sábado, 2 de janeiro de 2010

Anjos e Guerreiros no combate a Pedofilia


A menininha tem seis aninhos de idade. É linda (como toda criança), com seus cachinhos castanhos e as covinhas no rosto angelical. Mas aparenta timidez e tristeza, incompatíveis com sua habitual alegria, sempre demonstrada pelo risinho cristalino. Questionada pela mãe, a menininha se cala. Diante da insistência, acaba por falar:
– o tio disse que eu não posso contar a ninguém...
– contar o quê?
– nada...
Com muito carinho e, às vezes somente com ajuda profissional, a menininha finalmente revela que o “tio” (geralmente alguém próximo da família) dela abusou sexualmente. A criança se sente amedrontada e até pensa que tudo é culpa dela. Na verdade foi mais uma vítima de um predador sexual ou pedófilo criminoso.
Casos como este, e muito piores que este, infelizmente são muito mais comuns do que pensamos. A apuração é difícil, porque sempre envolvem constrangimento da vítima – que muitas vezes passa toda a vida sem revelar o abuso que sofreu – por vergonha ou por medo das habituais ameaças dos abusadores sexuais. Estima-se que menos de 10% dos abusos sexuais são relatados às autoridades. Hoje em dia a Pedofilia, principalmente na internet, movimento mais dinheiro que o tráfico de drogas (vide revista “Marie Claire”, edição de novembro/2008)
Ao participar das audiências e diligências da CPI da Pedofilia, instaurada em abril de 2008 no Senado Federal, e Presidida pelo Senador Magno Malta, verificamos por todo o Brasil casos gravíssimos de abuso sexual e violência contra a criança.

ALGUNS DOS CASOS
Em locais onde a pobreza e a falta de instrução imperam é comum vermos crianças vendidas para uso sexual de adultos depravados, mães que levam as filhas (crianças e adolescentes) à prostituição, agenciamento de crianças à partir dos cinco anos de idade para o prazer sexual de pedófilos criminosos, leilão de crianças e virgens em bordéis no interior da Amazônia, estrangeiros que vem ao Brasil para turismo sexual...
O famoso caso de Boa Vista, capital de Roraima, onde estivemos, revelou na televisão o filme feito pela Polícia Federal que mostrou o momento em que uma mulher (agenciadora de crianças) entregava na casa de um pedófilo criminoso duas meninas de seis anos de idade. Uma das meninas levava nas mãos um ursinho de pelúcia, triste marco de sua inocência roubada... O pedófilo foi preso e em seu poder foram apreendidas fotografias mostrando que tal fato era comum: crianças nuas e sendo abusadas por homens. As escutas telefônicas autorizadas pela Justiça mostraram que os criminosos negociavam a “compra” ou “aluguel” de crianças para o abuso, relatavam os atos nojentos que estes praticavam com as meninas, se referiam às virgens de onze anos de idade como “noivinhas”, além de mostrar toda sorte de depravações... A agenciadora foi presa e, em seu depoimento, relatou que também sofrera abuso sexual a partir do seis anos, depois se tornou prostituta e usuária de drogas, finalmente se tornou agenciadora: cafetina de crianças!
Mas este não é um caso isolado! Por todo o país vemos histórias de abuso sexual infantil: como a prostituição infantil nas praias do nordeste, no interior do Pará, em Goiás, no Rio Grande do Sul, nas estradas que cortam todos os Estados. Observamos famílias pobres que vendem suas filhas. Mães que agenciam as próprias filhas e filhos ainda crianças. Estupro de meninas na Paraíba. Etc.
Um dos casos mais horrendos vistos no âmbito da CPI aconteceu no estado do Espírito Santo: Uma menina de dois anos e meio de idade que era constantemente espancada e seviciada pelo próprio pai, uma das predileções do agressor era morder o corpo da filha. A menina foi mandada para um abrigo e o pai processado por tortura, mas fugiu da prisão preventiva decretada. Três meses após o abrigamento da menina, esta foi devolvida a casa. O pai/criminoso, que estava foragido, voltou e, poucos dias depois, matou a filha. Antes de matá-la, mais uma vez a estuprou, espancou, mordeu e terminou por introduzir um pedaço de cabo de vassoura no ânus da menina, causando ruptura e prolapso do intestino, que a levaram ao óbito.
Entretanto, o abuso sexual acontece em todas as classes, credos e níveis intelectuais: há casos em São Paulo de médicos que abusavam de pacientes, líderes religiosos que abusavam de fiéis, Pais-de-santo que usavam de sua posição para manter relação sexual com meninos e meninas, etc.
É notável o recente caso de Catanduva/SP, ainda em investigação. Um borracheiro e seu sobrinho abusaram de quase 50 meninos e meninas, havendo fortes indícios da participação de outras pessoas, inclusive de alto poder aquisitivo e posição social. As crianças sofriam abuso sexual e eram fotografadas e filmadas, além de submetidas a sessões de filmes pornográficos e a “apresentações” do abusador dançando nu. Uma das crianças já examinadas apresenta doença venera. Toda a cidade está traumatizada. Há notícia de que o abusador já preso tenha outros processos, pelo mesmo motivo, em Pernambuco e na cidade de Divisa/MG – locais onde residiu.
Também recentemente, em Alagoinha/PE, uma menina de 9 anos de idade foi submetida a um aborto, uma vez que sofria (há pelo menos 2 anos) abuso sexual por parte de seu padrasto e se encontrava grávida de gêmeos. O mesmo criminoso abusava da irmã mais velha, também criança... etc, e etc.
Em Minas Gerais não é diferente e observamos alguns casos emblemáticos:
Em Uberlândia o professor universitário que manteve relação sexual com a mãe e a filha de seis anos de idade ao mesmo tempo. A mãe não só permitia e participava, como fotografou tudo! Durante um ano e meio! As fotos e filmes são chocantes. Ambos os criminosos estão condenados e presos. A menina traumatizada pelo resto da vida.
Em Uberaba um chefe de cartório foi preso acusado de ter abusado sexualmente de mais de 25 meninos, todos em torno de dez anos de idade. Na sua casa foram encontradas mais de 200 fotografias pornográficas com menores e um quarto preparado para crianças. O pedófilo criminoso oferecia presentes aos meninos e conquistava a confiança das mães. Num único fim de semana, chegou a gastar mais de R$ 1 mil em roupas, calçados importados e até bicicletas. Os presentes eram uma forma de criar dependência nas crianças, a maioria de condição financeira precária. Recentemente o criminoso suicidou na prisão.
Na Comarca de Peçanha um padre aliciava meninos de dez anos e idade e com eles mantinha relação sexual sob ameaça. Em Itapecerica um homem de sessenta anos de idade pagava (com trocados e doces) a duas meninas de cinco e seis anos de idade para realizar sexo oral. Em Campo Belo um empresário recebia menina que era levada pela própria mãe... etc e etc.
Na Comarca de Divinópolis temos casos gravíssimos:
Um pedófilo criminoso mantinha relação sexual (estupro) com uma menina de seis anos de idade, além disso lhe dava cigarros e bebida alcoólica, filmando e fotografando tudo. O caso foi descoberto através das fotos e filmes esquecidos em uma câmera digital. O criminoso foi condenado. As fotos e filmes são escabrosos, mas uma das fotos – a menos explícita – foi capa da revista “Carta Capital”, quando da abertura da CPI da Pedofilia.
Ainda em Divinópolis temos o caso de um pedófilo criminoso que, durante vários anos, abusou de diversas meninas, suas sobrinhas. Começava a manter relação com uma menina por volta dos oito anos idade e a abandonava por volta dos treze anos. Então passava a abusar de sua irmã ou prima mais nova. O caso só foi descoberto quando uma das meninas, anos depois, já com dezoito anos, resolveu contar tudo. Desacreditada, suicidou. Somente após sua morte é que se descobriu que outras meninas (primas), também haviam sofrido abuso. Foi expedido mandado de prisão contra o abusador, mas ele se encontra foragido.
Além disso a prostituição infanto-juvenil não é mais novidade. Especialmente ligada ao tráfico de drogas: meninas de onze, doze anos de idade se vendem para comprar crack e maconha. Mães trocam filhas e filhos por droga.
Também existem os casos que ocorrem nas classes média e alta, que dificilmente chegam a apuração. Abafados pela própria família. Mais de uma vez fui procurado por pessoas já adultas que relataram abusos na infância e, ao que parece, nada mais queriam que desabafar, oprimidas pelo crime de que foram vítimas.
Em todo o Brasil o abuso sexual infantil não escolhe classe, credo, cor ou situação financeira ou nível de instrução. O abusador é covarde e usa todos os meios para praticar o crime.

