sábado, 23 de maio de 2009

Prefeito dos EUA renuncia por amor a um imigrante ilegal mexicano


O prefeito de uma pequena cidade do Texas renunciou abruptamente ao cargo na última quarta-feira depois de se sentir forçado a escolher entre o posto o seu amor por um imigrante ilegal mexicano. J.W. Lown, de 32 anos, decidiu largar a prefeitura e a cidade horas antes de fazer o juramento para um novo mandato. Ele viajou para o México acompanhado do parceiro.
Lown deixou sua renúncia por escrito em uma carta explicando as razões de seu gesto. Ele disse que não queria assumir o cargo sabendo que estava "ajudando alguém que não é cidadão dos Estados Unidos".
"Tivemos que fazer a coisa certa vir para o México e aguardar por um visto", disse Lown em entrevista ao jornal "San Angelo Standard-Times", na quarta-feira.
Lown, que tem dupla cidadania, dos EUA e do México, disse que não sabia quanto tempo seria necessário para obter um visto para o seu parceiro. Ele disse que iria voltar para sua cidade, se "o povo de San Angelo acolher-me de volta."
O vereador Johnny Silva disse que Lown foi prefeito da cidade durante os últimos seis anos. No último dia 9, ele voltou a ganhar as eleições, obtendo 89% de votos.
Durante uma teleconferência com a imprensa americana, do México, Lown explicou que começou em março uma relação com um jovem mexicano que foi para os EUA há cinco anos para fazer faculdade.
O prefeito explicou que, após pensar muito, tomou a decisão de sair do país com seu parceiro, o qual não quis identificar. "Tomei a decisão final quando soube que era a melhor decisão para mim, para meu parceiro, para nosso futuro e o da comunidade", acrescentou.
Em um emotivo comunicado dirigido aos cidadãos, Lown lamentou ter de renunciar e assegurou que San Angelo é sua "casa".
"Não há palavras para expressar minha gratidão às pessoas que investiram seu tempo e experiência para me ajudar a ser o melhor prefeito possível para nossa cidade", acrescentou Lown. Segundo o vereador Silva, ele recebeu mais de 300 e-mails pedindo que retornasse.
Segundo uma pesquisa publicada pelo jornal local "Go San Angelo" e que contou com a participação de mais de mil cidadãos, 82% deles consideram que Lown fez um trabalho bom ou excelente como prefeito.
Ele foi reeleito em 9 de maio, com 89% dos votos, para um cargo que paga US$ 600 por ano e ao qual não são atribuídos poderes além dos garantidos aos demais membros do Conselho Municipal.
O Condado de San Angelo tem cerca de 180 mil habitantes, dos quais 40% são hispânicos.

Folha on line com Efe e Associated Press

Queda de bimotor em Trancoso, no Sul da Bahia, mata três gerações de uma mesma família, a do empresário Roger Wright

SALVADOR e SÃO PAULO - Três gerações da família Wright morreram no acidente com o avião bimotor King Air 250 ocorrido na noite de sexta-feira em Trancoso, no Sul da Bahia. O bimotor caiu a 150 metros da cabeceira da pista de pouso do condomínio Terravista e explodiu. Quatorze pessoas morreram, entre elas quatro crianças. O número foi confirmado pelo coronel Henry Munhoz, da Aeronáutica , que acompanhou a retirada dos corpos dos destroços. Todos morreram carbonizados.
A aeronave levava o empresário Roger Wright, ex-sócio do Banco Garantia e dono da Arsenal Investimentos, a mulher dele, Lucília Carvalho Lins, além de filhos e netos do empresário. Todos iriam passar o fim de semana no condomínio, que é vizinho ao Club Med . As outras mortes confirmadas são de Felipe Luchsinger Wright e Verônica Luchsinger Wright Faro, filhos do empresário; de três netos de Wright e uma de Lucília; e mais a de Heloísa Alqueres Vaz Wright e de Rodrigo de Mello Faro, nora e genro do empresário.
Vera Lúcia Mércio, tia-avó do empresário; a babá Rosangela Pereira Barbosa; o piloto Jorge Lang Filho, de 56 anos; e o copiloto Nelson Caminha Affonseca também morreram no acidente.
As quatro crianças foram identificadas: Vitória e Gabriel Wright Faro (filhos de Verônica e Rodrigo), o bebê Francisco Alqueres Vaz Wright, de apenas 6 meses, filho de Felipe e Heloísa - a nora de Roger era filha do presidente da Light, a companhia de energia do Rio de Janeiro, José Luiz Alqueres. A quarta criança é Nina Pinheiro, filha de Isabela Pinheiro, do primeiro casamento de Lucília.
Os corpos estão sendo levados para o IML de Salvador, onde serão identificados por exames de DNA e da arcada dentária.
A família Wright já havia sido abalada uma vez por um acidente aéreo. A primeira mulher de Wright, Barbara Cecilia Luchsinger Wright, foi uma das vítimas do acidente com o Fokker 100 da TAM, em 1996, que matou 99 pessoas em São Paulo. Piloto conhecia pista em Trancoso
O bimotor havia decolado do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, por volta de 18h30m, caiu e explodiu durante o procedimento de pouso na pista de Trancoso, que tem 1.500 metros e é exclusiva para aeronaves de executivos. Os bombeiros levaram mais de duas horas para controlar o fogo.
O piloto Jorge Lang Filho já havia pousado várias vezes no aeroporto privativo do condomínio. Pouco antes da explosão, havia pedido permissão para pouso à torre.
A aeronave, de fabricação americana, é considerada muito segura e teria passado por inspeções de segurança recentemente.
Não há confirmação de que a chuva que caía na região tenha provocado o acidente ou qualquer evento relacionado a mau tempo, mas nada está descartado. Segundo o aeroporto, as condições de voo eram consideradas normais na hora do acidente.
- As condições eram totalmente operacionais, visuais, com balizamento na pista, controle de aproximação visual luminoso. O próprio comandante, por rádio, nos comunicou que tinha visão na pista. Não temos explicação - afirmou Orlando Martinez, diretor do aeroporto.
Testes visuais foram feitos na pista num avião da Força Aérea e técnicos do DCEA - Departamento de Controle do Espaço Aéreo simularam vários pousos e não foi detectado nenhum problema de visibilidade na pista. Avião poderia estar com mais passageiros que o permitido
A caixa preta do avião foi encontrada na tarde deste sábado e será periciada pela Aeronáutica. As causas do acidente serão investigadas, mas o bimotor pode ter decolado irregularmente de Congonhas.
A aeronave pode ter decolado com mais passageiros do que a capacidade recomendada pelo fabricante da aeronave.
O modelo, em sua versão original, tem nove assentos para passageiros, além de piloto e copiloto, de acordo com a fabricante. A aeronave acidentada estaria transportanto 11 adultos e quatro crianças.
Para o comandante Carlos Camacho, diretor de segurança de voo do Sindicato Nacional dos Aeronautas, se isso ocorreu, a aeronave deixou Congonhas em situação "ilegal".
- Essa situação, por si só, não explica o acidente, porque essa aeronave tem sobra de potência. Mas é ilegal e deve-se sempre respeitar as regras da aviação - disse, ressaltando que o aeroporto do condomínio a que o avião se dirigia não é fiscalizado. - Nosso objetivo é fazer uma investigação para fins de prevenção. Provavelmente, haverá também uma investigação paralela da polícia para fins penais - afirmou o tenente-coronel aviador João Bieniek, integrante da equipe que vai investigar as causas do acidente.
Roger Ian Wright formou-se em Administração na Wharton School, na Universidade de Pensilvânia, nos Estados Unidos. Atualmente, era sócio fundador da Arsenal Investimentos. Foi sócio do Banco de Investimentos Garantia, e posteriormente, do Conselho de Administração do Credit Suisse First Boston Garantia. Entre os amigos, Wright era conhecido como um grande apreciador de arte, dono de uma das mais importantes coleções de pop-art brasileira.


O Globo On Line

Escola no Complexo do Alemão será modelo para projeto de ensino profissionalizante do Ministério da Educação

RIO - Um colégio estadual no Complexo do Alemão será o modelo de projetos do Ministério da Educação na área de ensino profissionalizante. A escolha do Caic Teóphilo de Souza Pinto, na Favela Nova Brasília, aconteceu devido ao projeto de integração da escola com a comunidade. Até 2010, a unidade passará por reformas e mudança de visual, com projeto do artista plástico Luiz Stein. Os muros serão substituídos por gradis, para integrar a unidade ao morro.
O ministério decidiu investir em cursos tecnológicos na escola, por meio do ensino à distância. O primeiro curso, que será oferecido pelo Cefet, é o de segurança do trabalho. As aulas já começam no segundo semestre deste ano. A Secretaria estadual de Ciência e Tecnologia oferecerá aulas de capacitação profissional para moradores da comunidade.
A escola ganhará laboratórios, um auditório em que funcionará um cineclube, sete salas de aula e piscina. Outras cinco unidades estaduais receberão o projeto.


O Globo On Line

Arte contemporânea para crianças

Exposição no Sesc Pompéia mostra novas possibilidades de relação com diversas criações artísticas

Arte contemporânea para crianças. Gostou da ideia? Então marque na agenda a exposição “Arte para Crianças”, que acontece de 15 de maio a 2 de agosto, no Sesc Pompéia. Ela já passou por Estados como Espírito Santo, Rio de Janeiro, Belém, São Luís e Brasília. As obras de 16 artistas contemporâneos trazem múltiplas técnicas de criação. Adultos e crianças podem conferir xilogravuras, esculturas, arte eletrônica, arte conceitual, poesias, literatura, instalações e até o desenho animado “Histórias da Unha do Dedão do Pé do Fim do Mundo” com base na poesia de Manoel de Barros. Segundo Evandro Salles, curador da mostra, o projeto propõe uma forma aberta de apreciação. O mais importante é a experiência de ver, sem início, fim ou qualquer análise previamente formulada. “O objetivo é estabelecer uma ligação pessoal e direta com as obras. Ninguém pode explicar para o outro uma sensação ou uma emoção”, explica. Além de itens interativos – bastante explorados pelo público infantil – como uma escultura de Ernesto Neto na qual as crianças podem entrar, a exposição conta com obras para simples contemplação. “Muitos acham que, por ser para as crianças, a exposição precisa ter apenas criações manipuláveis, mas também há obras para serem contempladas. Queremos mostrar que essa é uma outra forma de interagir com a arte”, diz Evandro. E a resposta das crianças a essa nova configuração é positiva, “Elas têm definições maravilhosas como ‘Arte é o melhor brinquedo’”. A mostra fica em cartaz de terça a sábado, das 10h às 21h e domingo, das 10h às 20h, na Área de Convivência do Sesc Pompéia. A entrada é gratuita e a classificação etária é livre.


