quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Em vídeo, caseiro confessa crime e pede desculpa a filho de idosa

Ênio diz que está arrependido e que tem que pagar pelo assassinato.
Suspeito foi preso caminhando na manhã desta quinta (2) pela Lagoa.


Em um vídeo divulgado pela Polícia Civil, o caseiro Ênio Tomaz da Rocha, de 47 anos, confessa ter matado Alpha Dias Kieling, de 76 anos. Ele também diz que está arrependido e que tem que pagar pelo crime. Além disso, Ênio pede desculpas ao filho da vítima. "Se pudesse daria minha vida para ter a dela de volta", diz Ênio no vídeo.

Mais cedo, o inspetor Rafael Rangel, chefe de investigação da Divisão de Homicídios (DH), já havia informado que Ênio tinha confessado o crime.

O caseiro diz ter matado a idosa por ela ter suspeitado que ele tivesse roubado algum objeto do armário que havia limpado por R$ 50. Foi quando, segundo Ênio, ele empurrou Alpha e ela caiu. Em seguida, ainda segundo seu relato, ele enforcou a idosa.

Ainda de acordo com o seu relato, quando percebeu que a idosa não estava mais respirando, Ênio primeiro pensou em pedir ajuda a seguranças que ficavam na rua, mas percebeu que a rua estava deserta. Então, segundo ele, cavou um buraco no quintal da vítima e enterrou o corpo.

Foi ao chegar em casa, na Rocinha, que ele diz ter se arrependido do crime.

Ele afirma que se sentiu pressionado ao ver policiais fazendo buscas pela Rocinha. "Quando vi entrando e saindo da minha casa, aquilo me doeu muito. Procurei a delegada e disse que queria me entregar, mas com defensor público."

Ênio conta que ao receber R$ 100 do filho da vítima, pensou em mostrar onde Alpha estava enterrada, mas não teve coragem.

Ele conta ainda que quando foi encontrado pela polícia, estava a caminho do Centro para procurar um defensor público.

Ao ser questionado sobre o que diria ao filha da vítima, Ênio disse chorando: "Todo mundo que comete erros tem chance de mudar. Não sei o que aconteceu", contou, pedindo desculpas a todos pelo crime.

O suspeito fazia serviços na casa de vítima e foi preso na manhã desta quinta-feira. A idosa foi encontrada morta e parcialmente enterrada nos fundos da casa, em São Conrado, Zona Sul do Rio, no domingo (29).

O policial informou que, em depoimento na delegacia, o caseiro disse que foi contratado para arrumar o quarto de ferramentas de Alpha, e que eles acabaram discutindo depois que ela o acusou de furtar um objeto. Ênio disse que teria perdido o controle e esganado a vítima. O inspetor informou que o suspeito vai responder por homicídio doloso.

Filho se sentiu aliviado
O executivo Robert Dannenberg, filho de Alpha, disse na manhã desta quinta-feira (2) que se sente aliviado com a prisão do caseiro. Segundo Robert, ele não tinha contato com o empregado e que a mãe nunca comentou sobre ele.

"A sensação que eu tenho é de alívio. Retiramos das ruas um assassino cruel e isso é um grande alívio para toda a população. Foi retirado das ruas um criminoso muito perigoso, isso que é importante. Eu nunca tinha visto esse rapaz antes de sexta-feira, quando ele abriu os portões da minha casa para eu entrar", disse.

O executivo acompanhou a prisão do suspeito na Divisão de Homicídios. Ele afirmou que acredita que o caseiro seja o autor do crime: “A Justiça agora vai tratar de condená-lo adequadamente. Eu estou muito seguro que todas as evidências que me foram apresentadas apontam ele como o assassino. Esse é um momento de muita emoção para os familiares”, completou.

Suspeito foi preso na manhã desta quinta
O caseiro foi preso na manhã desta quinta-feira (2). De acordo com o 23°BPM, que efetuou a prisão, os policias efetuaram a prisão do suspeito após receber uma denúncia.

Segundo o tenente Edilson Bezerra, PMs que faziam ronda foram acionados e encontraram Ênio caminhando na altura do Clube de Remo do Vasco da Gama. Ao avistar os policiais, o suspeito teria tentado fugir, mas foi alcançado. Ênio chegou a ser encaminhado para a 15ª DP, na Gávea, mas, por se tratar de assasinato, foi levado para a Divisão de Homicídios, na Barra da Tijuca, Zona Oeste.

Apresentado à imprensa por volta das 11h30, Ênio não falou com a imprensa sobre o caso.

Na tarde de quarta (1º), a polícia fez buscas na Rocinha. No mesmo dia, o Disque-Denúncia divulgou um cartaz para auxiliar a polícia a prendê-lo.

O suspeito trabalhava na casa de vítima, Alpha Dias Kieling, de 76 anos. A idosa foi encontrada morta e parcialmente enterrada nos fundos da casa onde morava, no domingo (29).

Passagem pela polícia
O delegado Rivaldo Barbosa informou, na terça, que Ênio já tinha passagem pela polícia por roubo e furto e que já havia sido investigado pela DH por ocultação de cadáver e homicídio. Em maio deste ano, ele já tinha cometido o mesmo crime. Segundo Barbosa, Ênio matou e ocultou o corpo de uma funcionária de uma creche, em Botafogo, também na Zona Sul da cidade.

"O que nos fez crer que ele é o autor, foi porque este cidadão usou o mesmo modo operante no crime contra a Alpha. Tudo isso foi levado em consideração. E uma das circunstâncias do procedimento, foi porque somente ele tinha acesso à casa", explicou Rivaldo.

O titular da DH acrescentou ainda que Ênio tentou despistar o filho da vítima, quando ele foi procurá-la. "Quando [o executivo] Robert [Dannenberg] foi até a casa onde sua mãe morava a procura dela, o Ênio disse que Alpha tinha viajado para Teresópolis, para poder despistar não só o filho, como a polícia também", completou.

O delegado disse também que o suspeito possui tatuagem com o símbolo de uma cruz em cada um dos braços.

G1

Um comentário:

  1. Bom dia, tudo bem?
    Entrei para conhecer seu cantinho. Gostei muito de tudo que vi. Parabéns o blog está lindo. Já estou seguindo. Depois passa lá no meu cantinho também, será um prazer, ótima semana pra vc, bjs
    Claudiana
    http://encantosempontocruz-barbie.blogspot.com

    ResponderExcluir

Verbratec© Desktop.