INTERNET
Na internet a situação também é grave. Por todo o mundo têm surgido casos de crimes hediondos praticados através do uso nocivo da rede de computadores. A internet é um excelente instrumento e também é um meio de comunicação como qualquer outro (como a televisão, o rádio, os jornais, etc) e, portanto, pode ser usada para o bem e para o mal.
A maior parte do conteúdo da internet é bom, a rede é indispensável hoje em dia e saber lidar com ela é importantíssimo para a educação de crianças e adolescentes. Além disso, a internet também tem várias páginas que ajudam no combate ao crime e especialmente ao abuso sexual.
Infelizmente pedófilos criminosos viram na rede mundial de computadores uma ótima oportunidade de abordar duas vítimas em relativo anonimato e conseguir seu intento hediondo de abusar das crianças. Mas felizmente já existem técnicas eficazes de encontrar os mais experiente criminosos virtuais, por isso o anonimato da internet é relativo.
Mas cabe principalmente aos pais e responsáveis verificar as páginas e sites acessados por seus filhos, para que estes não sejam vítimas de crimes cibernéticos (entre eles o abuso sexual), assim como devem vigiar por onde seus filhos andam, com quem, fazendo o que... etc.
A CPI da Pedofilia conseguiu uma grande vitória no campo do combate ao abuso sexual na internet: Em maio quebrou o sigilo telemático de 3.261 páginas do Orkut, pertencente à Google. Tais páginas (profiles) apresentavam características de pedofilia e tinham as fotografias “trancadas”. Todas foram examinadas por nós e os casos em que o crime se confirmou (muitos!) estão em andamento no Brasil e no exterior, inclusive contribuíram para a operação Carrossel II, da Polícia Federal.
Foi a primeira vez no Brasil (e na América Latina) que a Google entregou os conteúdos denunciados. Há previsão da entrega do conteúdo de mais 18.000 profiles suspeitos e já foi firmado entre a empresa e o Ministério Público Federal acordo para melhorar (em muito) o combate aos delitos cibernéticos.
As fotos e vídeos obtidos do Orkut e de apreensões em computadores de pedófilos e já entregues à CPI são realmente monstruosas, nojentas e até inimagináveis para uma pessoa de bem. Abusos sexuais e violência de todo o tipo. É muito chocante, até para quem lida diariamente com o assunto, vislumbrar crianças – inclusive bebês recém nascidos!! – sendo estupradas e bolinadas.
Examinar estas fotos e filmes – já que fomos obrigados – nos causou revolta e indignação, além de asco e nojo. Uma das Promotoras de Justiça da CPI foi obrigada a se retirar porque sentiu náuseas e ânsia de vômito.
Por ocasião de nossa visita ao Presidente Lula, em junho de 2008, algumas das fotos e vídeos constantes do acervo da CPI lhe foram mostradas, quando este reagiu indignado, comprometendo-se a colaborar com a causa. De fato o Presidente o tem feito, emprestando sua imagem à campanha “Todos contra a Pedofilia” e dando celeridade às propostas legislativas da CPI: no dia 25 de novembro de 2008, durante a abertura do “III CONGRESSO MUNDIAL DE ENFRENTAMENTO DA EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES”, realizado no Rio de Janeiro, o Presidente da República sancionou a Lei 11.829/2008 (Contra a Pornografia Infantil), proposta pela CPI da Pedofilia.
Também através da CPI ocorreu grande avanço para a repressão aos crimes praticados através da internet (e não somente os ligados à pedofilia...), com a realização do TERMO DE MÚTUA COOPERAÇÃO, firmado com as prestadoras de serviços de telecomunicações, de provimento de acesso à internet e de serviços de conteúdo e interativos na internet (Comitê Gestor da Internet no Brasil, Telemar Norte Leste S/A, Brasil Telecom S/A, TIM Celular S/A). O ajuste, assinado em dezembro de 2008, garante a preservação e fornecimento de dados para investigações relativas à internet, estabelecendo prioridades, prazos e formas de fornecimento de tais informações.

LEGISLAÇÃO
Contra tais crimes, acima comentados, temos que nos unir. Combater o abuso sexual e os crimes de pedofilia é uma questão vital para nossa sociedade.

A criança e o adolescente são o que há de mais importante neste mundo, depois de Deus. Essa importância é evidente e tem suas bases, não somente em convicções religiosas, morais, éticas ou sociais, mas até mesmo biologicamente é preponderante o instinto de perpetuação da espécie, que gera a necessidade premente de reprodução e proteção da prole, ou seja, dos nossos filhos: de cada criança e cada adolescente. A Lei, como fruto da vontade do povo, no Estado Democrático de Direito – como no Brasil – não poderia estabelecer de forma diferente e por isso mesmo a Constituição Brasileira – nossa mais importante Lei – elegeu como a prioridade das prioridades o direito da criança e do adolescente.
Somente uma vez o termo “absoluta prioridade” foi utilizado na Carta Magna, e o foi no artigo 227 quando estabelece, entre os deveres e objetivos do Estado, juntamente com a sociedade e a família, assegurar a crianças e adolescentes os direitos à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à dignidade e ao respeito, dentre outros. Garantir a observação dos direitos da infância e da adolescência é o único meio seguro e perene de garantir o progresso, a evolução e melhoria de vida para todas as pessoas. É investir no futuro.


É preciso que o Brasil se conscientize da necessidade de proteger nossas crianças.

É preciso que todos os direitos da criança e adolescente saiam do papel e venham para a realidade.


Este é o único caminho para um futuro melhor

Carlos José e Silva Fortes
Promotor de Justiça - Ministério Público de Minas Gerais


Chegadesofrercalado

Pai é suspeito de degolar filhas e cometer suicídio na França


Os corpos de três meninas degoladas e de um homem, supostamente o pai das crianças, foram encontrados na manhã deste sábado (2/01) por bombeiros em uma casa do leste da França, informou a polícia.
O prefeito da cidade de Haguenau, Claude Sturni, disse que a tragédia foi provocada pela separação dos pais, que ocorreu há alguns meses, mas destacou que a polícia vai investigar o caso para confirmar ou não esta versão.
Os bombeiros foram chamados por vizinhos que viram fumaça na casa e ao chegar encontraram os corpos das três meninas, com idade entre 5 e 13 anos de idade.
"As meninas estavam degoladas", disse o vice-procurador de Estrasburgo, Olivier Glady.
Os bombeiros também encontraram um corpo calcinado, supostamente o do pai das meninas, que estava com a guarda das crianças desde o início do ano.
Segundo uma vizinha, a família, de origem marroquina, jamais criou problemas na região.(France Presse )

Correio Braziliense

Violência e Virtude


Uma leitora que tem filhos de oito e nove anos está preocupada, como muitos outros pais, com o impacto que a violência urbana e a falta de ética pública têm sobre a formação e o comportamento das crianças e quer saber como tratar a questão.
Ela diz que não há como escapar: mesmo acidentalmente, os filhos assistem a noticiários que mostram cenas de violência e ouvem colegas contarem histórias de assaltos sofridos pelos pais. Além disso, diz que percebe que exemplos negativos expostos pela mídia, como policiais e políticos envolvidos em corrupção, são absorvidos pelas crianças.
Ela cita exemplos para mostrar que sua preocupação faz sentido. Um dos filhos fez uma redação na escola em que o desfecho da história é a polícia ser dominada por ladrões; o outro contou que uma das brincadeiras prediletas no recreio é a busca de um tesouro imaginário, e os colegas que atrapalham a descoberta são amarrados -imaginariamente, é claro. E tem mais: os filhos brincam de pegar dinheiro e esconder nas meias, por exemplo.
Isso me lembrou uma conversa que tive com um pai. Ele me disse que considerava até salutar que brincadeiras infantis colocassem o bem contra o mal, mesmo que dramatizassem a violência. O maior problema, para ele, era que percebia ser cada vez mais comum o mal vencer o bem no fim.
Uma constatação que já fiz é a de que muitas crianças se orgulham de serem maus alunos ou de terem comportamentos agressivos mesmo quando penalizados por isso, e de que outros se constrangem pela dedicação ao estudo porque são tachados de "nerds".
Não é de hoje que as crianças têm maus exemplos dos adultos. Aliás, é no mundo adulto que se localizam as mazelas do mundo. Neste, a violência sempre esteve presente, tanto quanto a corrupção. Hoje, talvez sejam mais expostas publicamente, e, como as crianças estão mais expostas ao mundo adulto, de fato estão mais vulneráveis a esses eventos. A questão de nossa leitora é como tratar isso com as crianças.
Em primeiro lugar, é importante que, sempre que os filhos se refiram ou tenham contato com fatos desse tipo, os pais manifestem sua opinião sobre eles. Para muitos, parece óbvio que as crianças entenderão como fato negativo. Pode ser, mas, para que não o absorvam, precisam das palavras orientadoras de seus pais.
Os pais também podem apontar as pessoas envolvidas em situações de violência e corrupção como exemplos a não serem seguidos porque, afinal, a vida deve ser vivida com ética e respeito.
Mas o mais importante é que os pais ensinem e cultivem em seus filhos as virtudes. Num mundo individualista, competitivo e de grande anseio de consumo, qualidades como compromisso, justiça, generosidade, compaixão, gratidão, humildade, simplicidade, tolerância e doçura, entre outras, parece que perderam sentido. Não: são as virtudes que possibilitam uma vida boa com os outros e isso é essencial para uma boa vida pessoal.

Blog da Rosely Sayão

Falta de sono aumenta risco de depressão entre jovens


A falta de sono aumenta o risco de depressão e de pensamentos suicidas entre os adolescentes, revela um estudo da Universidade de Columbia divulgado nos Estados Unidos.
Segundo a pesquisa, realizada com 15.659 estudantes do ensino médio, o risco de depressão entre os adolescentes que habitualmente vão dormir após a meia-noite é 24% superior ao dos que dormem antes das 22H00.
Os que vão dormir tarde têm ainda mais pensamentos suicidas: 20% a mais em relação aos que se deitam cedo, revela o estudo publicado na sexta-feira pela revista "Sleep".
"Os resultados são mais uma prova de que a falta de sono tem um papel na análise das causas da depressão", destacam os autores do estudo, dirigido pelo professor James Ganwich, da Universidade de Columbia.
"Mandar os adolescentes mais cedo para a cama pode protegê-los da depressão e dos pensamentos suicidas".
A Academia de Medicina do Sono dos Estados Unidos recomenda que os adolescentes durmam cerca de nove horas diárias.(AFP)

Correio Braziliense

Polícia deteve 5,4 mil em campanha antipornografia em 2009


PEQUIM - A Polícia chinesa deteve quase 5,4 mil suspeitos na campanha antipornografia realizada ao longo de em 2009, segundo dados do Ministério da Segurança Pública, mas ativistas chineses denunciaram que sites pró-direitos humanos também foram fechados durante as operações

A imprensa local chinesa informa neste sábado que as autoridades policiais não especificaram se todos os detidos foram denunciados e processados.
No site do ministério, os responsáveis da campanha afirmam que "reforçarão os castigos" para aqueles que violarem a lei na internet, e indicou que a "purificação" da rede está relacionada "à segurança do Estado em longo prazo".
Na campanha, as autoridades detectaram 3,2 mil casos de "crimes on-line relacionados à pornografia", um número que é quatro vezes maior ao de 2008, segundo o ministério.
Mais de 1,5 milhão de conteúdos "lascivos" e cerca de 9 mil sites pornográficos foram eliminados da internet.
O ministério estava oferecendo cerca de US$ 1,5 mil em dezembro a qualquer pessoa que denunciasse pornografia na internet.
Organizações como a Repórteres Sem Fronteiras (RSF) e a Human Rights Watch (HRW) consideram a China como um dos países com mais censura no mundo e a maior prisão para jornalistas e internautas, já que a censura se transferiu na última década para a internet, que se tornou o veículo mais rápido para mostrar a insatisfação social.
Nesse sentido, redes sociais como o Twitter e o Facebook são censuradas na China, além de sites relacionados aos direitos humanos ou à repressão no Tibete e em Xinjiang, entre outros, sob a justificativa do governo de que são veículos para propagar a secessão e o terrorismo.