Crescer

Prostituição infantil: número de denúncias aumenta 34,9% de 2007 para 2008

RIO - O número de denúncias sobre exploração da prostituição infantil encaminhadas pela população do estado ao Disque-Denúncia aumentou em 34,90% em 2008 em comparação com 2007, revela levantamento feito pelo serviço a pedido de O GLOBO. Em 2007, foram 1.378 denúncias de abuso sexual, exploração sexual e pornografia infantil, contra 1.859 no ano passado. Levando em conta apenas o primeiro trimestre dos dois últimos anos, comparado com igual período de 2009, o aumento foi maior: passou de 364 casos para 601. Um salto de 65%.
No primeiro trimestre de 2009, o Disque-Denúncia recebeu 601 telefonemas referentes a crimes sexuais contra crianças e adolescentes. Os mais comuns são o abuso sexual (atentado violento ao pudor e estupro), a exploração sexual e a pornografia infantil (material audiovisual com crianças e adolescentes em um contexto sexual).
O número de casos de menores que se prostituem para sustentar o próprio vício representa 34,69% no universo de denúncias que versam sobre crimes contra menores neste mesmo período. Em relação à exploração sexual, o município do Rio de Janeiro lidera o índice de registros, com 89 casos. Em segundo lugar está São Gonçalo (14) e, em terceiro, Duque de Caxias (12).
Como O GLOBO tem revelado em uma série de reportagens,traficantes de drogas teriam se associado a aliciadores de menores e a policiais corruptos para controlar pontos de exploração de prostituição infantil. Crianças e adolescentes dependentes de drogas, principalmente de crack, estariam se prostituindo para manter o vício.



O Globo On Line

Babá é condenada a quase três anos de prisão por torturar crianças no DF


SÃO PAULO - A babá Marilene Ferreira do Nascimento foi condena a dois anos e onze meses de prisão por torturar dois meninos, um de 2 e outro de 4 anos, em Santa Maria, no Distrito Federal. O crime aconteceu em ocorreu em 2008. A mãe desconfiou das agressões, instalou uma câmera dentro de casa e fez os flagrantes.
Marilene agredia o menino mais novo a socos, tapas e pontapés na cabeça do garoto. Ela também cuidava do irmão dele, de quatro anos.
Na época, a mãe dos meninos disse que ficou chocada com tamanha crueldade. Marilene Ferreira foi denunciada à Justiça por tortura, maus tratos e atentado violento ao pudor. Ela foi absolvida apenas da última acusação. Pelas agressões, a babá pegou dois anos e onze meses de prisão, em regime fechado.
Segundo o Ministério Público, a babá ficou presa cerca de três meses, do flagrante até fevereiro deste ano. Agora pode recorrer da condenação em liberdade.


O Globo On Line

Termos e significados usados na psicopedagogia e áreas afins (continuação)

DSM IV - É a classificação dos Transtornos mentais da Associação Americana de Psiquiatria. Descreve as características dos transtornos apresentando critérios diagnósticos. Ver o DSM IV no site psiqueweb: http://gballone.sites.uol.com.br/

Ecolalia - Imitação de palavras ou frases ditas por outra pessoa, sem a compreensão do significado da palavra.

Ecopraxia - Repetição de gestos e praxias.

Enurese - Emissão involuntária de urina.

Esfíncter - Músculo que rodeia um orifício natural. Em psicanálise, na fase anal está ligado ao controle dos esfíncteres.

Espaço-temporal - orientar-se no espaço é ver-se e ver as coisas no espaço em relação a si próprio, é dirigir-se, é avaliar os movimentos e adaptá-los no espaço. É a consciência da relação do corpo com o meio.

Etiologia - Estudo das causas ou origens de uma condição ou doença.

Figura fundo - Capacidade de focar visivelmente ou aditivamente um estímulo, isolando-o perceptivamente do envolvimento que o integra. Ex. identificar alguém numa fotografia do grupo ou identificar o som de um instrumento musical numa melodia.

Gagueira ou tartamudez - distúrbio do fluxo e do ritmo normal da fala que envolve bloqueios, hesitações, prolongamentos e repetições de sons, sílabas, palavras ou frases. É acompanhada rapidamente por tensão muscular, rápido piscar de olhos, irregularidades respiratórias e caretas. Atinge mais homens que mulheres.

Gnosia - Conhecimento, noção e função de um objeto. Segundo Pieron toda a percepção é uma gnosia.

Grafema - Símbolo da linguagem escrita que representa um código oral da linguagem.

Hipercinesia - Movimento e atividade motora constante e excessiva. Também designada por hiperatividade.

Hipocinesia - Ausência de uma quantidade normal de movimentos. Quietude extrema.

Impulsividade - Comportamento caracterizado pela ação de acordo com o impulso, sem medir as conseqüências da ação. Atuação sem equacionar os dados da situação.

Lateralidade - Bem estabelecida - implica conhecimento dos dois lados do corpo e a capacidade de os identificar como direita e esquerda.

Linguagem interior - O processo de interiorizar e organizar as experiências sem ser necessário o uso de símbolos lingüísticos. Ex.: o processo que caracteriza o analfabeto que fala, mas não lê nem escreve.

Linguagem tatibitate - É um distúrbio (e também de fonação) em que se conserva voluntariamente a linguagem infantil. Geralmente tem causa emocional e pode resultar em problemas psicológicos para a criança.

Maturação - É o desenvolvimento das estruturas corporais, neurológicas e orgânicas. Abrange padrões de comportamento resultantes da atuação de algum mecanismo interno.

Memória - Capacidade de reter ou armazenar experiências anteriores. Também designada como "imagem" ou "lembrança".

Memória cinestésica - É a capacidade da criança reter os movimentos motores necessários à realização gráfica. À medida que a criança entra em contato com o universo simbólico (leitura e escrita) vão ficando retidos em sua memória os diferentes movimentos necessários para o traçado gráfico das letras.

Morfema - É a menor unidade gramatical. Na palavra infelicidade encontramos três elementos menores cada um chamado de morfema: in (prefixo), felic (radical), idade (sufixo). Os morfemas são utilizados para construir outras palavras: o prefixo in é utilizado em outras palavras como invariável, invejável, inviável, por exemplo.

Mudez - É a incapacidade de articular palavras, geralmente decorrente de transtornos do sistema nervoso central, atingindo a formulação e a coordenação das idéias e impedindo a sua transmissão em forma de comunicação verbal. Em boa parte dos casos o mutismo decorre de problemas na audição. Os fatores emocionais e psicológicos também estão presentes em algumas formas de mudez. Na mudez eletiva a criança fica muda com determinadas pessoas ou em determinadas situações e em outras não.

Paratonia - É a persistência de uma certa rigidez muscular, que pode aparecer nas quatro extremidades do corpo ou somente em duas. Quando a criança caminha ou corre, os braços e as pernas se movimentam mal e rigidamente.

Percepção - processo de organização e interpretação dos dados que são obtidos através dos sentido.

a) Percepção da posição - do tamanho e do movimento de um objeto em relação ao observador.

b) Percepção das relações espaciais - das posições a dois ou mais objetos.

c) Consistência perceptiva - capacidade de precisão perceptiva das propriedade invariantes dos objetos como, por exemplo: forma, posição, tamanho etc.

d) Desordem perceptiva - Distúrbio na conscientização dos objetos, suas relações ou qualidade envolvendo a interpretação da estimulação sensorial .

e) Deficiência perceptiva - Distúrbio na aprendizagem, devido a um distúrbio na percepção dos estímulos sensoriais.

f) Perceptivo-motor - Interação dos vários canais da percepção como da atividade motora. Os canais perceptivos incluem: o visual, o auditivo, o olfativo e o cinestésico.

g) Percepção visual - Identificação, organização e interpretação dos dados sensoriais captados pela visão.

h) Percepção social - Capacidade de interpretação de estímulos do envolvimento social e de relacionar tais interpretações com a situação social.

Preservação - Tendência de continuar uma atividade ininterruptamente; manifesta-se pela incapacidade de modificar, de parar ou de inibir uma dada atividade, mesmo depois do estímulo causador ter sido suprimido.

Problemas de aprendizagem - São situações difíceis enfrentadas pela criança com um desvio do quadro normal mas com expectativa de aprendizagem a longo prazo (alunos multirrepetentes).

Praxia - Movimento intencional, organizado, tendo em vista a obtenção de um fim ou de um resultado determinado.

Rinolalia - Caracteriza-se por uma ressonância nasal maior ou menor que a do padrão correto da fala. Pode ser causada por problemas nas vias nasais, vegetação adenóide, lábio leporino ou fissura palatina.

Ritmo - Habilidade importante, pois dá à criança a noção de duração e sucessão, no que diz respeito à percepção dos sons no tempo. A falta de habilidade rítmica pode causar uma leitura lenta, silabada, com pontuação e entonação inadequadas.

