que ligar para a mãe”, queixa-se Thayná.

Aumento
Além da preocupação com a qualidade do transporte, os pais devem se preparar também para o impacto no bolso. A maioria dos donos de vans reajustam entre 6% e 10% todo ano o preço das viagens, de acordo com o sindicato da categoria. A mensalidade varia em cada região. No Plano Piloto, a média é de R$ 200. Em Taguatinga e no Guará, por exemplo, a taxa fica entre R$ 130 (dentro das cidades) e R$ 240 (saindo para o Plano Piloto).

Fique atento
# Busque referências sobre o condutor na diretoria da escola e também converse com outros pais.
# Anote o telefone e endereço do motorista.
# Observe como ele recepciona os alunos na porta da escola.
# É muito importante verificar se o condutor e o veículo possuem credenciamento junto aos órgãos competentes, pois essa é a garantia de que as normas de segurança são obedecidas.
# O veículo usado para transporte escolar deverá ter os equipamentos de segurança adequados à idade das crianças que serão transportadas.
# Cada criança deverá estar usando seu próprio cinto ou cadeirinha. Ela não poderá ser acomodada no banco da frente e, de forma alguma, devem ser colocadas duas ou mais crianças em um único cinto de segurança.

O que diz a lei
O Código de Trânsito Brasileiro (CTB), além de outras exigências, prevê que os veículos devem ter autorização do órgão estadual de trânsito para circular. Deve haver inspeção semestral para verificar o funcionamento dos equipamentos obrigatórios. Os veículos devem ter pintura de faixa horizontal na cor amarela com 40cm de largura, em toda a extensão das partes laterais e traseira, com a palavra “escolar” escrita em preto. É obrigatória a instalação de lanternas de luz branca, fosca ou amarela dispostas nas extremidades da parte superior dianteira e outras de luz vermelha dispostas no alto da parte traseira. A autorização para transportar deve ser afixada na parte interna do veículo, em local visível e com inscrição da lotação permitida. Além disso, o GDF enviou em outubro último um projeto de lei à Câmara Legislativa para regulamentar o transporte escolar. O texto ainda deve passar pela análise dos deputados distritais.

Dicas do Detran
Confira quais são os itens de conservação e segurança que a van ou ônibus deve ter:
# Cinto de segurança.
# Tacógrafo (registrador de velocidade e tempo).
# Pneus em bom estado.
# Placas educativas no interior do veículo.
# Nenhuma criança deve viajar em pé.

Leilane Menezes


Homem acusado de pedofilia é preso na Tijuca


RIO - Policiais da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) prenderam um homem acusado de abusar sexualmente de cinco crianças em uma creche na Tijuca, Zona Norte, na manhã desta quinta-feira. Os agentes foram cumprir mandado de prisão depois que pais dos alunos estiveram na delegacia e denunciaram que seus filhos foram vítimas de abuso.
Segundo a polícia, Paulo Maurício de Lima Barcelos, acusado do crime, seria funcionário da creche. De acordo com os policiais, se condenado, ele pode pegar até 30 anos de prisão.


O Globo

Suspeito de violentar e matar menina de 5 anos em Fortaleza já foi condenado a 23 anos por estupro