Último Segundo

Conceito prévio


Engana-se quem acredita que o preconceito é cultivado somente em países miseráveis e sem educação, pois no tal primeiro mundo também há preconceito. Qualquer preconceito é desfavorável à civilização e o problema está com o preconceituoso e não com o que sofre a discriminação, daí dever ser tratado aquele como sintoma. A homofobia é exercida num sintoma em que o sujeito denuncia seu "ódio de si"; os homossexuais e as lésbicas existem e são realidade social e sujeitos de obrigações e de direitos e a sociedade deve respeitá-los, mas estes quase sempre também têm preconceito do sexo oposto. Os sujeitos de cor escura ou negra devem se orgulhar de assim ser, pois os preconceituosos raciais é que estão enfermos e não querem enxergar as boas qualidades que há nos negros.
A segregação racial, ou apartheid, na África do Sul, existe ainda hoje, pois há entre os negros também algum tipo de preconceito de cor, ou seja, a questão é mais complexa do que se imagina, seja lá o que se imagina.
Nos Estados Unidos há segregação racial e os negros são vergonhosamente discriminados, mostrando que o título de primeiro mundo não conseguiu ultrapassar a fronteira do preconceito.
Na França, país das liberdades e da igualdade, em tese, é possível ver e ouvir discriminações entre os seus patrícios e estrangeiros que ali buscam explicitar as suas limitações impedidas nas suas pátrias.
Na Alemanha pós-Hitler, há áreas proibidas para negros conhecidas como "no go area" dominadas impunemente por neonazistas.
Há discursos anti-semitas disfarçados de "intelectuais" entre notáveis e a xenofobia é praticamente existente em todos os países, pois se tomam as culturas nacionalistas exageradas - chauvinismo - e defendem e acreditam que somente seu país é bom e o seu povo puro. O preconceito está dentro do sujeito e não fora e deve ser tratado como sintoma maléfico à civilização.
Não há qualquer prova ou indicio de que a cor da pele, a religião ou a opção sexual influencie na formação do caráter e da personalidade do sujeito e, lamentavelmente, chegamos ao século XXI ainda convivendo com os preconceitos.


LUÍS OLÍMPIO FERRAZ MELO
Psicanalista

Diário do Nordeste

Certidões brasileiras sofrem mudanças


A partir de janeiro de 2010, os cartórios nacionais passarão a adotar novo modelo de certidão de nascimento, óbito e casamento. A mudança, que não invalida modelos anteriores, evita falsificações e previne erros.
O Ministério da Justiça anunciou que dentre os benefícios contra fraudes, a alteração ainda garante matrícula unificada, discriminados cartório expedidor, ano, livro e folha de registro. Assim, o controle entre nascidos e registrados é facilitado.
Nas certidões de nascimentos, duas novidades. O cartório passa a ser obrigado a emitir o número de Declaração de Nascido Vivo (DNV) no documento, que agora não precisará informar nome dos dois pais e nem a profissão que exercem.
A novo padrão, que ainda pode ser emitido em tamanho menor, foi requerido por uma ação conjunta do Ministério da Justiça, Secretaria Especial de Direitos Humanos, Corregedoria Nacional de Justiça e Associação dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen).


Irã dá um mês ao mundo para aceitar sua proposta de troca de urânio


TEERÃ, Irã — O Irã deu neste sábado às grandes potências ocidentais um "ultimato" de um mês para aceitar uma troca de urânio segundo seus próprios termos, avisando que quando este prazo vencer passará a produzir sozinho o urânio necessário para seu reator de pesquisa em Teerã, anunciou a TV estatal.
"A comunidade internacional tem um mês para decidir" se aceita ou não as condições de Teerã, declarou o ministro das Relações Exteriores, Manuchehr Mottaki, citado pela TV. "Quando este prazo vencer, Teerã enriquecerá o urânio em um nível superior. Isso é um ultimato", afirmou. O Irã rejeitou um projeto de acordo elaborado pela Agência Internacional da Energia Atômica (AIEA) segundo o qual o Irã deixaria a Rússia enriquecer em 20% a maior parte de seu urânio pouco enriquecido em troca do combsutível necessário a seu reator de pesquisa de Teerã.
No entanto, na terça-feira, as autoridades iranianas disseram que estão dispostas a aceitar uma troca de seu urânio pouco enriquecido no exterior, mas ressaltaram que o processo deveria ser conduzido por etapas.
O Irã é alvo de cinco resoluções do Conselho de Segurança da ONU, três das quais acompanhadas de sanções, por se recusar a suspender suas atividades nucleares sensíveis.




Melhor emprego do mundo em ilha paradisíaca vira pesadelo



Há um ano, muita gente se inscreveu num concurso australiano para ser zelador de um paraíso tropical. Um britânico ganhou e o paraíso se revelou menos paradisíaco do que se esperava.

Gastando pouco e com muita de cara de pau, o governo de Queensland chamou atenção nos quatro cantos do planeta.
Anunciou que estava aberta a vaga para o melhor emprego do mundo: zelador numa ilha paradisíaca, com direito a carro, casa e um baita salário.
Choveram candidatos e turistas. Ganhou o britânico, Ben Southall. Ele só precisaria mudar para a ilha e manter um blog, falando, claro, das maravilhas do paraíso.
Mas Southall percebeu na pele que os australianos não foram 100% sinceros quando anunciaram o concurso.
"Escapei de ser socado por um canguru, mordido por um tubarão e picado por aranha ou cobra. Acabei vítima desta criaturinha", escreveu o zelador, atacado, anteontem, quando nadava numa praia.
A criaturinha é uma espécie de água viva, quase invisível a olho nu, mas com um veneno cem vezes mais potente que de uma cobra. O zelador só sobreviveu porque o socorro foi rápido.
Recuperado, talvez tenha aprendido que algumas promessas são boas demais para serem verdade...


Jornal Floripa

Pai e filha morrem ao cair de prédio no centro de Porto Alegre


Homem teria atirado a criança e se jogado da janela em seguida

Um advogado de 62 anos e sua filha de três anos morreram ao cair do 12º andar do número 59 da Rua Jerônimo Coelho, no centro de Porto Alegre.
O corpo da menina foi encontrado numa laje no sexto andar de um edifício vizinho, enquanto o do pai estava no piso, em um pátio interno do prédio de onde os corpos caíram, às 10h50min deste sábado.
A criança seria filha do segundo casamento e estaria com o pai para passar o feriadão de Ano-Novo.
Conforme a Brigada Militar, Carlos Emelau teria arremessado a filha Marcela e, depois, se jogado. No momento em que a BM chegou ao local, chamada por vizinhos, os policiais ouviram o estrondo do corpo do pai caindo.
— O que temos aqui é um homicídio seguido de suicídio — disse o tenente Rogério Martins Suman, do 9º Batalhão da Brigada Militar (9º BPM), que atendeu a ocorrência.
No apartamento, um JK, não havia cama, apenas colchonetes espalhados pelo chão, nem brinquedos ou equipamentos como televisão, segundo o sargento Ricardo Santos Ayedo, do 9º BPM, que entrou no local.
Ayedo contou à reportagem que, quando estava no apartamento, o telefone tocou e era a mãe da criança querendo falar com a menina. Ela informou que estava em Lajeado, e o policial pediu, sem informar das mortes, que a mãe se dirigisse à Capital.


Avó que perdeu 2 netas na Ilha Grande fala da tristeza da filha, que está internada


RIO - Rose Brasil, a mãe da jornalista Claudia Cristine Bibaski Brasil Repetto, de 42 anos, esteve agora há pouco no apartamento da família, no Jardim Oceânico, Barra da Tijuca. Muito abalada, ela conta que a filha e o marido, Marcelo Repetto Filho, ainda estão internados - ela no Copa D'Or e ele na Clínica São Vicente - e já sabem da morte das filhas, Gabriela, de 9 anos, e Giovanna, de 12.
- Minha filha está chorando muito. Ela não consegue falar o que aconteceu com as filhas, e me disse: 'Mãe, vou precisar muito da sua força' - disse Rose.
A família passava o réveillon em uma casa alugada na Ilha Grande, junto com os tios Renato de Assis Repetto e Ilza Maria Roland, ambos de 50 anos, mortos na tragédia. Eles estavam dormindo quando escutaram um estrondo por volta das 3h30m do dia 1º. Tentaram correr, mas a parede desabou antes que eles saíssem da residência.
Marcelo Repetto, pai de Marcelo e irmão de Renato, também esteve no apartamento.
- Perdemos duas princesinhas - afirmou, referindo-se às netas.
No site de relacionamento Orkut, dezenas de mensagens registram o sofrimento dos amigos com a morte das meninas Giovanna e Gabriela Repetto. Lisley escreveu "Gabi, nós te amamos muito", no perfil da caçula. Larissa, amiga de Giovanna, deixou um depoimento emocionante:
"Desde o maternal juntas...isso não é para qualquer um, não é mesmo? Pois é, você já deve imaginar o quanto eu vou sentir sua falta, você significa muito pra mim, por isso eu digo: descanse em paz, e desejo que você vá para um lugar ainda melhor que esse!"

Waleska Borges


O Globo

Na esteira da venda de crack, vêm outros crimes, como roubos e furtos


Além da 314/315, outro ponto da Asa Norte chama a atenção pela movimentação imposta pelo crack. Na 710, o tráfico e o consumo das pedras ocorrem entre a comercial e as casas e prédios residenciais. Áreas usadas como estacionamento durante o dia se transformam em corredor da droga à noite. É preciso apenas que as lojas voltadas para as 700 encerrem o expediente no fim da tarde para que o comércio noturno tenha início. As negociações e o uso são realizados a poucos metros dos lares dos moradores da região.
Quem circula por ali reclama da insegurança. São comuns roubos e furtos, a maioria praticados por crackeiros. “Eu salvei uma mulher de um assalto faz poucos dias. Ela vinha com um bebê e alguns jovens só não a assaltaram porque passei de carro e falei para ela entrar no veículo o mais rápido possível. Não dá mais esse crack por aqui”, reclamou um morador da 710 Norte, também funcionário de uma loja da localidade. Segundo ele, o comércio de drogas avança a madrugada e mantém a vizinhança acuada e com medo — quase todas os imóveis têm muros altos, alarmes e cercas eletrificadas.
A circulação das pedras na 710 Norte pode ser medida a partir da mais recente apreensão ocorrida no lugar. No último dia 26, um sábado à noite, policiais militares encontraram 200 pedras em poder de dois adolescentes. O flagrante ocorreu às 18h40, quando a dupla desceu de um ônibus e ficou a perambular entre as quadras comercial e residencial. A inquietação deles chamou a atenção da PM, que os surpreendeu em flagrante. Os garotos prestaram depoimento na Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e devem responder a processo por tráfico de entorpecentes.