Sincinesia - É a participação de músculos em movimentos aos quais eles não são necessários. Ex.: coloca-se um objeto numa mão da criança e pede-se que ela aperte, a outra mão também se fechará ao mesmo tempo. Ficar sobre um só pé, para ela é impossível. Há descontinuidade nos gestos, imprecisão de movimentos nos braços e pernas, os movimentos finos dos dedos não são realizados e, num dado ritmo, não podem ser reproduzidos através de atos coordenados, nem por imitação.

Sintaxe - Parte da gramática que estuda a disposição das palavras na frase e a das frases no discurso , bem como a relação lógica das frases entre si e a correta construção gramatical ; construção gramatical (Dicionário Aurélio)

Sinergia - Atuação coordenada ou harmoniosa de sistemas ou de estruturas neurológicas de comportamento.

Somestésico - Relativo à sensibilidade do corpo.


Bibliografia:
FONSECA, Vitor - Escola. Quem és tu?
ASSUNÇÃO, Elisabete da. COELHO, Maria Teresa. Problemas de aprendizagem.

Preso menor acusado de matar menina de 8 anos durante assalto no interior de São Paulo

SÃO PAULO - Foi preso, na madrugada deste sábado o adolescente de 17 anos acusado de matar a menina Gabriela Nunes de Araújo, de 8 anos. Gabriela foi baleada na cabeça durante um assalto em um condomínio de luxo em Rio Claro, a 173 quilômetros da capital. O adolescente foi preso em Dracena, a 609 quilômetros da capital, onde estava escondido na casa de parentes de Jair Palomino Gomes Júnior, apontado como comparsa no crime.
Ao perceber a presença dos policiais, o menor fugiu pelo telhado, pulou sobre algumas casas, e acabou caindo. Ele foi detido com ferimentos leves, mas passou por atendimento médico e foi levado para a delegacia de Dracena. O adolescente deve ser transferido ainda neste sábado para Rio Claro. A polícia ainda procura um outro acusado de participar do assalto, que teria cerca de 20 anos.
O delegado Paulo Henrique Nabuco, que investiga as circunstâncias o caso, afirma que os dois criminosos que invadiram a casa podem ter tido ajuda de funcionários do próprio condomínio para entrar. As câmeras de segurança estavam desligadas, assim como a cerca elétrica, e não foram feitas imagens da invasão. Apenas o alarme da casa disparou quando os bandidos estavam na residência. Foi o barulho do alarme que levou um dos bandidos a atirar propositadamente na menina, que morreu nesta quinta-feira.
A família doou os órgãos da vítima, que foi enterrada na sexta-feira. Um menino de seis anos, que está internado no Hospital das Clínicas de São Paulo, recebeu o fígado de Gabriela. Outros dois pacientes, cujas identidades ainda não foram divulgadas, receberam os rins da menina.

Como foi o crime
Para entrar na residência, os ladrões escalaram um muro alto do condomínio e passaram pela cerca elétrica. Os criminosos ainda passaram por quatro câmeras de vigilância.
- Nós trabalhamos com a hipótese de que os bandidos já sabiam que as câmeras e a cerca estavam desligados - afirmou o delegado.
Já foram ouvidas seis testemunhas, entre elas a babá que estava sozinha com as crianças, funcionários da administração do condomínio e responsáveis pela segurança. A polícia também já ouviu também o casal que teve o carro roubado pelos criminosos na fuga e uma testemunha que viu os assaltantes saindo do condomínio. As vítimas reconheceram os suspeitos em um álbum de fotos da delegacia. Outros dois criminosos que davam cobertura à dupla, também foram identificados.
De acordo com a polícia, o menor de 17 anos esteve internado na Fundação Casa até janeiro deste ano, por porte ilegal de armas.
- Ele, e mais quatro pessoas, foram flagrados portando três armas e vários capuzes - disse o delegado.
Os pais da menina estavam viajando a trabalho no dia do crime. O pai de Gabriela é o empresário Vitor Vanetti de Araújo, um dos sócios da indústria de produtos agrícolas Agroceres.


O Globo On Line

Mãe é condenada por rezar em vez de levar a filha ao médico


Leilani Neumann, 41, foi condenada ontem, em Wausau, nos Estados Unidos, por não ter levado a sua filha ao médico porque acreditou que obteria a cura com rezas.
Depois de meses de agonia, Madeline, de 11 anos, morreu em março de 2008 diante de pessoas de um grupo de estudos bíblicos.Apenas quando ela parou de respirar, seus pais e colegas do grupo de estudos bíblicos chamaram o resgate.
Ela sofria de diabetes, doença que atinge milhões de pessoas em todo mundo, mas é controlada com medicação.
O júri deliberou por três horas e meia antes de condenar Leilani Neumann , por negligência. Ela poderá ser sentenciada a até 25 anos de cadeia.
Promotores argumentaram que um pai racional teria reconhecido que algo estava seriamente errado com a menina, e que a negligência da mãe a matou.
O advogado de defesa disse que a mãe não reconheceu a gravidade da situação da menina e que fez tudo o que podia, de acordo com suas crenças na cura pela fé.
WESTON, EUA - Um casal que ficou rezando enquanto a filha de 11 anos morria de uma diabete não tratada será acusado de homicídio em segundo grau, afirmou um promotor nesta segunda-feira, 28.


O caso
Madeline Neumann, filha de Dale e Leilani Neumann, morreu no último dia 23 de março na fazenda da família, em Weston. Uma autópsia determinou que ela morreu de cetoacidose diabética não-diagnosticada, uma doença que a deixou com pouca insulina no corpo.
Os Neumann cooperaram com os investigadores e não receberam ordem de prisão. Eles concordaram em comparecer à corte na quarta-feira.
Leilani Neumann, 40, disse anteriormente à Associated Press que ela não esperava que sua filha fosse morrer. A família acredita na Bíblia, que diz que a cura vem de Deus, mas eles não têm nada contra médicos, afirmou.
De acordo com um mandado de busca, a avó da garota disse que ela ficou doente por muitos dias, estava "muito cansada" e queria ser abraçada pela mãe. Em 22 de março, Madeline não conseguia andar nem falar, contou a avó.
A avó disse a Leilani Neumman para levar a garota ao médico, mas a mãe disse que sua filha "ficaria bem e que Deus a curaria", segundo o relatório da corte.
A avó eventualmente contatou outra nora na Califórnia, que chamou a polícia numa linha não emergencial para relatar que a garota estava em coma e precisava de auxílio médico. Uma ambulância foi despachada para o local pouco antes de alguns amigos que estavam na casa ligaram para a emergência, pois a garota já tinha parado de respirar, disseram as autoridades.

Fonte: O Estado de São Paulo
Foto: AP

Vídeo mostra viciados em drogas sérvios espancados em clínica



Autoridades da Sérvia iniciaram uma investigação em um centro de reabilitação para viciados em drogas, afiliado à Igreja Ortodoxa, no qual os pacientes teriam sido filmados enquanto eram espancados.
Um vídeo de uma das agressões, divulgado pela revista sérvia Vreme, mostra um homem que parecia agredir um paciente, acertando-o com uma pá e socando seu rosto.
Um ex-paciente do centro de reabilitação, perto da cidade de Novi Pazar, afirmou que os funcionários se ofereceram para curar seu vício com "conversas agradáveis" e espancamentos.
O sacerdote Branislav Peranovic, que dirige o centro Cma Reka, afirmou ao canal de televisão local B92 que é necessário ser "firme".
"Quem tem um viciado em casa sabe do que estou falando", disse.
A Igreja Ortodoxa Sérvia não fez nenhum comentário a respeito da gravação.

Ícones cristãos

O vídeo colocado na página na internet da revista Vreme na sexta-feira, mostra um jovem que seria um paciente do centro de reabilitação. Ele é visto com dois homens vestidos com roupas de esporte e que o acertam várias vezes com uma pá. Em seguida ele é socado e chutado na cabeça pelos dois.
O incidente ocorre em uma sala onde se podem ver ícones cristãos.
O centro, por sua vez, afirmou que os espancamentos, administrados por ex-viciados, são parte necessária da terapia para a cura do vício em drogas e teriam sido realizados com a permissão dos pais dos pacientes.
Um ex-paciente do centro Cma Reka afirmou que, em algumas ocasiões, eles recebiam instruções de formar um círculo em volta de um "ruim" e assistir enquanto este viciado era espancado pelos sacerdotes e outros funcionários.
"Eles o acertavam com bastões, pás, punhos, barras, cintos, o que eles conseguiam pegar", disse o ex-paciente à revista Vreme.
A respeito do sacerdote Peranovic, o ex-paciente afirmou que ele "sabe como bater - suas mãos ficam ensanguentadas com frequência".
"Quando ele bate, usando os braços e pernas, a batina voa por todos os cantos. Ele pratica artes marciais", afirmou.
Depois da divulgação do vídeo, médicos e psicólogos alertaram que a violência física não ajuda a reabilitar ou cuidar de viciados em drogas.
"Não é terapia. É um ato criminoso", afirmou o monitor de direitos humanos do governo sérvio Sasa Jankovic, que pretende entrar com um processo por tortura contra o centro.

Assista ao vídeo : http://www.bbc.co.uk/portuguese/multimedia/2009/05/090522_servia_drogas.shtml


Fonte: BBCBrasil

Fabricantes de cigarro mentiram para o público, diz tribunal americano


As empresas de tabaco mentiram para o público sobre os riscos do cigarro para a saúde, afirmou, nesta sexta-feira, um tribunal norte-americano que manteve o veredicto de um julgamento anterior.
A Corte de Apelos de Washington rejeitou a apelação feita por fabricantes de cigarro contra uma decisão de 2006, que bania o uso de termos como ‘light' ou "baixo teor de alcatrão".
Empresas como a Phillip Morris americana foram consideradas culpadas de fraude.
Os juízes rejeitaram o argumento usado pelos fabricantes de que eles nunca teriam afirmado que cigarros light causariam menos mal.
"Os acusados sabiam que estavam sendo falsos na época e fizeram as declarações com o intuito de enganar", diz o veredicto.