FORTALEZA - Preso na manhã desta terça-feira, o homem suspeito de ter violentado e assassinado a menina Alanis Laurindo, de cinco anos, na última quinta-feira, em Fortaleza, no Ceará, será enviado para o Instituto Presídio Professor Olavo Oliveira por violentar outra criança em 2000. O juiz Luiz Bessa Neto expediu um mandado de prisão contra Antônio Carlos dos Santos Xavier, condenado a 23 anos de prisão pelo estupro de uma menina de cinco anos no ano 2000.
De acordo com o juiz, o mandado de prisão foi expedido porque Antônio Carlos fugiu da Colônia Agropastoril do Amanari em 2008, onde cumpria prisão em regime semiaberto, após ser beneficiado com a progressão de regime naquele mesmo ano.
O magistrado também informa que, na próxima terça-feira, Antonio Carlos será ouvido no Fórum. No mesmo dia, será definida a unidade prisional para onde ele será levado e será oficializada a regressão de regime, do semiaberto para o fechado.
Antônio Carlos dos Santos Xavier, o ´Casim´, é irmão de Francisco Charles dos Santos Xavier, 32, preso no último sábado sob suspeita do crime. Desde o momento de sua prisão, no bairro Autran Nunes, Charles vinha sendo categórico ao apontar o irmão como o autor da morte da menina Alanis.
Antônio Carlos dos Santos Xavier estava no terminal do Siqueira na hora da prisão. Uma mulher, que estava no mesmo ônibus que o criminoso, numa linha que fazia o trajeto Terminal da Lagoa- Terminal do Papicu, o reconheceu. Orientada pelo marido, a passageira acionou a Guarda Municipal que prendeu Antônio Carlos Xavier.
Detido, o suspeito foi logo identificado por meio das fotos espalhadas pelo terminal. Ao ser pedida a identificação dele, o acusado resistiu e tentou fugir, mas logo foi mobilizado e algemado pelos guardas. Em seguida, eles entraram em contato com a Polícia Civil e Militar. O suspeito foi levado à Superintendência da Polícia Civil, no Centro de Fortaleza, onde Antônio Carlos confessou o crime e afirmou ter feito a mando de uma terceira pessoa.
Considerado pela polícia como de alta periculosidade, ´Casim´ possui um longo histórico criminal, à exemplo do irmão que tinha prisão preventiva decretada pela Justiça de Caucaia, por crime de estupro. Em janeiro de 2001, ´Casim´ foi preso depois de uma longa investigação sobre vários estupros na Zona Oeste de Fortaleza. Capturado, na época, por policiais do 3º DP (Otávio Bomfim), Antônio Carlos confessou ter praticado um crime com as mesmas características do que aconteceu na semana passada. A vítima - uma menina também de 5 anos - sobreviveu.
O caso ocorreu no último dia do ano de 2000. Eram 22 horas do dia 31 de dezembro, quando ele raptou a criança no bairro Autran Nunes e a levou até um matagal às margens de um canal, no bairro Pio Saraiva. Ali, abusou da menina durante horas e a espancou. A criança desmaiou diante da violência. Acreditando que tivesse assassinado a garota, ´Casim´ tentou esconder o corpo e jogou a criança no matagal às margens do canal. Horas depois, populares encontraram a menina viva.
Preso, o ´Maníaco do Canal´, como ficou conhecido na época, confessou ao delegado que já tinha feito outras vítimas, todas meninas na faixa etária entre cinco e oito anos.

Haitianos passam noite nas ruas entre corpos e escombros


Dezenas de milhares de haitianos estão passando a segunda noite seguida nas ruas, após o forte terremoto da tarde de terça-feira que devastou a capital do país, Porto Príncipe, e que pode ter matado dezenas de milhares de pessoas.
Muitos moradores da capital, desabrigados ou com medo de novos tremores, se agrupavam em lugares abertos para passar a noite, muitos deles próximos a escombros e corpos.
De acordo com Andrew Gallacher, enviado especial da BBC a Porto Príncipe, a situação na cidade é de desespero, sem sinais de um esforço de resgate coordenado, com suprimentos médicos escassos e com ajuda humanitária apenas começando a chegar.
Leia também: Ajuda humanitária começa a chegar ao Haiti

Gallagher relata ter visto pessoas, entre elas crianças, dormindo ao lado de corpos em decomposição durante uma visita a um hospital da cidade.
“Era um cenário de devastação. O hospital inteiro estava cheio de corpos, alguns cobertos, outros não. Líquidos escorriam para a rua. O cheiro era terrível, porque os corpos já estão começando a se decompor”, conta.
Outro repórter da BBC em Porto Príncipe, Nick Davies, afirma que o que mais chama a atenção na cidade, ainda mais que os escombros e a poeira, é a quantidade de corpos sob cobertores por todos os lados.

Veja na BBC Brasil: Fotos revelam choque após o tremor

“Quando você anda pela cidade, ou passa de carro, pode ver esses corpos, com pessoas passando próximas, muitas delas confusas, completamente tomadas pelo que aconteceu a este país, o que aconteceu a esta cidade”, relata Davies.
Ele compara o ambiente na cidade a um cenário de filme de terror. “O barulho de pessoas chorando, de pessoas rezando, e o som de coros religiosos que podem ser ouvidos pelo ar, tornam a situação ainda mais surreal”, diz.