Dificuldades
O tenente Jerônimo Araújo, da Comunicação Social da Polícia Militar do Distrito Federal, admitiu dificuldades no combate à escalada do crack na Asa Norte. Segundo ele, porém, as variáveis que tornam propício o tráfico de drogas na região e na capital do país são mais sociais do que de segurança pública. “O policiamento ostensivo está equilibrado entre a Asa Sul e a Asa Norte. É proporcional. Historicamente, no entanto, a Asa Norte sempre teve mais pontos de tráfico. Desde 1970 há pontos de prostituição, o que também atrai a venda de entorpecentes”, explicou.
Araújo disse ainda que a localização da Asa Norte contribuiu para a proliferação de traficantes e usuários das mais diversas drogas. “O bairro fica próximo ao Varjão do Torto, que recebe muita droga da Bahia, do Nordeste. São fatores como esses que contribuem para o maior número de pontos de tráfico, que sempre houve no fim da Asa Norte”, afirmou o tenente. As operações da Polícia Militar do DF se espalham pelo bairro, mas estão concentradas nas quadras 314, 315 e 710 Norte. Houve intensificação no último mês.
Para o delegado-adjunto da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), Rogério Borges Cunha, a pulverização do tráfico de crack dificulta as estratégias de combate. Além de as pedras serem de fácil manuseio, os craqueiros mudam de local de atuação a cada ação policial. “A gente atua em um determinado lugar e eles logo vão para outros. Os clientes contam com a mesma facilidade e descobrem rápido os novos pontos”, revelou Cunha. A Polícia Civil ataca o comércio de crack não só com as delegacias locais. A Coordenação de Repressão às Drogas investiga os traficantes de grande porte.

Operação especial
A diretora do Conselho Comunitário de Segurança de Brasília, Maria Alice Caetano, acredita que os descampados da Asa Norte contribuem para a presença de traficantes e viciados. São áreas isoladas, de cerrado e sem urbanização, onde funcionam pequenas bocas de fumo. Algumas inclusive no Parque Burle Marx, entre a 908 Norte e o futuro Setor Noroeste. “Na Asa Sul, há menos locais disponíveis. Na Asa Norte, por ser mais nova, também há menos opções de lazer e ainda muito a construir”, avaliou Maria Alice, também vinculada à Subsecretaria de Proteção às Vítimas da Violência (Pró-Vítima).(1)
A entidade prepara para este ano operação em conjunto com as polícias Civil e Militar, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest), a Secretaria de Saúde e o Conselho Tutelar. “Será na Asa Norte, pois é onde se concentra o problema do crack. Faremos um trabalho voluntário de abordagem e convencimento com os usuários. Vemos por que não está na escola, com a família e mapeamos o problema”, contou a diretora comunitária. O trabalho será marcado de acordo com a disponibilidade dos órgãos envolvidos. (GG)

1 - Assessoria
O programa da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania do DF existe desde março de 2009. Tem como finalidade dar visibilidade aos direitos dos cidadãos atingidos direta ou indiretamente por crimes violentos, assegurando atendimentos multidisciplinares nas áreas psicossocial e jurídica.

Fique atento

Onde buscar ajuda:
Caps-AD (Guará): 3567-1967
Caps-AD (Sobradinho): 3591-2779


Como denunciar:
Polícia Militar: 190
Polícia Civil: 197

Guilherme Goulart


Correio Braziliense

SOS - Papai e Mamãe!



SOS Papai e Mamãe é uma organização não governamental, sem fins lucrativos que surgiu a partir de um grupo de pessoas, em sua maioria, pais e mães separados e conscientes da importância de uma convivência harmoniosa e equilibrada entre pais e mães em benefício dos filhos.


Após a separação, esposa e marido não existem mais.
Pai e mãe, permanecem para sempre.



Apesar dos constantes estudos e pesquisas a respeito das relações humanas e do direito de família, poucos foram os avanços na prática de uma convivência saudável entre pais e mães separados no sentido de priorizar a criação e a formação de seus filhos.
Porém, discussões sem fim sobre visitas, pensão alimentícia, etc., tem sido adotadas para disfarçar rancores e mágoas de uma relação desfeita, sonhos e projetos frustrados. Em certos casos, quadros de desequilíbrio mental prejudicam ainda mais a situação. No meio disso fica o poder judiciário, restrito a soluções baseadas em paradigmas e preconceitos, nada podendo fazer, aparentemente, para garantir a convivência e a formação das crianças com seus pais.
Além disso, um fato de enorme gravidade ocorre de forma velada e normalmente é tratado como se fosse um "assunto proibido" pela sociedade que é silenciosa, conivente e até mesmo cúmplice, mas responsável. É a falta de atitude de pais e mães.
Em pesquisa de 2001 realizada pelo IBGE, a guarda de filhos menores de 18 anos fica com a mãe ao final do casamento em mais de 80% dos casos. E o que se percebe em nossa sociedade é a falta de atitude de pais que abandonam seus filhos por inúmeras razões ou se tornam "visitantes" dos filhos. Ora, "visitantes" são avós, tios, primos e amigos. Pai e mãe juntos devem formar este novo indivíduo, criando-o, amando-o e preparando-o para a vida.
No entanto, muitos pais e mães são omissos. "Escondem-se" com desculpas. Não querem "bater de frente" com a mãe ou o pai de seus filhos. Se fragilizados, procurem ajuda, mas tenham atitude. E o pior, o outro alimenta esta situação e pouco incentiva a convivência dos filhos com ambos.


Pais e mães: Acordem!

"Se não são mais um casal, são parceiros e responsáveis por sua prole para sempre! Tenham atitude! Assumam esta situação!
Suas crianças dependem de vocês! De vocês dois
! "

A SOS Papai e Mamãe! tem as crianças como principal foco. Com efetivo contato, colaboração e participação de profissionais e instituições do Brasil e do exterior, pretende promover a conscientização de nossa sociedade para a importância destes assuntos, propor e desenvolver ações práticas para que as crianças possam ter uma convivência equilibrada com seus dois pais e, através deste site, ser uma fonte de consultas para profissionais e público em geral.


SOS Papai e Mamãe!
Este é o grito de muitas e muitas de nossas crianças!


Convite a uma nova postura
A realidade, a legalidade, a humildade, a coragem e a criatividade


SOS - Papai e Mamãe!

Novo cadastro deve começar neste mês


Com a implementação do novo Registro de Identidade Civil (RIC) em 2010, deve haver mudanças nos documentos dos brasileiros.

O documento reunirá os números de todos os registros dos cidadãos – como CPF, Carteira de Trabalho, Carteira Nacional de Habilitação e Título de Eleitor, além do Registro Geral. A expectativa é de que o cadastro para a emissão das novas carteiras de identidade comece neste mês.
Ao solicitar o RIC, o cidadão passará pelos procedimentos habituais para obter a carteira de identidade, com coleta de digitais, fornecimento de dados pessoais e assinatura. A diferença, segundo a Polícia Federal, é que o processo será totalmente informatizado, garantindo um cadastro nacional biométrico.
O novo cartão terá um sistema complexo de tecnologia, que inclui microchip e dados gravados a laser no documento para evitar falsificações e agilizar a transmissão de dados no território nacional. Os órgãos regionais deverão receber estações de coleta e transferir os dados para o órgão em Brasília, que emitirá a nova identidade.

imagem:Google


Zero Hora

Obesidade mata mais do que se imagina


A obesidade pode ser um problema ainda mais sério para a saúde do que se imagina. É o que revela um estudo divulgado nesta quarta-feira pelo British Medical Journal. Cientistas do Instituto Karolinska de Estocolmo (Suécia) e da Universidade de Bristol (Grã-Bretanha) chegaram à conclusão de que estar acima do peso pode aumentar o risco de morte por doenças cardiovasculares em até 82%.
Pesquisas anteriores já haviam demonstrado a relação direta entre obesidade e mortalidade por doenças cardiovasculares, diabetes ou alguns tipos de câncer. Já um Índice de Massa Corporal (IMC) baixo está associado ao aumento da taxa de mortalidade por doenças respiratórias ou câncer de pulmão.
Os cientistas, porém, afirmam que a última associação pode ser alterada por outros fatores, como o fumo ou aspectos socioeconômicos. Também destacam o fato de que uma doença grave, como por exemplo o câncer de pulmão, provoca perda de peso e mortalidade mais elevada.
Desta vez, os cientistas compararam o IMC de pessoas com idades entre 17 e 25 anos e a mortalidade entre os pais dos pesquisados. A análise teve como base mais de um milhão de duplas filhos-pais suecos, com a medição da altura e peso dos filhos entre 1969 e 2002.
De acordo com os pesquisadores, os resultados sugerem que as aparentes consequências negativas de um IMC baixo na mortalidade por doenças respiratórias e câncer de pulmão são superestimadas, enquanto os graves efeitos de um IMC alto são subestimados.
Um adulto é considerado acima do peso recomendável quando seu IMC (relação entre peso e altura elevada ao quadrado) está acima de 25. A obesidade acontece quando esse número supera 30, e a pessoa fica abaixo do peso quando o índice é inferior a 20.