Conspiração

O julgamento de 2006 concluiu também que a indústria havia firmado um "acordo de cavalheiros" para não competir sobre quais cigarros seriam os menos prejudiciais à saúde.
Os advogados das empresas negaram que tenha ocorrido uma conspiração para evitar uma discussão pública sobre os males do fumo.
O veredicto original exigia que as empresas publicassem declarações corretivas sobre os efeitos à saúde e a capacidade viciante de seus produtos.
As outras companhias que contestaram a decisão foram a British American Tobacco, a Lorillard Tobacco, RJ Reynolds Tobacco, e Brown & Williamson Tobacco.
Elas devem levar o caso agora para a Suprema Corte dos Estado Unidos, embora analistas acreditem que elas têm poucas chances de sucesso.
Em outro caso, em dezembro, a Suprema Corte decidiu que fumantes poderiam processar companhias de cigarro por causa do uso enganador das palavras light e "baixo teor de alcatrão".

Fonte: BBC BRASIL

Falta de controle do Estado coloca em risco população capixaba


A violação dos direitos humanos nos presídios capixabas provocou um pedido de intervenção federal no Espírito Santo.
O relatório que pede a intervenção mostra a situação caótica na Casa de Custódia de Viana e no presídio de celas metálicas de Novo Horizonte, na Serra. O Conselho relata casos de esquartejamento de presos e tortura em Viana.
"Como não há qualquer controle sobre os presos, partes dos pavilhões foram sendo destruídas.Não há luz elétrica. Não há chuveiros. A água é fornecida somente ao final do dia. O estado de higiene é de causar nojo. Colônias de moscas, mosquitos, insetos e ratos são visualizáveis por quaisquer visitantes.Restos de alimentos são encontráveis em meio ao pátio”. O Estado não garante assistência médica e religiosa nos presídios,há apenas três defensores públicos para atendimento em todo sistema carcerário.
Na Serra, o Conselho encontrou containers onde estavam quase quatrocentos presos, cerca de 40 pessoas por conteiner. “Sob as celas encontramos um rio de esgoto.
Nunca havíamos visto tão alto grau de degradação. Poucas vezes na história, seres humanos foram submetidos a tanto desrespeito",afirma o relatório.
A falta de controle do Governo Paulo Hartung nos presídios coloca em risco a segurança da população capixaba. A ameaça de rebeliões e de fugas em massa atormenta os cidadãos, que podem se deparar no meio da rua com uma troca de tiros. Além disso, ao invés de serem espaços de ressocialização dos detentos, os presídios se transformaram em centros de formação do crime organizado. E de lá são tramados golpes, assassinatos e é controlado o tráfico de drogas que acontece fora dos portões dos presídios.
Com a superlotação, nenhum agente penitenciário ou policial militar entra nos três pavilhões da Casa de Custódia de Viana, por exemplo. Onde cabem 370 presos estavam, no dia da visita do Conselho, 1.177 detentos. Sem controle do Estado, impera nos presídios a lei dos mais fortes. Presidiários que praticaram crimes menores,como um furto, por exemplo, estão misturados a integrantes do crime organizado.E diante das condições subumanas de sobrevivência, acabam se tornando alvos fáceis de intimidação e ameaças por parte dos bandidos mais perigosos.
Quem não se submete morre. Daí muitos deles, após saírem dos presídios, serem assassinados se não cumprirem as ordens do crime organizado aqui fora. Outros, sem políticas públicas governamentais que garantam emprego, saúde, educação e retorno
ao convívio social, se aliam agrupamentos criminosos, mantendo o ciclo da violência.
Assinam o jornal Intervenção:
Comissão de Direitos Humanos da OAB/ES, Movimento Nacional dos Direitos Humanos - MNDH/ES, Cáritas Arquidiocesana de Vitória, Departamento de Pastoral da Arquidiocese de Vitória,Pastoral Carcerária, Pastoral do Menor, Pastoral da Saúde, Pastoral Operária, Pastoral da Criança,Pastoral da Juventude, Fórum Estadual de Juventude Negra (FEJUNES), IntersindicalSindicato dos Jornalistas/ES, Sindicato dos Bancários/
ES, Sindisaúde/ES, Sindicato dos Previdenciários/ES, SISPMC, Sindipúblicos/ES, DCE/Ufes, CCCP Olho da Rua, PSOL (Partido Socialismo e Liberdade).

Moçambique promove justiça para menores


Em Moçambique, foi criado um Fórum Interministerial de Justiça de Menores, com objectivo de permitir uma acção mais coordenada e eficaz desta área.
A inciativa tem o apoio do Instituto Inter Regional das Nações Unidas de Pesquisa e Investigação sobre a Criminalidade e Justiça.
É uma iniciativa que se insere no Programa de Reforço à Justiça de Menores em Moçambique.
Andrea Fiore, à frente da entidade das Nações Unidas responsável pela sua implementação explica:
"Este Fórum é o primeiro lugar onde ministérios como o do Trabalho, dos Desportos e da Juventude, do Interior, da Justiça, Procuradoria e Supremo Tribunal se encontram para falar sobre a área de menores."
Andrea Fiore, Coordenadora do Instituto Inter Regional das Nações Unidas de Pesquisa e Investigação sobre a Criminalidade e Justiça.
O Programa de Reforço à Justiça de Menores em Moçambique, em implementação há cerca de três anos, está avaliado em aproximadamente 2,7 milhões de dólares.
O seu término está previsto para breve, pelo que esta pareceu-nos a melhor altura para pedir a Andrea Fiore, responsável pela entidade das Nações Unidas à frente do programa que nos fizesse um balanço:
"Em primeiro lugar, o pacote legislativo que antes não existia. É uma primeira etapa muito importante. Nós estamos muito satisfeitos e felizes com a forte colaboração."

Por: Eleutério Fenita
Para:BBC em Maputo

Síndrome de Down revela pista no combate ao câncer


WASHINGTON - Pessoas com síndrome de Down raramente desenvolvem a maioria dos tipos de câncer, e cientistas dos EUA agora descobriram por uma razão: elas têm cópias extras de um gene que ajuda a impedir os tumores de se autoalimentarem.
A descoberta pode levar a novos tratamentos contra o câncer, segundo artigo publicado na quarta-feira na revista "Nature".
Pesquisadores de várias universidades, inclusive a Harvard, usaram um novo tipo de células-tronco semelhante à embrionária, chamada célula-tronco pluripotente induzida (iPS), que é obtida da pele e pode ser induzida a agir como células-tronco, os "manuais de instrução" capazes de gerar qualquer tecido do organismo.
Usando células iPS de um voluntário com a síndrome de Down e ratos geneticamente alterados para desenvolverem uma versão da síndrome, os pesquisadores localizaram um gene que protege contra tumores.
A síndrome de Down é a causa genética mais comum de retardamento mental, e ocorre em cada 1 de 700 bebês nascidos vivos.
A teoria ligando o câncer à síndrome de Down foi muito estudada pelo professor de Harvard Judah Folkman, que morreu em 2008 e cujo nome consta no estudo. Ele desenvolveu teorias sobre como as células cancerígenas desenvolvem vasos sanguíneos para se nutrirem, num processo chamado angiogênese.
Ele também notou que o câncer é raro entre portadores de Down, exceto a leucemia. Um estudo com 18 mil pessoas com síndrome de Down apontou uma incidência de câncer de apenas 10 por cento do previsto na população geral.
A síndrome de Down se caracteriza pela presença de três cópias do cromossomo 21, em vez de duas cópias, como nas demais pessoas. Isso lhes dá versões extras de 231 genes diferentes.
Um desses genes, chamado DSCR1 (ou RCAN1) codifica uma proteína que suprime o fator de crescimento endotelial vascular, um composto necessário para a angiogênese.
Tanto os pacientes com Down quanto os ratos geneticamente modificados tinham quantidades adicionais da proteína DSCR1, e os ratos também eram mais resistentes aos tumores.
"Esses dados fornecem um mecanismo para a incidência reduzida de câncer na síndrome de Down", escreveram os pesquisadores.
Mas, "como o cromossomo humano 21 contém mais de 200 genes, seria surpreendente se o DSCR1 fosse o único gene do cromossomo 21 implicado na supressão de tumores em indivíduos com síndrome de Down", acrescentaram.

O Globo On Line

Dragão-de-komodo é venenoso, dizem cientistas

Cientistas da Universidade de Melbourne, na Austrália, descobriram que o maior lagarto que existe, o dragão-de-komodo, tem glândulas que produzem veneno.

Até agora, se acreditava que a boca do réptil apenas abrigasse bactérias que causavam uma violenta infecção na presa após uma mordida do dragão-de-komodo.
Mas a nova pesquisa, feita com a ajuda de computadores e por meio de uma operação em um lagarto em estado terminal, provou que o animal tem as glândulas, que estão ligadas a dentes do réptil.
Segundo o professor Bryan Fry, um dos responsáveis pelo estudo, é a combinação da peçonha com os dentes extremamente afiados do animal que o transformam em uma "máquina de matar".

Descoberta inesperada
Os dragões-de-komodo, que podem chegar a cerca de três metros de comprimento e pesar cem quilos, são nativos da Indonésia.
De acordo com Fry, os dragões são estudados há muitos anos, porém, "não era esperado encontrar veneno neles".
Previamente, acreditava-se que as presas do animal eram mortas lentamente. "Agora descobrimos que a morte é na verdade bem rápida e sem muito contato", disse o cientista.
Além disso, a combinação da dentada com a peçonha, apesar da cabeça leve e pequena do animal, permite que ele se alimente de animais grandes, como veados.
"Acreditamos que os dragões são capazes de imobilizar as presas com o veneno da mordida, que aumenta o estrago feito pelos dentes afiados."
Os efeitos da peçonha do dragão mostraram ser semelhantes aos do veneno de algumas cobras, ao prejudicar a coagulação e aumentar a pressão sanguínea.
O dragão-de-komodo é um parente próximo do extinto Varanus priscus, nativo da Austrália, possivelmente o maior animal peçonhento que já existiu.
Em 2007, um menino de oito anos foi morto por um dragão em um parque nacional no leste da Indonésia, no primeiro caso de ataque fatal em 33 anos.