Busca por sobreviventes
A busca por sobreviventes sob os escombros entrou madrugada adentro, auxiliada pela chegada de ajuda material e de equipes de resgate enviadas por vários países.
Testemunhas afirmam que muitos tentavam escavar os escombros com as mãos ou com ferramentas simples para tentar encontrar vítimas que possam estar soterradas.
O sismo deixou um cenário de devastação em Porto Príncipe, destruindo o palácio presidencial, a sede da ONU no país e outros prédios importantes.

Leia na BBC Brasil: Presidente do Haiti diz que milhares podem ter morrido em tremor

A Cruz Vermelha Internacional estima que até 3 milhões de pessoas tenham sido afetadas pelo terremoto.
O presidente René Preval, que escapou ileso após o desabamento do palácio presidencial, disse não ter uma estimativa oficial do número de mortos, mas que ouviu que eles podem chegar a 50 mil.
O terremoto de magnitude 7 na escala Richter, o pior no país em dois séculos, ocorreu às 16h53 de terça-feira (19h53 de Brasília), com epicentro a apenas 15 quilômetros da capital.
Segundo Roger Searle, professor do Departamento de Ciências Geológicas da Universidade de Durham, na Grã-Bretanha, a energia liberada pelo tremor foi equivalente à explosão de meio milhão de toneladas de dinamite.

Ajuda
Os primeiros aviões com ajuda, provenientes da Venezuela, da China e dos Estados Unidos, começaram a desembarcar no aeroporto de Porto Príncipe na noite desta quarta-feira.
Equipes de outros países como Brasil, Grã-Bretanha, França, Dinamarca, Cuba, México, entre outros, devem chegar à capital nesta quinta-feira.
Soldados da força de paz da ONU, que já tinham um papel-chave em manter a ordem pública no Haiti mesmo antes do terremoto, têm sido deslocados para controlar focos de intranquilidade, em meio a relatos de saques.

Leia mais: Brasil envia aviões com alimentos e estuda mais tropas no Haiti

A organização não governamental Médicos Sem Fronteiras (MSF) relatou um “fluxo enorme” de pessoas feridas, muitas delas em estado grave, a clínicas improvisadas.
Segundo o porta-voz da MSF no Canadá, Paul McPhun, pacientes com “traumas graves, ferimentos nas cabeças, membros esmagados” têm buscado ajuda nas estruturas provisórias montadas pela organização.
Apesar disso, ele disse que os médicos da ONG têm apenas a capacidade de oferecer aos pacientes cuidado médico básico. Uma das clínicas de emergência da MSF desmoronou com o tremor e duas outras foram gravemente danificadas e não podem ser usadas.
Hans van Dillen, membro da MSF em Porto Príncipe, relatou que há “centenas de milhares de pessoas dormindo nas ruas porque não têm para onde ir”.
“Vemos fraturas expostas, ferimentos na cabeça”, disse ele em um relato publicado no site da MSF. “O problema é que não podemos encaminhar as pessoas para o atendimento médico adequado neste momento”, afirmou.


Médicos tiram talher de nariz de bebê que penetrou no cérebro



Li Jinchao é como qualquer outro bebê saudável. Mas os curativos em sua cabeça são uma lembrança pequena e temporária de algo que quase custou a sua vida.
O garoto passou por uma cirurgia para remover um fachi, o "pauzinho" usado pelos orientais para comer. Enquanto brincava em seu quarto, Li enfiou o fachi em seu nariz e o talher penetrou por alguns milímetros no cérebro.
Os médicos chineses em Pequim temiam que a retirada do fachi poderia danificar uma artéria e causar paralisia.
Mas tudo deu certo na cirurgia, e após duas semanas, Li não apresenta nenhum sintoma colateral, o que é considerado um fato extraordinário.


BBC Brasil

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Zilda Arns, a defensora das crianças e dos idosos