Malhando em ferro frio para inglês ver


A família brasileira do menino Sean Goldman anunciou que vai continuar disputando a guarda do menino na Justiça brasileira.
Admitamos, por absurdo, que uma futura decisão lhes seja favorável e dê ao padrasto e à avó a guarda de Sean, filho de David Goldman - que a imprensa brasileira maldosa e erradamente chamou de "pai biológico" (Sean foi adotado no Brasil, por acaso?). Pergunta: como cumprir tal determinação, se o menino está morando nos EUA, de onde nunca devia ter saído?
Isso me lembra um ensinamento que me foi passado ainda nos bancos da faculdade (meu amigo Maxsuel deve lembrar) pelo magnífico Fernando Miller, exemplar professor de Direito Civil:
"Só se tira leite de vaca que dá leite"...

imagem:Google

Nova Escola de Pais


Iniciativa da Câmara Municipal
O concelho de Alfândega da Fé vai dispor te uma “Escola de Pais” cujo principal objectivo é formar pais emocionalmente competentes. O projecto partiu da iniciativa da Câmara Municipal que, deste modo, pretende dar resposta a famílias com crianças com necessidades especiais, mas também a outras famílias e profissionais que lidam de perto com pessoas que têm algumas incapacidades. Neste concelho estão identificadas cerca de 60 pessoas com necessidades especiais. A Escola de Pais de Alfândega da Fé vai começar a funcionar no próximo mês de Fevereiro nas instalações da Biblioteca Municipal. Todos os interessados podem formalizar a inscrição junto deste serviço municipal. Os cursos têm duração de 30 a 50 horas, distribuídas por duas a três horas, uma vez por semana, num horário a decidir pelos formandos. A formação está aberta à participação de todos os pais, educadores e outros técnicos interessados em adquirir e melhorar as competências para lidar com crianças, especialmente crianças com necessidades especiais. Esta será uma forma de suprir algumas das dificuldades sentidas pelos pais, que vão encontrar neste serviço um local de troca de experiências e vivências e, sobretudo, de aprendizagem. O serviço da escola permitirá que os pais possam deixar os filhos ao cuidado de voluntários, durante o tempo que decorrem as acções de formação. Neste espaço, as próprias crianças vão poder desenvolver diversas actividades lúdico-educativas.

Portugal

Mensageiro Notícias

Chuvas no Rio de Janeiro: Deslizamento de terra soterra pousada e casas em Angra dos Reis e causa mortes



RIO - Pelo menos 30 pessoas morreram nos deslizamentos de terra em Angra dos Reis, elevando para 51 o número de mortes no estado em consequência das chuvas que castigam o Rio desde quarta-feira. Na Praia do Bananal, na Ilha Grande, já foram resgatados 19 corpos, incluindo uma criança de 4 anos e uma menina de 13 anos. Um deslizamento atingiu a pousada Sankay e casas vizinhas. As informações são do Coronel Pedro Machado, Comandante do Corpo de Bombeiros. De acordo com ele, outros oito foram retirados no Morro do Carioca, no centro da cidade. Também no Morro do Carioca, três corpos foram localizados em uma área de difícil acesso e só poderão ser removidos pela manhã. A estimativa é que o número de mortos na ilha chegue a 50. Foram atendidos no hospital da cidade 59 feridos. Oito deles, em estado grave, tiveram de ser operados.
Em outras áreas do Morro do Carioca e do município as buscas continuaram durante a noite. Mais de 120 homens trabalham nas buscas na praia do Bananal e no Morro. Segundo o secretário de estado de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, dez sobreviventes foram levados para hospitais de Angra, Rio e São Paulo.
- Entendemos que as pessoas queiram saber notícias, mas ninguém deve vir a Ilha Grande neste momento para não atrapalhar as buscas, pediu o secretário.
Oito corpos foram levados na tarde desta sexta-feira para o Instituto Médico Legal (IML) do Rio, que atenderá os casos que necessitam de identificação. Segundo a nota do governo estadual, os corpos que foram reconhecidos pelos moradores das localidades estão sendo levados para o IML de Angra.
O Diretor do IML do Rio, Frank Perlini, informou que, entre os oito corpos há três adultos homens, três adultos mulheres, um menino de cerca de quatro anos e uma menina de aproximadamente 13 anos. As impressões digitais já foram colhidas e os técnicos aguardam a chegada de parentes para o reconhecimento oficial. O IML montou um esquema especial para receber os corpos e os familiares das vítimas. O auditório e duas salas do prédio estão reservados para esse trabalho, que conta com uma equipe de humanização, com três enfermeiros e dois psicólogos, além de um psiquiatra e quatro assistentes sociais.
De acordo com o governo do estado, mais de 80 bombeiros trabalham no resgate na Praia do Bananal, com o apoio de 20 policiais militares e civis. Ainda não se sabe quantas pessoas continuam sob os escombros. No Morro do Carioca, 40 bombeiros trabalham nas buscas.
O vice-governador e secretário de Obras, Luiz Fernando Pezão, que acompanha os trabalhos em Angra, informou que um estaleiro da região vai mandar equipamento para a Praia do Bananal para auxiliarem na retirada dos escombros.
- É um cenário muito triste. Moradores nos disseram que as casas da praia estavam alugadas para turistas. O resgate hoje (sexta-feira) deve varar a noite - disse o vice-governador.
Pezão também informou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva colocou a Marinha a disposição para ajudar no resgate das vítimas em Ilha Grande. Já o Governo do Estado está apoiando o município de Angra com bombeiros e máquinas para desobstruir estradas e auxiliar resgates pelo município.


Chuvas causam deslizamentos e mortes também em São Paulo e Minas Gerais

Pelo Twitter, Preta Gil comenta tragédia em Angra dos Reis

O chefe de Relações Públicas da Defesa Civil de Angra, Francisco Judice, afirmou em entrevista ao Jornal Hoje que uma mulher de 18 anos foi resgatada com vida dos escombros.
No Centro de Angra dos Reis, a Defesa Civil disse que 22 pessoas estão desaparecidas no Morro da Carioca, onde um deslizamento de terras atingiu várias casas. O vice-governador, o secretário estadual de Saúde e Defesa Civil, Sérgio Côrtes, o prefeito Tuca Jordão e o ex-prefeito Fernando Jordão estão acompanhando os trabalhos dos bombeiros no Bananal. Pezão acredita que o número de vítimas pode chegar a 40.

Morre menina socorrida num deslizamento em Cascadura, no Rio de Janeiro


- A encosta desceu sobre a pousada, que é uma das mais luxuosas da Ilha Grande. O deslizamento ocorreu às 3h30m. A maioria dos hóspedes estava dormindo - disse Fernando Jordão.

Casas e pousadas sob toneladas de lama
Mais de 80 bombeiros participam das buscas, com o apoio de 20 homens das polícias Militar e Civil, além da Marinha. O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Pedro Machado, disse que ainda não há informação precisa sobre quantas pessoas continuam soterradas, mas as chances de resgatá-las com vida são muito pequenas.
As casas e a pousada estão debaixo de toneladas de lama. Segundo o comandante, o resgate é mais difícil porque não é possível utilizar equipamentos pesados para não correr o risco de o terreno ceder. Os bombeiros fazem um trabalho manual com pás e picaretas. Eles ainda tentam encontrar as vítimas da pousada.

Estado de calamidade pública
O prefeito de Angra decretou estado de calamidade pública no município. A tradicional procissão marítima de Angra, realizada no primeiro dia do ano, foi suspensa por falta de segurança no mar. O prefeito também decretou luto oficial de três dias. Por causa das chuvas, boa parte da Ilha Grande está sem luz. Com isso, os telefones e os sistemas de rádio da ilha estão sem funcionar, dificultando a comunicação com a localidade.
Foram contabilizados 30 grandes deslizamentos e registradas 200 ocorrências. Até a tarde desta sexta-feira, 800 pessoas estavam desalojadas e 30 casas teriam sido completamente destruídas. Outras cem casas foram interditadas. Em Perequê, na divisa com Paraty, houve uma inundação que deixou 634 moradores desalojados.
Por causa de deslizamentos de terra, há bloqueios nos dois sentidos da Rodovia Rio-Santos . A orientação da Polícia Rodoviária Federal é para que os motoristas não se dirijam para a rodovia nem saiam de Parati em direção a São Paulo.

Chuvas começaram na quarta-feira
Segundo o secretário de Governo e Defesa Civil de Angra, Alexandre Soares, informou que o município foi castigado por um grande volume de chuva num curto período de tempo:
- O município foi pego por uma chuva absurda num curto espaço de tempo. Por mais medidas que a prefeitura adotou ao longo dos anos, como contenções de encostas etc, o volume foi muito grande, o que ocasionou diversas ocorrências em Angra dos Reis - disse Soares.
Segundo ele, as chuvas começaram às 15h de quarta-feira e só pararam às 7h desta sexta, mas foram os temporais da madrugada desta sexta que provocaram os deslizamentos na Praia do Bananal e em morros como o da Carioca, da Glória e do Abel.

O Globo

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

VIDA SOBRE RODAS



A jornalista Flávia Cintra, a atriz Tabata Contri e o empresário Renato Laurenti contam como é possível trabalhar, cuidar da casa e dos filhos, se exercitar e continuar a vida sobre uma cadeira de rodas.

Leia o especial sobre deficiência física em http://veja.abril.com.br/em-profundidade/deficientes-fisicos/

Para Isabella



A cor da lágrima
Por que a lágrima não tem cor?
Enquanto chorava, me pus a pensar.
Se fosse vermelha como sangue,
as minhas vestes poderiam manchar.

Se a lágrima fosse amarela,
a cor da alegria,
expressar tristeza jamais poderia.

Se fosse azul,
a cor da serenidade,
eu não choraria jamais.
Seria só tranqüilidade.

Se fosse branca
como pétalas de rosas,
não seriam lágrimas...
Mas pérolas preciosas.

Ainda mais uma vez
fiquei me questionando...
Por que a lágrima não tem cor?
Se ela fosse preta,
só expressaria o horror?

Por que será que a lágrima não tem cor?
A lágrima não tem cor...
Porque nem sempre exprime dor.

E se ela fosse roxa, como poderia
expressar a alegria?

As lágrimas não têm cor
porque são expressões da alma.
Quando o espírito está chorando,
o coração diz: tenha calma!

Se a lágrima tivesse cor
deveria ter a cor do amor.
Ou mesmo a cor da paixão,
que as vezes invade o coração.

Ou talvez a cor da tristeza
que abala a alma e tira a calma,
mas faz em meu ser uma limpeza.

A lágrima não tem cor,
porque ela nos aproxima do nosso Criador.
Se a lágrima tivesse cor,
eu só iria chorar de alegria.

Mas, e a lágrima da saudade?
De que cor ela seria?
E a lágrima da decepção,
de que cor seria então?

Se a lágrima tivesse cor
deveria ter a cor de um brilhante.
Como a lágrima é preciosa,
Deus deu-lhe a cor do diamante.