BBC Brasil

PF prende mais dois suspeitos em ação contra trabalho escravo e tráfico de pessoas

A PF (Polícia Federal) prendeu mais duas pessoas durante a operação Da Shan --de combate ao tráfico de pessoas e ao trabalho escravo no Brasil. Balanço divulgado na noite desta sexta-feira indica que, ao todo, foram presas por agentes federais 12 pessoas em Rondônia e duas em São Paulo --incluindo o chinês Zhu Ming Wen, conhecido como Tony e apontado como líder de uma quadrilha especializada nestes crimes.
Durante os trabalhos em São Paulo, 36 imigrantes --a maioria composta por chineses-- foram levados para averiguação na Superintendência da PF. Eles seriam vítimas do esquema e viviam em condições precárias em dois prédios da região da rua 25 de Março --tradicional ponto de comércio popular da cidade.
A PF também apreendeu R$ 84 mil na casa que Ming mantinha em Recife (PE) e mais R$ 124 mil em sua casa em São Paulo. Também foram encontrados instrumentos para a falsificação de passaportes e duas notificações originais para a saída de chineses do Brasil. As notificações haviam sido expedidas pela Delegacia da Polícia Federal, em Vilhena.
A operação foi deflagrada após investigação iniciada pela PF em Rondônia, em 2008. Naquela época, chineses foram flagrados tentando entrar no Brasil com o carimbo de visto de entrada falsificados nas cidades de Porto Velho, Ji-Paraná e Vilhena.
A partir disso, as autoridades brasileiras descobriram que um grande número de imigrantes entravam ilegalmente no país por Rondônia. A rota usada passava ainda pela Holanda, Peru, Equador e Bolívia.
De acordo com a PF, o grupo criminoso liderado por Ming é composto por aliciadores - os chamados coiotes - que atraem as pessoas com promessas de trabalho.

Averiguação
Entre os imigrantes detidos em São Paulo estão três crianças. Eles foram levados em três ônibus até a Superintendência da PF, onde seriam ouvidos e seria verificado se estão em situação ilegal no país.
Os policiais afirmam que os imigrantes que estiverem com a documentação em ordem serão liberados após verificação. Os demais poderão ser notificados para deixar o país.
Os membros da quadrilha podem responder pelos crimes de formação de quadrilha e por manter trabalhador em condições semelhantes à de escravo e, se condenados, podem pegar 11 anos de prisão, de acordo com a PF.

colaboração da Agencia Brasil


Folha Online

Maisa está proibida pela Justiça de participar do 'Programa Silvio Santos'

RIO - A apresentadora-mirim Maisa Silva, de 7 anos, está proibida pela Justiça de participar do "Programa Silvio Santos", do SBT, já a partir deste domingo. O alvará que permite que a menina trabalhe na TV foi cassado nesta sexta-feira pela juíza auxiliar de Osasco (sede do complexo de estúdios do canal) Ana Helena Rodrigues Mellim, que acatou pedido feito pela promotora estadual da Infância e da Juventude de Osasco, Susana Müller.
Procurada pelo site do Globo nesta sexta-feira à noite, a assessoria de imprensa do SBT informou que a "emissora vai acatar a decisão da Justiça de São Paulo e Maisa não aparecerá no 'Programa Silvio Santos' deste domingo". Mas segundo a assessoria, a apresentadora-mirim continuará à frente da programação infantil de fim de semana do SBT, comandando os programas matinais "Sábado animado" e "Domingo animado".
A promotora Susana Müller usou como argumento para pedir a cassação do alvará de Maisa o fato de que a menina era submetida a situações impróprias que ferem o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Ela também ressaltou "que a participação da garota não observa o direito à liberdade e o respeito à dignidade do ser humano em desenvolvimento".
Nesta sexta-feira, o Ministério Público Federal de São Paulo pressionou o Ministério das Comunicações para que ele se posicione sobre a exposição de Maisa (leia mais) . Um inquérito para investigar as participações de Maisa no "Programa Silvio Santos" foi aberto na quinta-feira (leia mais) . Há a possibilidade de a atração ganhar uma nova classificação horária.
No dia 10 de maio, durante o programa, Maisa foi trancada em uma mala e se assustou. Depois, entrou em aparente desespero com a exibição de um menino mascarado, chorando muito No domingo seguinte, dia 17, a criança ficou nervosa ao ser provocada por Silvio Santos, desesperou-se e chorou ao bater a cabeça em uma câmera.


Revista da TV

sexta-feira, 22 de maio de 2009

25 de maio é o Dia Nacional da Adoção

A adoção é a forma de paternidade ou maternidade, na qual uma pessoa ou casal torna filho uma criança ou adolescente nascido de outra pessoa, de maneira legal e definitiva.
Este procedimento deve ser feito de acordo com a legislação vigente, através da Vara da Infância e da Juventude, órgão capacitado para, através de seus profissionais, refletir com a mãe e/ou pai adotantes sobre as implicações desse ato. Outro fator relevante é que somente o Juizado possui um cadastro de pessoas habilitadas para a adoção.
Registrar uma criança nascida de outra pessoa como filha é ilegal e é crime, com pena de reclusão prevista no Código Penal. O registro em cartório pode ser cancelado a qualquer momento, dando aos pais biológicos o direito de recorrer à Justiça para rever o(a) filho(a).
Já com o processo de adoção os pais adotivos não correm o risco de perder a criança.A adoção feita através de ato judicial é irrevogável, ou seja, não tem volta, a não ser nas formas previstas em lei. A adoção legal garante ao filho por adoção os mesmos direitos do filho biológico, inclusive de nome e herança.
Por ano, uma média de 6 mil crianças são adotadas no Brasil. Algumas delas são adotadas por estrangeiros e vão morar em outros países. Bebês, crianças e adolescentes até 18 anos podem ser adotados. Para adotar uma criança basta ter mais de 21 anos, ser 16 anos mais velho do que a criança que será adotada e passar pelo acompanhamento e avaliação da Vara da Infância e da Juventude.
Entre os grandes desafios enfrentados estão os preconceitos, mitos e crendices alimentados pela sociedade brasileira e a dificuldade em relação à adoção tardia, que abrange as crianças com mais de cinco anos de idade. A adoção tardia possibilita o resgate da identidade de crianças e adolescentes que moram em abrigos por anos a fio, e restituir o direito à convivência familiar e comunitária.

O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) estabelece em seu artigo 4º: "É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária."


site H2Foz

Adoção: Anjos da Vida realiza pedágio informativo

O grupo de estudos e apoio à adoção Anjos da Vida, de Balneário Camboriú, realiza neste sábado (23), um pedágio informativo. A proposta do grupo é chamar a atenção da população para o Dia da Adoção, a ser comemorado no próximo dia 25 de maio. O grupo estará reunido no calçadão da Avenida Central, das 10h às 12h.
O grupo Anjos da Vida foi instituído há mais de um ano e realiza importante trabalho na área de apoio à adoção, promovendo a discussão da temática com a sociedade civil, visando esclarecimentos, conscientização, campanhas e sensibilizações concernentes a adoção, tendente a criar uma cultura que assegure a dignidade da pessoa humana, à família doadora, ao adotado e ao adotante. O grupo recebe semanalmente várias pessoas interessadas na área da adoção, atualmente existem 100 cadastrados. A entidade é não governamental e não possui fins lucrativos, e conta ainda com o apoio da Vara da Família, Infância e Juventude de Balneário Camboriú.
A presidente do grupo, Cristina Machado Bitencourt, explica que muitas pessoas participam das reuniões apenas para ajudar ao próximo. “Não interessa se a pessoa é casada, solteira ou a opção sexual. O nosso propósito é encontrar uma criança para quem quer adotar”, diz. Cristina revela ainda que a falta de crianças para serem adotadas é um grande problema em Balneário Camboriú. “Muitas pessoas acreditam que as crianças que estão nos abrigos estão disponíveis para a adoção. Esta não é a realidade, pois muitas apenas estão de passagem, aguardando alguma decisão judicial ou até mesmo possuem pais que estão cumprindo pena ou são dependentes químicos”, disse.
A presidente do Anjos da Vida foi adotada na infância e hoje revela que pretende, de alguma forma, retribuir às outras pessoas a felicidade que ela teve ao encontrar uma família que a acolheu com amor. Cristina explica que a intenção do pedágio é “desmistificar a questão da adoção e apoiar as pessoas que desejam adotar”. No pedágio será entregue material explicativo à população e não será aceito nenhum tipo de pagamento.
Atualmente o grupo está se reestruturando e aguarda resposta das entidades municipais. “Demos entrada junto ao Departamento Parlamentar para conseguir a declaração de utilidade pública. Além disso, estamos requerendo o direito da palavra e voto junto ao Conselho de Direito da Criança e Adolescente”, revela Cristina.
As reuniões do grupo estão abertas ao público e acontecem todas as segundas e quartas terças-feiras do mês, na sede do Instituto Sentir, Rua 916 nº 461

Para maiores informações acesse: http://www.grupoanjosdavida.blogspot.com/


Mônica Bergamo: Justiça decide nos próximos dias caso de menino disputado por pai americano


Segundo a coluna de Monica Bergamo, na Folha de São Paulo, a Justiça deve decidir nos próximos dias o destino do garoto de oito anos cuja guarda é disputada pelo pai americano, David Goldman, e pelo padrasto brasileiro, João Paulo Lins e Silva. A família brasileira colecionou, nas últimas semanas, uma série de derrotas. O juiz da 16ª Vara Federal do RJ não acolheu pedido de impugnação contra o laudo da perícia que, entre outras coisas, afirmou que o garoto se adaptaria facilmente nos EUA, não considerou necessário ouvir o menino uma vez mais e negou pedido de investigação sobre a situação financeira do americano.