RIO - A médica pediatra e sanitarista Zilda Arns Neumann, fundadora e coordenadora internacional da Pastoral da Criança, morreu no forte terremoto que abalou o Haiti nesta terça-feira. Ela tinha 75 anos e também era coordenadora nacional da Pastoral da Pessoa Idosa.
Zilda Arns nasceu em Forquilhinha (SC) em 25 de agosto de 1934 e morava em Curitiba. Irmã de Dom Paulo Evaristo Arns, cardeal arcebispo emérito de São Paulo, ela foi proposta pelo governo para o Prêmio Nobel da Paz por três anos seguidos.
Formada em Medicina, aprofundou-se em Saúde Pública visando salvar crianças pobres da mortalidade infantil, da desnutrição e da violência em seu contexto familiar e comunitário. Zilda Arns desenvolveu uma metodologia própria de multiplicação do conhecimento e da solidariedade entre as famílias mais pobres, baseando-se no milagre bíblico da multiplicação dos dois peixes e cinco pães que saciaram cinco mil pessoas, como narra o Evangelho de São João.
Em 2003, Zilda Arns recebeu o prêmio 'Faz Diferença', do jornal O GLOBO, de 'Personalidade do Ano', por seu trabalho à frente da Pastoral da Criança. Presente em todos os estados do Brasil e em mais 20 países, a Pastoral da Criança tem mais de 240 mil voluntários capacitados atuando em 40.853 mil comunidades em 4.016 municípios. Acompanha quase 95 mil gestantes e mais de 1, 6 milhão de crianças pobres menores de seis anos.
A entidade teve início em uma reunião da ONU sobre a paz mundial, em 1982. Na reunião, o cardeal dom Paulo Evaristo Arns, foi convencido pelo então diretor-executivo do Unicef, James Grant, de que milhares de crianças poderiam ser salvas se as mães pobres aprendessem a fazer o soro caseiro.
De volta ao Brasil, dom Paulo perguntou a irmã se ela aceitaria fazer um projeto neste sentido. Viúva e mãe de cinco filhos, Zilda respondeu que também pensaria em outras ações para prevenir a diarréia.
- Hoje entendo que, desde a infância, Deus me preparou para essa missão: tive a medicina e a vocação para a pedagogia, além da formação voltada para a comunidade - disse ela à época.
Zilda conseguiu traduzir suas idéias em cartilhas e apresentou o projeto. Foi escolhida para piloto a cidade do Paraná em que a mortalidade infantil era mais alta, com uma taxa de 127 mortes por mil crianças nascidas vivas: Florestópolis.


Em 2004, Zilda Arns recebeu da CNBB outra missão, fundar, organizar e coordenar a Pastoral da Pessoa Idosa. Atualmente mais de 129 mil idosos são acompanhados todos os meses por 14 mil voluntários.
Em sua mesa de trabalho sempre havia muitas fotos de família e um texto, em alemão, do escritor católico Adolph Kolping: "Deus dá a felicidade, mas o homem tem que percebê-la".
Entre os prêmios internacionais recebidos por Zilda Arns, merecem destaque: o Prêmio "Heroína da Saúde Pública das Américas", concedido pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), em 2002; o Prêmio Social 2005 da Câmara de Comércio Brasil-Espanha; a Medalha "Simón Bolívar", da Câmara Internacional de Pesquisa e Integração Social, em 2000; o Prêmio Humanitário 1997 do Lions Club Internacional; e, o Prêmio Internacional da OPAS em Administração Sanitária, 1994.



Mulher é presa tentando vender filho de apenas 4 meses


Uma mulher de 20 anos foi presa sob acusação de vender o próprio o filho. A prisão de Bárbara Maria dos Santos aconteceu na tarde da terça-feira (12) no município do Conde, localizado no Litoral Sul da Paraíba.
O sargento da Polícia Militar, Césare Fabríssio, encontrou o menino de quatro meses com uma mulher conhecida por “Marlene”, no distrito de Mata Redonda, em Alhandra. A suspeita da polícia é que o garoto seria vendido para uma família de Itambé, em Pernambuco.
Segundo Césare Fabríssio, foi a própria tia do menino que denunciou a venda do garato. Na tarde de ontem, a mãe saiu da praia de Jacumã, no Conde, com destino à favela Taipa, no distrito de Mata Redonda. O bebê ficou com “Marlene”. “Ela seria a responsável por levar o bebê para Itambé. Nós não temos o valor da venda da criança. Mas a tia do menino disse que ele seria entregue aos compradores por R$ 700 ou R$ 750”, explicou.
No depoimento aos policiais do Conde, Marlene negou que venderia o menino. A polícia levou a mãe para a Delegacia do Conde e hoje ela prestará depoimento. Hoje, Marlene vai depor no Conselho Tutelar. Já o menino foi levado para a Casa de Passagem do município e ficará à disposição da Justiça.

Bartolomeu Honorato


Paraíba1

O CRACK que não é um vivo CRAQUE.