Wayne W. Dyer

A Vida do Meu Filho


Henrique chegou....Sean foi
Para seu quarto período de férias no Brasil desde que foi levado para a Austrália, Henrique chegou na noite do dia 22 e me foi entregue na manhã seguinte. Como de hábito, a vinda não ocorreu sem sustos. Desta vez, o casal partiu para a chantagem explícita.
No início de dezembro, o juiz da 4ª Vara de Família, o mesmo que deu sentenças favoráveis a mim ao longo do processo por entender claramente quem estava pensando no Henrique e quem estava pensando em vantagens pessoais, determinou a realização de uma nova perícia. A primeira, concluída em abril de 2006, foi acachapante no sentido de preservar os vínculos entre pai e filho, e deixou clara a impossibilidade de eles saírem do Brasil com Henrique por meios legítimos. Daí mudaram de advogado (trocaram o já barra-pesada escritório de Paulo Lins e Silva pelo inclassificável de Lauro Schuch) e encomendaram uma rota de fuga com direito àquela liminar criminosa.
Como quem deve teme, Roberta comunicou, através de um telefonema do seu advogado para o meu, que não viria se eu não assinasse um acordo definitivo. Explicando: com um acordo definitivo, estaria encerrado o provisório e, por tabela, todo o processo da 4ª Vara, incluindo a perícia. Ou seja, ela não ia correr o risco de submeter o Henrique a uma perícia sabendo que muitas das suas mentiras e omissões poderiam ser postas em xeque.
Pensei seriamente em bancar o durão, mantendo a perícia e o processo. No entanto, refletindo um pouco melhor, vi que deixaria de ver meu filho não só agora, mas talvez por muito tempo. Mãe e padrasto não têm relações afetivas aqui, não precisam vir ao Brasil, pois a prioridade dele é a profissão no exterior, e ela é só uma pochete vazia a ser carregada por aí enquanto o dono mantiver o interesse, sem ter profissão, fonte de renda (salvos os eventuais depósitos do pai) e ninguém que a queira por perto.
Decidi ceder (mais uma vez!), apenas não aceitando uma novidade que eles queriam enfiar no acordo e que deve florescer em 2010: a mudança de país. Não chega a ser uma baita surpresa. Além do que escrevi no parágrafo acima, o padrasto não consegue fincar raiz em lugar nenhum. Já morou no Rio, em São Paulo, Florianópolis, Washington, está na sua segunda passagem pela Austrália... Depois de mais de três anos, é hora de se mexer de novo.
A estratégia foi exatamente a mesma de 2005, quando ainda pensavam em mudar para os EUA: queriam que eu assinasse uma autorização de mudança de país sem me informarem onde Henrique viverá e com que projeto educacional e terapêutico. O padrasto, por causa de sua patologia e do consequente autoritarismo assinalado até por um juiz e um desembargador, não concebe que precise pedir licença a alguém para fazer algo. A mãe já não concebe mais nada, porque perdeu a capacidade de pensar e decidir, que nunca foi forte.
Não aceitei, mas sei que isto não deverá impedir a mudança. Roberta tem a guarda, e possivelmente me comunicará quando já estiver fora da Austrália. Disse a ela que não me oponho a priori, pois pode ser boa uma mudança para os Estados Unidos, por exemplo. Mas se o cara for tentar achar petróleo na Rússia ou estudar tsunami na Indonésia, não creio que seja legal para o Henrique. Como a prioridade não é mesmo meu filho, é possível que em breve já esteja ele tendo que lidar com uma terceira língua, uma nova cultura, novos terapeutas e professores, tudo diferente.
No primeiro dia em que esteve comigo, dia 23, Henrique chorou um pouco dentro do táxi. Era um choro de angústia provocado nitidamente (para mim, que o conheço) pelo cansaço de mais uma viagem absurda, por essa mudança de rotina a que ele é submetido com frequência. Chegando aqui em casa, relaxou. O fato de eu ter me mudado para um apartamento maior, com um quarto só para ele e um quintal onde foi montada uma pequena piscina, ajudou muito. E Gabriela, minha mulher, dá um suporte emocional e estrutural decisivo para que tudo dê certo. Ele tem se sentido bem.
Roberta me entregou os remédios que ele toma na Austrália e um que eu nunca soube que tomasse. Em janeiro passado, numa conversa entre mim, ela e uma das terapeutas brasileiras do Henrique, Roberta estranhou quando eu disse que tinha dado um remédio para que ele dormisse na viagem de avião (duram 20 horas as duas somadas: Perth-Joanesburgo e Joanesburgo-São Paulo; depois ainda tem a ponte aérea). Insistiu por mensagem durante o ano que eu revelasse o nome do remédio, o que eu fiz. Pois qual não foi a minha surpresa ao receber dela uma substância para “ajustar o fuso”! É a melatonina. Basta pesquisar no Google para ver que serve como indutor ao sono, especialmente para crianças. Não vejo nenhum problema em dar, mas por que tanta mentira, tanto eufemismo? São as patologias dessa gente. Felizmente, não precisei dar nenhuma vez. Ele começou dormindo por volta de 21h e acordando por volta de 6h. Agora está dormindo por volta de 22h e acordando por volta de 7h.
Como a doença de Roberta se manifesta na criação de um mundo de fantasias, é necessário que alguém diga umas verdades. Henrique tem fortes estereotipias, sim! Faz um “iiiiiiiiiiiii” com freqüência enquanto bate de leve com algum objeto no dorso da mão. Pode ficar horas sem fazer, mas também pode fazer por horas. O jeito é atrai-lo para outras atividades, embora haja momentos em que ele se recuse: diz “não!”, “para!”, “sai!”, e se nega a interagir.
Violento não tem sido, ao contrário do ano passado, quando teve reações agressivas. Mas nos primeiros dois dias chegou a se morder de leve no braço. Agora, já esqueceu disso. E quando está com muito sono e é contrariado, pode partir para cima do adulto com os punhos fechados para bater. Conversando com cuidado, ele para.
No geral, dá para dizer que Henrique está um pouco melhor. Um pouco mais concentrado, falando algumas palavras a mais, entendendo quase tudo o que é dito em português, e até cantarolando uma musiquinha em inglês (onomatopaicamente). Como é uma criança inteligente, está absorvendo coisas boas das aulas e das terapias. Tem dificuldade de discernir outras. Por exemplo: ensinaram que é obrigatório usar meias. Aí ele chega, no calor do verão carioca e vai de meias para praia. É o condicionamento passando do ponto.
Se acontecer de Henrique ficar na Austrália até a adolescência, é possível que avance mais. Infelizmente, não será verbal. Teria mais chances de ser (ainda que com vocabulário e prosódia precários) no Brasil, com uma língua só e mais afeto em volta. Mas nessa esfera do condicionamento, da obediência aos comandos e da comunicação prática, poderá melhorar. Se for para outro país, não dá para prever.
Essa melatonina que surgiu agora deixa uma dúvida: ela não será dada durante todo o ano sempre que Henrique está nervoso? Não sei nem nunca vão me dizer. Torço para que não, pois vejo a agressividade dele como controlável. Como é muito forte e está cada vez maior, poderá causar alguns problemas se tiver crises nervosas no futuro. Até lá, é possível que o padrasto já tenha decidido sedá-lo com mais frequência ou interná-lo. Aí será outra briga.
Encerrar o processo da 4ª Vara não significa que não haja mais o que fazer na Justiça. Novos capítulos poderão surgir. Mas é preciso deixar claro que optei desde o final de 2006 por priorizar o contato com o Henrique em detrimento da luta por uma improvável vitória. E aí chegamos ao caso Sean.
O filho de David Goldman foi, sem dúvida, sequestrado, segundo a classificação da Convenção de Haia. David poderia assinar um acordo de visitação, recuar, mas também poderia continuar, porque tinha como acreditar que um dia ganharia. Nós, brasileiros, tendemos mais aos acordos, aos jeitinhos. Americanos costumam achar que as leis devem ser cumpridas. David levou cinco anos para derrotar a influência nociva de Paulo Lins e Silva nas instâncias menores da Justiça brasileira e conseguir, só no Supremo Tribunal Federal, a guarda do filho.
Eu não poderia querer tanto. É claro que Henrique foi raptado também. Mas Lauro Schuch é um advogado de bandido, só que atuando nas Varas de Família. Montou com uma desembargadora um esquema que tornou lícita a fuga, graças a uma liminar. Na segunda instância, o meu recurso ficou convenientemente parado um ano, para que a situação fosse encarada depois como “fato consumado”. Não tive meios para trazer Henrique de volta, não pude acionar a Convenção de Haia. Não teria como recorrer a políticos, ministros e diplomatas, como fez David.
Poderia, sim, recorrer à imprensa, e tive ofertas neste sentido. Mas seria expor Henrique demais com uma possibilidade incerta de êxito. Talvez funcionasse como um alerta, para que outros pais tomassem cuidado, para que a desembargadora também ficasse exposta, para que a Justiça se sentisse pressionada, mas preferi não comprar essa briga. Também perderia o Henrique, pois o casal ficaria ainda mais acuado e, sendo vistos em rede nacional como bandidos, não voltaria mais. Preferi manter algum contato com meu filho.
Para bancar sua luta, David precisou fazer dinheiro, muito dinheiro. Não conheço todos os meios de que ele se valeu. Vender a volta com o filho para uma emissora de TV certamente não foi o mais bonito. A verdade é que Sean foi manipulado pelas duas partes, e precisará de tempo e paz (esperamos que o show midiático de David se encerre logo) para encontrar um caminho. Quando fizer 18 anos, poderá decidir o que quer fazer da vida adulta.
Quanto à ameaça de David de cobrar da família materna os custos judiciais, parece absurdo para nós, “homens cordiais”, que achamos que tudo se resolve no afeto e que, se ele conseguiu o filho de volta, tem que passar uma borracha no que houve e pensar no amanhã. Mas, voltando ao já dito, americano tem mania de ser legalista, preto-no-branco. E quem perde essas causas costuma arcar com, pelo menos, uma parte das despesas. Afinal, se a Convenção de Haia tivesse sido respeitada lá atrás, há cinco anos, David não precisaria ter gasto US$ 500 mil
.
Voltando ao Henrique, ele passou com a mãe o dia 25, está passando hoje e deverá ficar com ela apenas mais uma data até a volta, no dia 22. Normalmente ela fica mais dias, mas chegamos a um acordo que, no futuro, ainda poderá trazer alguns aborrecimentos. Em vez de eu levá-lo para a Austrália no dia 29, como estava previsto e já havia passagem comprada para tanto, ele vai com a mãe no dia 22. Em troca, eu ficarei quase o período de férias todo com ele. Achei válido, pois eu teria apenas mais uma semana com ele, depois faríamos aquela viagem cansativa (talvez sem melatonina) e eu teria poucos dias em Perth para tentar falar com a escola, já que a coordenadora e a professora, sem certeza de que ainda serão responsáveis pelo Henrique, não tiveram como marcar antecipadamente comigo.
O que acontecerá na próxima briga judicial é que Roberta dirá que eu abri mão de uma semana com meu filho. Esquecerá que ela abriu mão também de uma semana, mas em dias espalhados. Para ela, foi uma conquista, pois poderá tirar férias do Henrique e deixar só o filho “normal” com os avós (eles nunca souberam lidar bem com o autismo do neto, em especial a avó). Ainda chegou a sugerir que eu passasse o dia 31 com ele, possivelmente para aproveitar uma festinha de réveillon, mas aí achei que não era o caso de se mexer tanto no acordo.
Em resumo, continua tudo muito confuso e amargo. Eu tenho 30 dias por ano para reaprender a ser pai, lidar com minhas imperfeições e consolidar meus acertos, entender mais na prática o autismo, trocar afeto com Henrique, estabelecer limites... Quando a situação começa a ganhar alguma rotina, chega a hora de ir embora. Aí a pedra rola abaixo de novo. Só quem ganha com isso é quem não vê o bem do Henrique como a prioridade maior, pondo uma série de outras coisas na frente. Enquanto assim for, será difícil.
Mas vamos torcer para que 2010 traga boas notícias, neste e em campos afins. O horizonte não anda muito claro para saber o que farão com o Henrique, mas vamos torcer e, se necessário, brigar, inclusive na imprensa. Antes tarde do que nunca.