PASSAPORTE
Um dos temores dos que cercam a família brasileira é o de que a Justiça, caso julgue em favor do pai americano, diga que a decisão tem aplicação imediata e permita que o garoto saia no mesmo dia do Brasil.

HORA DIFÍCIL
A tensão é tamanha que, anteontem, José Antonio Toffoli, advogado-geral da União, que defende que o garoto seja devolvido ao pai americano por conta de tratados internacionais assinados pelo Brasil, encerrou subitamente audiência com o advogado Sergio Tostes, da família Lins e Silva. O profissional acusou a AGU de agir ilegalmente ao defender que um brasileiro (no caso, o garoto) deixe o país; Toffoli respondeu que "o senhor cuida do seu cliente que eu cuido do meu. A audiência está encerrada".

Disputa
David Goldman tenta recuperar a guarda o filho desde 2004, quando a mãe do menino viajou para o Rio de Janeiro para visitar os pais e não voltou aos Estados Unidos.
Em agosto de 2008, ela morreu durante o nascimento da primeira filha com o novo marido, o advogado João Paulo Lins e Silva. O padrasto é quem detém a guarda do garoto.
Em abril, o ministro Paulo Vannuchi (Direitos Humanos), defendeu a permanência do menino no país, com a "livre visita" do pai biológico.
A história foi tema especial nos programas "Larry King Live" e "NBC Today Show", onde a secretária de Estado, Hillary Clinton, defendeu que a guarda do garoto seja do pai.


Folha Online

Últimas Notícias sobre o Caso Isabella Nardoni

Caso Isabella: juiz manda fazer novo exame de DNA do casal Nardoni
21/05/2009 - 15h47 (
- G1) - Gazeta ONLINE
Justiça determinou que um novo exame de DNA seja feito no sangue encontrado nas roupas e no carro de Alexandre Nardoni e de Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella, de 5 anos, morta após ser jogada da janela do apartamento do pai em março do ano passado, na Zona Norte da capital paulista. O casal é acusado do crime. Pai e madrasta estão presos e afirmam que são inocentes. A decisão do juiz Maurício Fossen atende em parte ao pedido da defesa do casal, conduzida pelo criminalista Roberto Podval. O magistrado, do 2º Tribunal do Júri de São Paulo, só não concordou com a urgência para a realização dos exames.Segundo ele, o material para confronto deve permanecer guardado pelos Institutos de Criminalística (IC) e Médico-Legal (IML), para que, no momento oportuno, as análises sejam realizadas. Em seu despacho, o magistrado considerou que é preciso ter cautela "antes de lançar uma grave acusação" contra os peritos. O magistrado se refere ao fato de a defesa do casal ter afirmado que o sangue usado para a análise não é do casal, pois o pai e a madrasta da menina não teriam recolhido sangue para o exame de DNA feito pela perícia do caso.A alegação da defesa toma por base o fato de as guias de recolhimento do sangue dos réus não terem sido achadas no IC e no IML, o que poria em dúvida o resultado e a idoneidade dos exames. Para o magistrado, é necessário ouvir o que os peritos têm a dizer. Ele afirmou ainda não entender a pressa da defesa. Podval havia pedido os exames por meio de ação cautelar, pois temia que, se o fizesse mais tarde, acabasse acusado de querer retardar o julgamento.


Justiça adia decisão sobre novo pedido de exame de sangue do casal Nardoni
Juiz alega que solicitação da defesa será analisada em momento oportuno.Advogado diz que não haverá júri se exame de material não for feito.
O juiz Maurício Fossen protelou a sua decisão sobre o pedido da defesa de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá para um novo exame para comprovar se o sangue colhido durante as investigações da morte da menina Isabella é mesmo do casal. Em 29 de março de 2008, Isabella, então com 5 anos, foi jogada da janela do apartamento do pai e da madrasta no sexto andar de um prédio no bairro do Carandiru, na Zona Norte de São Paulo. Apesar de questionar os argumentos do advogado Roberto Podval para a solicitação do exame, o juiz considerou que este não é o momento oportuno para “que as partes possam requerer novas diligências” e decidiu relegar “a apreciação do presente requerimento novamente formulado pelos réus, agora através de seus novos defensores” para uma fase que precede a realização do júri.
“Antes do júri, as partes vão ser intimadas para fazer os requerimentos. O que a defesa não quer é ser chamada de procrastinatória (que age com a intenção de adiar). Fizemos o pedido para a realização de exame agora para que não venham dizer que estamos querendo adiar o júri”, afirmou Roberto Podval, advogado de defesa dos Nardoni. Apesar de ter a análise do seu pedido adiada, o advogado disse que não vai insistir com ele neste momento. “Eu poderia recorrer, mas para mim não faz diferença. Em algum momento, a Justiça vai ter de se pronunciar sobre a realização de novos exames ou não. O fato do juiz ter determinado que o sangue fique guardado até a decisão está bom para mim”, disse. Em seu despacho, o juiz Maurício Fossen determinou, “apenas por uma questão de precaução e para deixar mais tranqüila a defesa”, que sejam preservados no Instituto de Criminalística e no Instituto Médico Legal “os restos dos materiais genéticos que constam em seus arquivos como tendo sido colhidos dos réus, até nova ordem deste Juízo, visando assim permitir a realização de futuras diligências para comprovar suas origens, no futuro, se necessário”. Para o advogado, em algum momento o exame com o suposto sangue do casal Nardoni “será feito”. “Não vejo possibilidade de que o júri seja realizado sem que a prova seja feita. Não entendo por que está relutância (para a realização do exame). O sangue que está lá (no IC e no IML) não é deles. Os meus clientes afirmaram por escrito que não retiraram sangue para fazer exame. Isso está nos autos”, finalizou.
G1 - 21/05/09 - 18h57


Juiz nega pedido de DNA do casal Nardoni
A Justiça informou nesta quinta-feira que não determinou a realização de um novo exame de DNA no sangue encontrado em objetos do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella. O juiz Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri de São Paulo, analisa o pedido, feito pela defesa do casal, mas considera que não é este o momento processual adequado para que os advogados possam requerer a realização de novas análises.
A alegação da defesa, conduzida pelo criminalista Roberto Podval toma por base o fato de as guias de recolhimento do sangue dos réus não terem sido achadas nos IC (Institutos de Criminalística) e IML (Médico-Legal), o que poria em dúvida o resultado e a idoneidade dos exames. Isabella, 5 anos, morreu em 29 de março de 2008, ao ser atirada do 6º andar do prédio em que seu pai e a madrasta moravam. Os dois estão presos.
Diário do Grande ABC - quinta-feira, 21 de maio de 2009, 20:56


Caso Isabella: Justiça nega pedido da defesa dos Nardoni para novo exame de DNA no sangue do casal
SÃO PAULO - A Justiça de São Paulo descartou a realização imediata de um novo exame de DNA no sangue encontrado nas roupas e no carro de Alexandre Nardoni e de Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella, que estão presos acusados de assassinar a criança no ano passado. O pedido havia sido feito pelo novo advogado do casal, Roberto Podval, que disse que o casal não forneceu amostras de sangue para exame. O advogado colocou em dúvida a análise feita pelos peritos do Instituto de Criminalística (IC) e do Instituto Médico Legal (IML) comparando uma amostra de sangue achada na calça de Anna Carolina ao sangue que ela forneceu. O resultado deu positivo.
O juiz Maurício Fossen em seu despacho afirma que o IC e o IML são instituições respeitadas internacionalmente e os peritos não assinariam laudos judiciais 'sem que tivessem certeza da origem do material examinado', principalmente num caso de grande repercussão como a morte de Isabella. O juiz avalia que, antes de qualquer suspeita em relação ao trabalho dos técnicos, é preciso dar oportunidade para que sejam ouvidos.
- Antes de lançar tão grave acusação é preciso que sejam ouvidos - diz o juiz.
O advogado de defesa dos Nardoni afirmaram nos autos que os 'laudos apresentados por aqueles experts não seriam condizentes com a verdade'.
O juiz diz que os exames do IC e do IML já constavam nos autos antes do casal ser denunciado. O magistrado lembrou também que na apelação de liberdade provisória pela defesa pedida para o casal, os advogados chegaram a usar como argumento que os Nardoni estavam colaborando com a investigação e 'permitiram a coleta de sangue'.
Para o juiz, não existe fato novo que justifique a realização de um novo exame de DNA. No despacho, Maurício Fossen diz ainda que todo o material genético colhido dos réus se encontra com o IC e o IML e não há notícia de que está prestes a ser descartado. Com isso, diz o juiz, caso haja necessidade de um novo exame no futuro, as amostras estão preservadas.
Como precaução e para deixar tranquila a defesa, o juiz determinou que o material genético seja preservado, até nova ordem da Justiça.
O GLOBO - 21/05/2009 às 16h23m