Estamos em aguda e profunda crise urbana e social relacionada ao crack, essa droga avassaladora, aniquiladora e mortal que vem fazendo vítimas e mais vítimas diariamente em todo canto do nosso País.
O crack trás a morte em vida do seu usuário, arruína a vida dos seus familiares, aumenta a criminalidade onde se instala, degrada e mata mais do que todas as outras drogas juntas.
De poder sobrenatural o crack pode viciar o usuário já na sua primeira ou segunda experiência e o que vem depois é a tragédia certa. Crack e desgraça são indissociáveis e quase palavras sinônimas. Relatos dos seus usuários e familiares, fatos policias diários e opiniões de especialistas sobre os efeitos e as conseqüências nefastas da droga podem ser resumidos em três palavras tão básicas quanto contundentes: sofrimento, degradação e morte.
A composição química do crack é simplesmente horripilante e estarrecedora. A partir da pasta base das folhas da coca acrescentam-se outros produtos altamente nocivos a qualquer ser vivo, tais como: ácido sulfúrico, querosene ou solvente e a cal virgem, que ao serem processados e misturados se transformam numa pasta endurecida homogênea de cor branco caramelizada onde se concentra mais ou menos 50% de cocaína, ou seja, meio à meio cocaína com os outros produtos altamente nocivos citados. A droga é fumada pura, misturada num cigarro comum ou num cigarro de maconha que recebe a denominação de “bazuca”.
A fumaça altamente tóxica do crack é rapidamente absorvida pela mucosa pulmonar excitando o sistema nervoso, causando inicialmente euforia e aumento de energia ao usuário, com isso advém, a diminuição do sono e do apetite com a conseqüente perda de peso bastante rápida e expressiva.
Logo os efeitos nefastos biológicos aparecem para os seus usuários, tais como: aceleração ou diminuição do ritmo cardíaco, dilação da pupila, elevação ou diminuição da pressão sanguínea, calafrios, náuseas, vômitos, convulsão, parada respiratória, coma ou parada cardíaca, infarto, doença hepática e pulmonar, hipertensão, acidente vascular cerebral (AVC).
Além disso, para os fracos e debilitados usuários sobreviventes, ao longo do uso da droga, há perda dos seus dentes, pois o ácido sulfúrico que faz parte da composição química do produto assim trata de furar, corroer e destruir a sua dentição. O crack também causa a destruição dos neurônios e provoca a degeneração dos músculos do corpo do seu usuário, fenômeno esse conhecido na medicina como rabdomiólise, o que dá aquela aparência esquelética ao indivíduo com ossos da face salientes, pernas e braços finos e costelas aparentes.
O crack é tão perigoso que até o próprio traficante que tem consciência desse perigo, de tal droga não faz uso. Dificilmente e raramente um traficante usa o crack o que não ocorre com os outros tipos de drogas em que muitos deles também as utilizam em consumo próprio.
A disseminação do crack é constante e diariamente prende os menos avisados assim como uma teia de aranha para as suas presas, transformando as suas vítimas em verdadeiros mortos-vivos a perambular pelo submundo da sociedade.
Pesquisando junto às opiniões dos médicos e especialistas em tratamento dos drogados conclui-se que realmente estamos perante uma epidemia, porque há um número explosivo de casos nos últimos três anos. Antes era uma raridade, havia nas unidades hospitalares especializadas 90% de outras dependências e 10% de crack. Hoje há o contrário. É unânime o conceito dos especialistas em afirmarem categoricamente que o crack é uma droga diferente das outras, muito mais severa e contundente. Não há outra droga que produza um declínio físico e mental maior para o viciado quanto o crack.
Segundo estudos realizados por especialistas na área, as dificuldades para o tratamento dos viciados em crack também são imensas, por isso, a grande preocupação das autoridades ligadas ao tema da intensa problemática. É preciso de extrema força de vontade do próprio viciado para poder se livrar desse malefício infernal.
A conscientização e o investimento em massa na área da educação, na prevenção, com aulas, palestras, seminários e um convívio mais profundo e dialogado no seio da sociedade especialmente entre pais e filhos, poderá livrar-nos dessa epidemia. Não podemos achar que a polícia ou a medicina resolverão os problemas, que, muitas vezes, se iniciam nos lares, escolas e outros lugares de convivência, principalmente dos jovens, mais expostos, por vários motivos, à atração do mundo das drogas.
No País do futebol precisamos sempre formar mais e mais competentes e excelentes atletas craques da bola, do esporte e não incompetentes e debilitados cracks desta droga satânica.