Luiz Fernando Viana

Blog A Vida do Meu Filho

Julgamento do casal Nardoni deve durar até 3 dias, dizem TJ e MP


Acusados de matar Isabella vão a júri popular em 22 de março de 2010.
Alexandre e Anna Jatobá negam crime


O julgamento do casal Nardoni, marcado para ocorrer a partir das 13h da segunda-feira do dia 22 de março de 2010, deve durar até três dias. A previsão foi feita nesta quarta-feira (16) pela assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de São Paulo e pelo Ministério Público.
De acordo com o Tribunal e com a Promotoria, julgamentos de grande repercussão levam, em média, esse tempo para que o juiz determine a sentença dos réus.
Alexandre e Anna Carolina Jatobá são acusados de matar Isabella, de 5 anos, no dia 29de março de 2008. A madrasta da menina a teria agredido e o pai, a jogado da janela do sexto andar do apartamento do casal, em Santana, na Zona Norte da capital.
Segundo a assessoria do TJ, muitas pessoas terão de ser ouvidas pelo juiz Mauricio Fossen, do 2º Tribunal do Júri do Fórum de Santana, durante o julgamento -- que teve sua data divulgada na terça (15). Além dos envolvidos diretamente, pouco mais de 20 testemunhas (divididas entre as da acusação e da defesa) serão arroladas para prestar depoimento. Vídeos sobre o caso Isabella deverão ser exibidos no dia pela MP e pelos advogados dos Nardoni.
“A expectativa do Ministério Público é que o julgamento ocorra a partir de 22 de março. Pelos meus cálculos, acho que isso vai levar de dois a três dias. Não deve passar disso”, afirmou o promotor Francisco Cembranelli, responsável por denunciar o casal à Justiça.
“Eu arrolei quatro testemunhas. O médico legista Paulo Tieppo [do Instituto Médico Legal (IML)], a perita Rosangela [Monteiro, do Instituto de Criminalística (IC)], a delegada Renata [Pontes, que indiciou o casal] e Ana Carolina Oliveira [mãe de Isabella]”, disse Cembranelli. “Soube que a defesa arrolou 20 testemunhas, entre peritos do IC e até algumas testemunhas que eu arrolei.”
De acordo com o promotor, o julgamento será emblemático. “Vai atrair a atenção de muita gente”.

Policiamento reforçado

Ainda, de acordo com o TJ, haverá reforço policial no dia do julgamento no Fórum de Santana. O órgão, e a Polícia Militar, não entram em detalhes sobre como será feito o trabalho por questões de segurança e planejamento estratégico. Também haverá um esquema especial de trânsito, provavelmente com o auxílio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).
Não está confirmado, mas o juiz Fossen deverá abrir o julgamento à cobertura da imprensa. O local onde será realizado um dos mais esperados júris dos últimos anos deve ser o plenário número 3 do Fórum de Santana. Foi lá que o ex-cirurgião Farah Jorge Farah acabou condenado a 12 anos de prisão pelo assassinato da ex-namorada e paciente. Coincidentemente, seu advogado é o mesmo que defende o casal Nardoni: Roberto Podval.
O agendamento e credenciamento dos jornalistas que irão cobrir o julgamento dos Nardonis deve começar a ser feito em fevereiro de 2010, informa a assessoria do TJ. Dentro da sala, no entanto, deve ser permitido somente um bloco de anotações e caneta. Câmeras fotográficas, filmadoras e gravadores podem ser vetados. O uso do lap top ainda não foi debatido.

Caso

Segundo o Ministério Público, a morte de Isabella teria ocorrido após uma discussão. Alexandre e Anna Carolina negam que tenham matado a menina. Eles afirmaram à época que um desconhecido entrou no quarto da menina e a matou. Essa pessoa nunca foi encontrada pela polícia. Recentemente, os defensores do casal cogitaram a possibilidade de ter ocorrido até mesmo um acidente doméstico com a garota: Isabella poderia ter caído sozinha da janela.
O advogado de defesa dos Nardoni, Roberto Podval, não foi encontrado para comentar o assunto. Anteriormente, ele havia dito que algumas questões ainda precisam ser resolvidas até o julgamento, como a realização de um novo teste de DNA e que isso é prioridade. O advogado do casal disse que a amostra que o Ministério Público afirma ter sido colhida dos acusados de matar Isabella, e que está no Instituto de Criminalística (IC), não é sangue, mas sim urina.
Podval protocolou um pedido para a realização de novos testes de DNA. Na quarta (9), o Instituto de Criminalística divulgou o resultado do exame de DNA que comprovou que o material genético que está guardado no instituto desde 2008 pertence mesmo ao casal.

Entenda o caso Isabella
Publicado em 16/12/2009 no G1

Violência: 1598 pessoas mortas em Alagoas em 2009

Morte de padre no Santa Lúcia foi um dos crimes mais bárbaros (foto: Dulce Melo)

Embora número seja menor do que em 2008, ano termina como um dos mais violentos

O ano de 2009 finda com um número de mortes violentas considerado elevado, embora apresente queda se comparado com o anterior. Muitos assassinatos foram contabilizados tanto na capital quanto no interior de Alagoas. Na lista do Comando de Policiamento da Capital (CPC) até esta data (31), foram assassinadas cerca de 860 pessoas. Pelos cálculos do Comando de Policiamento do Interior (CPI) foram executadas 569 e mais 147 cadáveres foram achados, provavelmente vítimas de homicídio. Também foram registrados 21 crimes por latrocínio. Assim, no Estado, ainda extra-oficialmente, até o último dia do ano foram constatadas 1598 vítimas. Em 2008, a Secretaria de Defesa Social divulgou 2.060 crimes.
A socióloga e doutora Ruth Vasconcelos (foto à esquerda), professora da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), acompanha diariamente a estatística de homicídios, expondo os resultados em um painel no Campus Universitário, em Maceió. Apesar de a quantidade estarrecer a sociedade, ela é enfática ao falar sobre o assunto lembrando que isso não ocorre somente em Alagoas.
“Em todo o Brasil acontece isso. Evidentemente a repercussão aqui é mais forte mediante a população, então passa a ser proporcionalmente maior em relação à porcentagem em outros lugares”- ressalta a socióloga.
Para ela, os crimes acontecem em consequência da intolerância. “É como se as pessoas fossem envolvidas por um sentimento pelo qual não suportassem quem incomoda e vão eliminando o que é considerado obstáculo, por exemplo, quem está lhe devendo, quem lhe faz sofrer. Muitas mortes vêm por uma briga no trânsito, com vizinho, namorado”- afirma Ruth.
Ela entende que é tempo de mudança de valores e lembra que o problema existe em todas as camadas sociais. Concorda que a droga contribui fortemente com a questão da violência e diz que os jovens fazem uso de entorpecentes por que são absorvidos pela incapacidade de viver os limites da vida. “Os jovens ricos e pobres lançam mão da droga para se fortalecerem e aí fazem muitas coisas, inclusive se matam”- conclui.
Segundo a Diretoria de Estatística e Informática da Polícia Civil de Alagoas (Deinfo), em 2009, em Maceió, ocorreram 422 homicídios nos seis primeiros meses do ano, contra 585 nos seis primeiros meses de 2008.

Polícia

Com os números apresentados, os comandantes do CPC e CPI se manifestam. O tenente-coronel Mário Jorge da Hora, comandante da Capital, disse que a redução apresentada num comparativo com 2008 é efeito de novas medidas adotadas no processo de controle da violência.
Comandante do CPC, Mário da Hora, diz que estratégias estão sendo aplicadas no combate à violência (Foto: Dulce Melo)
“Claro que os elementos não são visíveis e os resultados tampouco imediatos. Mas, já apareceram e são mostrados na redução em vinte por cento no número de homicídios, pelo que temos registrado”- ressalta Da Hora.
O tenente-coronel Mário Sérgio, do Interior, disse que a nova estratégia dentro da Polícia Militar é a de polícia por resultados e que cada comandante de batalhão deve estabelecer a sua para reduzir os números da criminalidade.
Coronel Paulo Sérgio, comandante CPI diz que convencer as pessoas é um dos pontos principais (Foto: Dulce Melo)
“O combate à violência exige um planejamento e também um trabalho de convencimento dentro e fora da instituição. Temos bons policiais, aqueles com mais entendimento para essa fase de mudança, mas, também, os de mente arcaica e isso requer uma mobilização. A sociedade também precisa entender que a polícia sozinha não resolve todas as situações, ela é importante e deve somar, participar. Uma das coisas boas que aconteceu na corporação foi a implantação da Polícia Comunitária que permite uma maior proximidade entre polícia e sociedade e esta não pode nunca perder a confiança nos órgãos públicos. É preciso deixar claro que a polícia não resolve as questões sociais, por essa razão é necessário que ações sejam implantadas e que as pessoas também tenham referências políticas”- diz o comandante, referindo-se a representantes do povo que dão maus exemplos que podem ser copiados.
Ambos (CPC e CPI) falam sobre a divisão de responsabilidades nas áreas (Polícia Civil e Polícia Militar) e asseguram que somente com um trabalho mútuo tudo seria agilizado.
Eles esclarecem que, atualmente, cada batalhão tem uma área, mas nem sempre a delegacia do local responde por ela. Logo, o trabalho fica solto. Os coronéis falam sobre este modelo de polícia já adotado por outros estados como Minas Gerais, Pernambuco e São Paulo.
Nestes, para cada área de responsabilidade de uma unidade militar, existe uma delegacia com sede no local.