Justiça nega pedido da defesa dos Nardoni para novo exame de DNA no sangue do casal
SÃO PAULO - A Justiça de São Paulo descartou a realização imediata de um novo exame de DNA no sangue encontrado nas roupas e no carro de Alexandre Nardoni e de Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella, que estão presos acusados de assassinar a criança no ano passado. O pedido havia sido feito pelo novo advogado do casal, Roberto Podval, que disse que o casal não forneceu amostras de sangue para exame. O advogado colocou em dúvida a análise feita pelos peritos do Instituto de Criminalística (IC) e do Instituto Médico Legal (IML) comparando uma amostra de sangue achada na calça de Anna Carolina ao sangue que ela forneceu. O resultado deu positivo.
O juiz Maurício Fossen em seu despacho afirma que o IC e o IML são instituições respeitadas internacionalmente e os peritos não assinariam laudos judiciais 'sem que tivessem certeza da origem do material examinado', principalmente num caso de grande repercussão como a morte de Isabella. O juiz avalia que, antes de qualquer suspeita em relação ao trabalho dos técnicos, é preciso dar oportunidade para que sejam ouvidos.
- Antes de lançar tão grave acusação é preciso que sejam ouvidos - diz o juiz.
O advogado de defesa dos Nardoni afirmaram nos autos que os 'laudos apresentados por aqueles experts não seriam condizentes com a verdade'.
O juiz diz que os exames do IC e do IML já constavam nos autos antes do casal ser denunciado. O magistrado lembrou também que na apelação de liberdade provisória pela defesa pedida para o casal, os advogados chegaram a usar como argumento que os Nardoni estavam colaborando com a investigação e 'permitiram a coleta de sangue'.
Para o juiz, não existe fato novo que justifique a realização de um novo exame de DNA. No despacho, Maurício Fossen diz ainda que todo o material genético colhido dos réus se encontra com o IC e o IML e não há notícia de que está prestes a ser descartado. Com isso, diz o juiz, caso haja necessidade de um novo exame no futuro, as amostras estão preservadas.
Como precaução e para deixar tranquila a defesa, o juiz determinou que o material genético seja preservado, até nova ordem da Justiça.
O GLOBO - publicada em 21/05/2009 às 16h18m


CORREÇÃO: Juiz manda preservar material genético dos Nardoni - 21 de maio de 2009 - 20h20 - atualizado 21h55
Diferentemente do que foi publicado anteriormente pelo portal Terra na notícia Juiz manda IC e IML preservar material genético dos Nardoni, no dia 21 de maio de 2009, às 10h44, o juiz Maurício Fossen determinou que fossem preservados os restos de material genético referentes ao caso Isabella no Instituto de Criminalística (IC) e no Instituto Médico Legal (IML), e não que fosse feito um novo exame de DNA com vestígios encontrados na cena do crime. A informação foi corrigida no mesmo dia, às 21h05.
Redação Terra


Juiz manda fazer novo DNA do casal Nardoni
SÃO PAULO - A Justiça determinou que novo exame de DNA seja feito no sangue encontrado nas roupas e no carro de Alexandre Nardoni e de Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella. A decisão do juiz Maurício Fossen atende em parte ao pedido da defesa do casal, conduzida pelo criminalista Roberto Podval. O magistrado, do 2º Tribunal do Júri de São Paulo, só não concordou com a urgência para a realização dos exames. Segundo ele, o material para confronto deve permanecer guardado pelos Institutos de Criminalística (IC) e Médico-Legal (IML), para que, no momento oportuno, as análises sejam realizadas. Em seu despacho, o magistrado considerou que é preciso ter cautela ?antes de lançar uma grave acusação? contra os peritos. O magistrado se refere ao fato de a defesa do casal ter afirmado que o sangue usado para a análise não ser do casal, pois o pai e a madrasta da menina não teriam recolhido sangue para o exame de DNA feito pela perícia do caso. A alegação da defesa toma por base o fato de as guias de recolhimento do sangue dos réus não terem sido achadas no IC e no IML, o que poria em dúvida o resultado e a idoneidade dos exames. Para o magistrado, é necessário ouvir o que os peritos têm a dizer. Ele afirmou ainda não entender a pressa da defesa. Podval havia pedido os exames por meio de ação cautelar, pois temia que, se o fizesse mais tarde, acabasse acusado de querer retardar o julgamento. Isabella, de 5 anos, morreu em 29 de março de 2008, ao ser atirada do 6º andar do prédio em que seu pai e a madrasta moravam. Os dois estão presos.
O Estado de S. Paulo.
quinta-feira, 21 de maio de 2009, 09:39 Online


Juiz adia decisão sobre novo exame de DNA
Por Fernando Porfírio
A Justiça de São Paulo adiou decisão sobre novo exame de DNA no sangue encontrado nas roupas e no carro de Alexandre Nardoni e de Anna Carolina Jatobá, acusados de matar Isabella Nardoni, filha de Alexandre. A decisão foi tomada nesta quinta-feira (21/5) pelo juiz Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri da Capital. O pedido foi feito pelo advogado Roberto Podval.
O juiz determinou que o material já periciado permaneça guardado pelo Instituto de Criminalística (IC) e pelo Instituto Médico-Legal (IML), para que, no momento oportuno, seja confrontado com os novos testes. Clique aqui para ler a decisão.
No despacho, Maurício Fossen disse que é preciso ter cautela “antes de lançar uma grave acusação” contra os peritos. O magistrado se refere ao fato de a defesa do casal ter afirmado que o sangue usado para a análise não foi o do casal, pois o pai e a madrasta da menina não tinham recolhido sangue para o exame de DNA feito pela perícia.
A alegação da defesa toma por base o fato de as guias de recolhimento do sangue dos réus não terem sido achadas no IC e no IML, o que poria em dúvida o resultado e a idoneidade dos exames. Para o juiz, é necessário antes ouvir o que os peritos têm a dizer. Ele afirmou ainda não entender a pressa da defesa.
A alegação de Roberto Podval é de que o sangue examinado pelos peritos não era de seus clientes. "Eles não forneceram o material sanguíneo utilizado como parâmetro de confronto (exame de DNA) com as amostras coligidas no apartamento e nas roupas ali encontradas", afirmou o criminalista.
O defensor do casal Nardoni, acusado de atirar pela janela do prédio a menina Isabella, de cinco anos, em março do ano passado, tem por base a alegação da falta do termo de coleta de sangue no processo contra o casal. Também se apresentou cópia de declarações dos réus, afirmando que em nenhum momento os peritos retiraram sangue deles. Segundo Podval, apesar disso, o laudo constatou a coincidência do perfil genético dos materiais biológicos examinados, determinando que eles pertenciam à madrasta e ao pai de Isabella.
Conjur
Notícia alterada às 22h de quinta-feira (21/5) para correção de informação.


Cotidiano: Casal Nardoni não fará um novo exame de DNA
A Justiça de São Paulo nega um pedido do casal Nardoni, acusado de matar a menina Isabella. A defesa de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá queria a realização imediata de um novo exame de DNA, no sangue encontrado nas roupas e no carro do casal. O pai e a madrasta da menina estão presos acusados de assassinar a criança, no ano passado. Segundo o novo advogado do casal, Roberto Podval, os dois não forneceram amostras de sangue para o exame de DNA. Foi colocada em dúvida a análise feita pelos peritos do Instituto de Criminalística e do Instituto Médico Legal. Mas o juiz Maurício Fossen afirmou, em despacho, que o IC e o IML são instituições respeitadas internacionalmente, e os peritos não assinariam laudos, sem que tivessem certeza da origem do material examinado.
Band.com.br -
Quinta-feira, 21 de maio de 2009 - 18h33


Correção: Justiça não pediu novo DNA de casal Nardoni
A nota sobre o caso Isabella Nardoni divulgada na manhã de hoje está errada. A Justiça não determinou que novo exame de DNA seja feito no sangue encontrado em objetos do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta da menina Isabella. O juiz Maurício Fossen, do 2º Tribunal do Júri de São Paulo, analisa o pedido, feito pela defesa do casal, mas considera que não é este o momento processual adequado para que os advogados possam requerer a realização de novas análises.
A alegação da defesa, conduzida pelo criminalista Roberto Podval, toma por base o fato de as guias de recolhimento do sangue dos réus não terem sido achadas nos Institutos de Criminalística (IC) e Médico-Legal (IML), o que poria em dúvida o resultado e a idoneidade dos exames. Isabella, de 5 anos, morreu em 29 de março de 2008, ao ser atirada do 6º andar do prédio em que seu pai e a madrasta moravam. Os dois estão presos.
G1- Atualizado em 21/05/09 - 19h50


Juiz manda IC e IML preservar material genético dos Nardoni
21 de maio de 2009 • 10h44 • atualizado às 21h05
Justiça de São Paulo determinou, nesta quinta-feira, que o Instituto de Criminalística (IC) e o Instituto Médico Legal (IML) preservem o material genético de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, pai e madrasta de Isabella Nardoni, morta em março do ano passado. A defesa do casal, acusado de matar a menina, pedia a realização de um exame de DNA para tentar provar que o sangue encontrado na cena do crime não é dos acusados. Para o juiz Maurício Fossen, este não é um "momento processual adequado para que as partes possam requerer novas diligências".
O magistrado afirmou que a preservação do material genético se dá "apenas por uma questão de precaução e para deixar mais tranqüila a defesa". Os institutos devem manter guardados os restos dos materiais "até nova ordem deste Juízo, visando assim permitir a realização de futuras diligências para comprovar suas origens, no futuro, se necessário".
Sobre o fato de a defesa do casal ter afirmado que o sangue usado para a análise não ser do casal, pois o pai e a madrasta da menina não teriam recolhido sangue para o exame de DNA feito pela perícia do caso, o magistrado considerou que "é necessária uma maior cautela antes de lançar tão grave acusação nos autos a respeito daqueles laudos periciais". A alegação da defesa toma por base o fato de as guias de recolhimento do sangue dos réus não terem sido achadas no IC e no IML. Para a defesa, isso coloca em dúvida o resultado dos exames. Maurício Fossen disse que os antigos advogados do casal declararam, em uma dos pedidos de liberdade, que os réus permitiram a coleta do sangue, para demonstrar que estavam colaborando com as investigações. O juiz também disse que antes de fazer novas diligências é preciso ouvir o que os peritos têm a dizer.
Isabella, de 5 anos, morreu em 29 de março de 2008, ao ser atirada do 6º andar do prédio em que seu pai e a madrasta moravam. Os dois estão presos
Redação Terra

Opinião: Impunidade destroi mais duas famílias


Dias atrás, na Grande São Paulo uma família inteira foi destruida após a morte do pai e filho, que foram pegos de surpresa e assassinados dentro de casa mesmo sem esboçar qualquer tipo de reação. A consequência disso terminou com a morte prematura da mãe das vítimas por parada cardíaca.