Autor: Archimedes Marques (delegado de Policia no Estado de Sergipe. Pós-Graduado em Gestão Estratégica de Segurança Pública pela UFS) – archimedesmarques@infonet.com.br - archimedes-marques@bol.com.br
Fonte: www.infonet.com.br

Atendimento em casa para idosos

José Estevão da Silva Filho será beneficiado pelo Projeto Padi. Foto: Alexandre Vieira/Agência O Dia
Pacientes da terceira idade de 18 regiões do Rio passarão a receber visita de médicos, fisioterapeutas, nutricionistas e fonoaudiólogos

POR PÂMELA OLIVEIRA

Rio - Médicos, fisioterapeutas, nutricionistas e fonoaudiólogos atenderão pacientes idosos em casa. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o projeto piloto que já existe na Ilha do Governador será expandido para outras 18 regiões da cidade até 2012.
Até o fim da semana, será publicado o edital de licitação para contratação da Organização Social (OS) responsável pela contratação de profissionais. Em até 70 dias, o programa começará a funcionar na região do Grande Méier, que inclui Inhaúma, Del Castilho, Piedade, Abolição, Engenho Novo e Lins. Moradores de Copacabana, Tijuca, Sepetiba, Bangu e Paciência também serão beneficiados ainda este ano.
“O objetivo é facilitar a desospitalização do idoso que está internado e que já não precisa de cuidados clínicos, mas ainda depende de um suporte fisioterápico ou nutricional, por exemplo. Isso é bom para o idoso que vai sair do hospital e eliminar uma série de riscos, como o de infecções urinárias e problemas respiratórios. Além disso, o idoso em casa tem menos risco de depressão, que é muito comum em pacientes internados por longos períodos”, afirma o secretário municipal de Saúde, Hans Dohmann. “É bom para o idoso e para os hospitais, que ficam com mais leitos disponíveis”.

BENEFÍCIOS
Segundo Dohmann, as primeiras equipes do Programa de Atenção Domiciliar do Idoso (Padi) terão sede no Hospital Salgado Filho, no Méier. Depois, o programa, que até 2012 pretende fazer 60 mil atendimentos por ano, será levado aos pacientes internados no Souza Aguiar e Miguel Couto.
Antes mesmo de o paciente receber alta, já terá começado o trabalho da equipe — que terá no mínimo um médico, um enfermeiro, um fisioterapeuta, um técnico e um auxiliar de enfermagem.
“Os profissionais irão à casa do paciente para tentar fazer alterações, de acordo com a realidade da família, que possam facilitar o idoso. Vão verificar se o banheiro tem um suporte de apoio e se é possível fazer um. Em casas em que a distância entre a cama e o banheiro for muito longa, eles podem propor, por exemplo, que se coloque uma cadeira para que o idoso descanse. Podem propor a mudança de posição de uma cama”, explica Dohmann.
O aposentado José Estevão da Silva Filho, de 83 anos, está internado no Hospital Souza Aguiar, no Centro, desde 17 de dezembro. Com feridas nas pernas causadas por infecção da pele, ele precisa de antibiótico diariamente. Morador da Ilha, José acredita que o Padi possibilitará a recuperação mais rápida, pois poderá contar com o apoio e carinho da família. “Com este programa não precisarei ficar no hospital. Poderei estar perto da família e ficaria bom mais rápido”, afirmou o idoso.

Meta inclui recuperação e mais qualidade de vida
Fazem parte do perfil de pacientes beneficiados pelo Padi portadores de doenças crônicas, vítimas de AVC, fratura de fêmur e outros traumas, e idosos que se recuperam de cirurgias. Além da recuperação, a meta é que possam ser incluídos em programas como ginástica para terceira idade.
“Muitas vezes, o idoso fica sozinho em casa. Queremos que o paciente se recupere e tenha qualidade de vida. Se tiver uma academia da terceira idade perto da casa dele, por exemplo, ele será encaminhado quando estiver em condições”, acrescenta Dohmann. Segundo ele, atividades como essa também diminuem o risco de reinternação.


O DIA ONLINE
Verbratec© Desktop.