Fonte: Gazeta Web


Leia mais sobre o caso de Santa Lúcia: Necropsia aponta que padre foi parcialmente degolado
http://periciacriminal.com/novosite/2009/11/09/assassinos-de-padre-alegam-que-agiram-em-legitima-defesa/
Perícia Criminal.com

Médicos irão ao Suriname socorrer estupradas


BRASÍLIA. A Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres enviará ao Suriname, segunda-feira, uma equipe especializada para atender as brasileiras vítimas de estupro. A intenção é garantir às mulheres agredidas no dia 24, na cidade de Albina, o mesmo tratamento previsto para esses casos no Brasil. Entre as estupradas há três grávidas. (Leia também: Avião da FAB resgata brasileiros no Suriname)
- Há urgência em mandar a nossa equipe, com psicóloga, assistentes sociais e um médico especialista em violência sexual. Precisamos saber o que está sendo feito. No Brasil, seguimos um protocolo técnico de profilaxia de HIV e para evitar a contracepção. Se não puder ser feito lá, podemos trazer as mulheres ao Brasil - disse Clarissa Carvalho, da Secretaria de Mulheres. (Veja também: Brasileiros ainda temem ataques no Suriname)
Na noite de quarta-feira, um voo da FAB trouxe mais 31 brasileiros para Belém, inclusive três homens que estavam internados em Paramaribo, todos vítimas de ataques em Albina. Os três foram levados ao Hospital Ordem Terceira, em Belém. Entre os 31 brasileiros repatriados, nove são mulheres. Clarissa foi a Paramaribo acompanhar a situação, mas não recebeu informações do governo surinamês. (Saiba mais: Imigração ilegal originou ataques, diz antropólogo americano)
- A esta altura tínhamos que ter mais informações concretas. Não conseguimos muito quando estivemos lá - disse Clarissa.
Segundo ela, muitas vezes o estado de choque de vítimas de estupro impede que elas consigam até relatar o incidente ou até mesmo tomar decisões simples. Para o padre José Vergílio, que acompanha o atendimento médico às mulheres atacadas, o envio da equipe brasileira será "um presente de ano novo".
- Elas estão um pouco mais calmas, mas é muito difícil neutralizar o trauma. Uma das grávidas, com a gestação avançada, ficou quase cinco dias sem falar. Ela ia voltar para o Brasil, mas desistiu. Outra, que é casada, recebe apoio do marido, mas ele também precisa de atendimento psicológico - disse o padre.
Entre os brasileiros que chegaram anteontem à noite a Belém está Martim Carvalho Brito, de 41 anos, que trabalhava no garimpo há seis meses.
- O alojamento em que eu estava fica em cima de um rio. Fiquei embaixo do assoalho, na água, só com a cabeça de fora por mais de duas horas. Ouvia muitos gritos, pensei que ia morrer - relatou ele.
O goiano Vilmar Pereira, de 49 anos, que trabalha como construtor em Albina desde 2005, disse ter recebido golpes de garrafas e madeira na cabeça:
- Fui ao Suriname procurar um futuro melhor, mas estou voltando sem nada. Perdi todo o dinheiro que tinha. Fiquei só com a roupa do corpo.
Outros brasileiros decidiram não retornar ao Brasil, na esperança de recomeçar a vida no Suriname, onde podem ganhar mais dinheiro no garimpo.
- Parece que já estava tudo programado contra os brasileiros. Os ataques foram violentos. Senti muito medo de morrer e acho que sobrevivi porque mergulhei no rio e depois me embrenhei num matagal - disse o maranhense Wilton Rocha, de 39 anos, que ficou no Suriname.
No desembarque, em Belém, muitos passageiros foram abordados por pessoas em busca de informações sobre parentes que permanecem no país vizinho.

Leila Suwwan
Globo

Leia também: Brasileira narra estupro e vontade de ficar no Suriname
Folha de S. Paulo

Suriname: cinco sobreviventes chegam a Belém
Diário do Pará

Foto: (Ed Ferreira/AE) Governo brasileiro buscou no Suriname grupo de 32 brasileiros, alguns deles feridos

A todos um feliz ano novo, muita sorte, saúde e sucesso



Que continuemos juntos como sempre nesse Novo Ano que está chegando.....
Agradecemos a todos
Maria Célia e Carmen

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Policial é flagrado agredindo criança em Curitiba



CURITIBA - Um policial militar foi flagrado agredindo uma criança no bairro Parolin, em Curitiba. As imagens foram feitas por um telespectador e foram exibidas no telejornal Paraná TV 1ª Edição desta quarta-feira. O incidente foi filmado às 7h30m da última quinta-feira, véspera de Natal. A Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) já anunciou que o PM envolvido foi afastado e deve ser expulso.
As imagens mostram a criança sendo chutada e levando vários socos nas costas durante uma revista, a qual supostamente buscaria drogas. Embora a criança não demonstre qualquer reação, o policial continua com uma série de agressões.
O homem suspeito de cometer a agressão é um cabo que trabalha no 12º Batalhão da PM. Ele estava acompanhado de um soldado do mesmo batalhão que também estava realizando a ronda pela região. O colega não interferiu na agressão. Os dois estão afastados das ruas e vão prestar serviços administrativos enquanto o comando da PM investiga o caso. As identidades dos oficiais não foram reveladas.
Após todo o procedimento de apuração, os policiais deverão ser expulsos da corporação, garantiu o secretário de Segurança Luiz Fernando Delazari.
- A denúncia feita pelo cidadão tem um aspecto importantíssimo. A agressão à criança, independente do que estivesse fazendo, não tinha nenhuma necessidade e é um desvio de conduta que temos que punir com rigor - afirmou o secretário.
Ainda segundo Delazari, desde 2003, cerca de 7 mil investigações envolvendo desvio de conduta foram realizadas.
O Inquérito Policial Militar (IPM) instaurado nesta quarta-feira tem 60 dias para ser concluído. As conclusões da investigação serão encaminhadas a um promotor de Justiça, que irá analisar as provas e os depoimentos e oferecer ou não denúncia à Justiça comum.


O Globo

Elefantes disputam partida de futebol no Nepal



Há seis anos o Nepal realiza o Festival de Elefantes de Chitwan, em Sauraha, cidade no centro-sul do país onde fica a entrada principal de um parque nacional.

O evento atraiu este ano mais de mil turistas, de acordo com os organizadores.
Entre os destaques estão a partida de futebol entre elefantes e uma corrida, que conta com a participação de animais de várias partes do Nepal e de estrangeiros - inclusive da Eslováquia e da Austrália.
Mas os três primeiros lugares da corrida ficaram com a equipe Champakali, que representa o Hotel Barahi de Pokhara, cidade no centro do Nepal.


BBC Brasil

O trem mais rápido do mundo é bloqueado por um fumante


PEQUIM — Apenas uma semana depois de ser inaugurado com grande pompa na China, o trem mais rápido do mundo e seus cerca de mil passageiros ficaram bloqueados por quase três horas por causa de um fumante.
O jornal China Daily informou nesta quinta que a fumaça de um cigarro acionou o alarme contra incêndios na terça-feira a bordo do trem que une Cantão (sul) a Wuhan (centro), um trajeto de 1.069 km que a nova maravilha da tecnologia chinesa realiza normalmente a uma velocidade recorde de 350 km/h.
O trem estava ainda na estação de Cantão quando o fumante resolveu acender seu cigarro num dos banheiros da composição, apesar da proibição de fumar. Resultado: o trem só pode partir da estação duas horas e 45 minutos mais tarde, depois de realizada toda uma série de controles de segurança.
O fumante, que causou todo o caos, não foi encontrado
.
A China inaugurou no sábado passado essa nova linha ferroviária de alta velocidade, uma joia da tecnologia que reduz de dez a três horas o tempo de viagem entre as duas cidades A linha será ampliada para unir Pequim a Cantão.


AFP

Livro reúne fotos e desenhos de crianças de todos os países do mundo

A ONG Art in All of Us promove a educação através da arte, e o livro coincide com os 20 anos da Convenção dos Direitos da Criança. A foto acima mostra um menino do Benin

Para coincidir com os 20 anos da Convenção dos Direitos da Criança da ONU, está sendo lançado na Europa o livro Art in All of Us ("Arte em todos nós", em tradução literal), com fotos, desenhos e poemas de crianças em todos os 192 países-membros da ONU.

O trabalho, realizado pela ONG Art in All of Us, da Bélgica, é resultado de cinco anos de pesquisas e do envolvimento de 300 escolas ao redor do mundo.

A obra é resultado de cinco anos de trabalho e o envolvimento de 18 mil crianças em todo o mundo. No Brasil, uma menina desenha como vê o país


Segundo Anthony Asael, um dos fundadores da ONG e um dos autores do livro, a obra representa o mundo através do olhar da criança e pretende incentivar o direito de liberdade de expressão, previsto pelo Artigo 13 da Convenção.


A ilustração de um garoto de 10 anos mostra as marges do rio Tâmisa, em Londres. Para Anthony Asael, crianças se expressam melhor através de desenhos


"Através das perspectivas dos jovens cidadãos representados no livro, esperamos reforçar um entendimento mundial entre culturas, gerações e indivíduos", afirmou Asael, que realizou todas as fotos da obra e é uma das poucas pessoas do mundo a ter visitado todos os 192 dos 194 Estados do planeta.


'Obrigada Guatemala, obrigada por dar vida a nossos avós, obrigada pelas estradas, obrigada pela comida', diz o poema de uma menina de 13 anos.

Apenas não fazem parte da ONU Taiwan e o Vaticano.
O livro ainda não tem lançamento previsto no Brasil.
fotos: Anthony Asael
Verbratec© Desktop.