Ontem, morreu a menina Gabriela, de 8 anos, friamente assassinada por um delinquente de 17 anos que mirou em sua cabeça e atirou após ter ouvido o soar de um alarme, enquanto realizava assalto na residência onde encontrava-se a babá e as irmãs gêmeas em um condomínio fechado em Rio Claro, interior de São Paulo.

A pergunta que fica nesses dois casos. Quanto vale a vida dessas pessoas?

Para a família das vítimas, a vida pode custar a morte espiritual e a morte real, levando a "banca rota", o credo e o sentido da vida para essas pessoas. Sentido este que é o da procriação e perpetuação da espécie.

No primeiro caso, a esperança de lutar pela vida, da mãe vítima de câncer, acabou no momento que seu marido e filho morreram.

No segundo caso, a vida da criança decretou a morte espiritual de seu pai, de sua mãe e de sua irmã gêmea. A morte dela poderá desestruturar toda a expectativa de vida desse casal que lutou e trabalhou para poder dar o direito de conforto próximo de um país de primeiro mundo as suas duas filhas. Pena que estão vivendo em um país de terceiro mundo.

Infelizmente não são apenas dois casos isolados, só para lembrar os esquecidos, alguns casos de maior comoção... Yves Ota (8 anos) +97, Liana Friedenbach (15 anos) e Felipe Caffe (18 anos), +2003, Gabriela Prado (14 anos) +2003, João Hélio Fernandes Vieites (6 anos) +2007, Isabella Nardoni (5 anos) +2008

Marginais como esses que destroçaram a vida dessas famílias, na maior parte das vezes, quando são presos, ou já estavam cumprindo pena e estavam soltos através de indulto, ou estavam aguardando serem chamados, ou estavam foragidos ou já estavam em liberdade por cumprir pena mínima.

Esses marginais, que são constantemente pegos pela polícia em ações que diga-se de passagem, em São Paulo são muito bem realizadas, saem minutos depois pela porta da frente da delegacia rindo dos "palhaços" que os prenderam. Infelizmente é isso que eles pensam da nossa polícia.

Esses marginais, podem decretar nosso último dia a qualquer momento e em qualquer lugar. Se tivermos sorte, talvez essa não seja nossa última leitura.

Nós, como brasileiros e pais de família, vivendo numa das dez maiores economias do planeta não podemos mais aceitar esse tipo de atitude de país tribal, totalmente negligente e intransigente. Atitude esta que está colocando em risco a vida de milhares de pessoas de bem.

Nosso Estado, infelizmente, está fazendo um papel pior que dos bandidos, pois esses já se declararam criminosos e não se fazem de mocinhos. Estes, tem leis mais dinâmicas, eficientes e eficazes do que nosso Estado. Em algumas cidades, como é o caso da cidade do Rio de Janeiro, já são um Estado quase que independente.

Até quando poderemos aceitar essa negligência do Estado brasileiro com as questões sociais?

Estado este que se vangloria e divulga na televisão que bateu recordes de arrecadação de impostos.

Estado esse, cujos eleitos democraticamente possuem castelos, emitem notas fiscais de suas empresas para justificar gastos absurdos, gastam milhões com cartões de crédito, fazem viajem para Disney com toda a familia usando dinheiro público, estão loucos para prolongar ainda mais seus mandatos e ainda se acham no direito de de dizer que estão se lixando para o povo.

Será que já não estamos trocando nossa democracia por uma anarquia que poderá colocar na mão de cada cidadão o direito de ser o próprio Estado?


Equipe VIVAcidade. 22.05.2009

David e Sean ficarão juntos?

A Justiça deve decidir nos próximos dias o destino do garoto de oito anos cuja guarda é disputada pelo pai americano, David Goldman, e pelo padrasto brasileiro, João Paulo Lins e Silva. A colunista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo, cita algumas decisões recentes do juiz da 16ª Vara Federal do Rio de Janeiro que indicam que a disputa está pendendo para o pai da criança: ele não acolheu pedido de impugnação contra o laudo da perícia que, entre outras coisas, afirmou que o garoto se adaptaria facilmente nos EUA; não considerou necessário ouvir o menino uma vez mais; negou pedido de investigação sobre a situação financeira do americano. A parte brasileira teme que caso a decisão seja favorável ao americano, o garoto possa sair no mesmo dia do Brasil.


Conjur

Cela com capacidade para 36 detentos abriga 256 no Espírito Santo

CNJ solicitou atendimento médico a presos da Cadeia de Vila Velha.Órgão realiza inspeção em presídios do estado.

Durante uma inspeção na Cadeia de Vila Velha (ES), nesta sexta-feira (22), representantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) encontraram 256 detentos em uma cela com capacidade para abrigar 36 pessoas.
O órgão solicitou que a Secretaria de Saúde do Espírito Santo providencie atendimento médico aos presos que estão no local. Segundo o juiz auxiliar da presidência do CNJ, Erivaldo Ribeiro, os detentos correm riscos de contrair doenças graves, inclusive tuberculose.
Para o juiz do CNJ, os detentos estão submetidos a condições insalubres. Nos últimos dois meses, duas pessoas teriam morrido por infecção generalizada dentro da cela.
A inspeção do CNJ nos presídios do Espírito Santo começou na segunda-feira (18). O resultado dos trabalhos será reunido em um relatório, que será encaminhado à Corregedoria Nacional de Justiça.

Ausência da defensoria pública
De acordo com representantes do CNJ, nos sete presídios inspecionados no Espírito Santo desde o início da semana há celas superlotadas e presos precisam se revezar para dormir. O órgão também constatou falta de atuação da defensoria pública.


G1

Morre uma das blogueiras mais velhas do mundo

A espanhola Maria Amelia Lopez tinha 97 anos.Blog foi criado com a ajuda do neto, que digitava as memórias da avó.

A espanhola Maria Amelia Lopez, que ganhou fama como uma das blogueiras mais velhas do mundo, morreu na manhã de quarta-feira (20), aos 97 anos, na província de La Coruna. Ela era responsável pelo blog A mis 95 años, criado com a ajuda do neto.

A página reunia as memórias de Maria Amelia, incluindo fatos relacionados à Guerra Civil da Espanha e aos anos de ditadura do general Francisco Franco. A blogueira ditava os textos e o neto Daniel escrevia, pois ela tinha problemas na vista. Por conta da fama obtida com o site, a avó conheceu o primeiro-ministro Jose Luis Rodriguez Zapatero.
“Meu neto me deu esse blog no dia 23 de dezembro de 2006, quando eu tinha 95 anos, e mudou minha vida. Desde aquele dia, tive mais de 1,5 milhão de visitas de internautas dos cinco continentes”, escreveu em um post. O texto mais recente, postado pelo neto, informa sobre a morte de Maria Amelia e já tem mais de 500 comentários.

Em 2007, a avó venceu o Best Of Blogs (BOBs), o concurso de blogs da rede de televisão alemã "Deutsche Welle" (DW), na categoria em espanhol.
G1

Com desenho na internet, garotas dão dicas sobre como matar colega

Meninas com idades entre 11 e 12 anos criaram conteúdo ofensivo. Sugestões incluem envenenamento e tiros contra vítima de bullying.

Um desenho postado no YouTube, criado por garotas com idades entre 11 e 12 anos, gerou polêmica pelo fato de ensinar técnicas sobre como matar uma colega chamada Piper. “Fiquei horrorizada”, disse Beth Smith, a mãe da menina que aparece sendo atacada no cartoon "Top six ways to kill Piper" (“seis melhores maneiras de matar Piper”).
No arquivo cheio de desenhos com características infantis, diversas garotas atiram contra Piper, a fazem cometer suicídio, lhe dão veneno e a empurram de um barranco. Segundo o site da emissora “King 5”, o conteúdo tem a trilha sonora "True Friend" (“amigo verdadeiro”, em tradução livre), do programa adolescente “Hannah Montana”.
Piper está na sexta série da Elk Plain School of Choice, em Spanaway (Washington), e as responsáveis pelo vídeo estudam na mesma escola. “Isso tudo realmente machucou meus sentimentos. Me sinto mal em saber que alguém me odeia tanto assim, para fazer um vídeo sobre mim”, disse a jovem, segundo a “King 5”.

Alerta
Depois de descobrir a existência do vídeo, Beth ligou para os pais das garotas que o criaram. Alguns ficaram chocados, enquanto outros não ligaram. “Um homem me ignorou e disse que estava fazendo o jantar”, disse a mãe da vítima.
Por questões de privacidade, a escola não revela como está tratando o caso. “As alunas expressaram remorso sobre o incidente, e acreditamos que Elk Plain é e continuará sendo um lugar seguro para os estudantes”, afirmou a porta-voz Krista Carlson. A mãe de Piper diz ter medo do que pode acontecer com sua filha e deu queixa na polícia.
Esse tipo de ação, como o desenho divulgado no YouTube, vem ganhando cada vez mais força e é conhecido como ciberbullying. Trata-se de práticas um conjunto de práticas agressivas, intencionais e repetitivas que são adotadas por uma ou mais pessoas contra outras, utilizando-se para isso de meios eletrônicos, como internet e telefones celulares.


G1

Polícia investiga denúncia de abuso sexual de crianças no Rio Grande do Sul

PORTO ALEGRE - A Polícia Civil investiga um caso de suspeita de abuso sexual de três crianças em Ronda Alta, no norte do Rio Grande do sul, a 336 quilômetros de Porto Alegre. O caso teria ocorrido com duas irmãs de oito anos e com a prima delas, de quatro anos.
Os supostos abusos teriam ocorrido há dois meses na casa do suspeito, um homem de 58 anos, tio-avô das meninas. Segundo o delegado Danilo Flôres, da Delegacia da Polícia Civil de Carazinho, a mãe de uma das meninas de oito anos (elas são irmãs somente por parte de pai) procurou a polícia para relatar o abuso no início da semana.
O delegado vai até Ronda Alta para ouvir testemunhas e acompanhar as denúncias.


O Globo On Line
Verbratec© Desktop.