sábado, 11 de julho de 2009

Polícia flagra trabalho escravo e exploração infantil em fazenda no interior de São Paulo


SÃO PAULO - Policiais flagraram trabalho escravo e exploração de mão-de-obra infantil em uma fazenda que produz limão em Cabreúva, a 70 quilômetros da capital paulista. Uma denúncia levou a polícia até a fazenda. Um lavrador estava na propriedade há quatro meses e conta que não recebeu nenhum pagamento. Os responsáveis pela contratação devem responder por exploração de trabalho infantil.
- Às vezes o povo dá um pouco de comida. Tem vez que nós não comemos, não almoçamos e nem jantamos.
Os funcionários contaram para os policiais que havia crianças trabalhando na colheita de limão. O Conselho Tutelar foi chamado e flagrou seis menores trabalhando no local. Um deles, um menino de 12 anos.
- Não tem luvas nem tinha equipamento, nem água. Eu ganho R$ 2 reais - diz o menino.
Uma adolescente conta que os patrões pediram para todos fugirem assim que ficaram sabendo que a polícia ia chegar.
- Nós dissemos que não fugiríamos - afirmou.
Mesmo assim, segundo a Conselheira Tutelar, Renata Cintra, cerca de 30 menores foram retirados às pressas da propriedade.
O ônibus que leva os trabalhadores também estava em Adicionar imagemsituação precária. O advogado da fazenda, Alceu Jorge Vieira, afirmou que não sabia que crianças trabalhavam na colheita.
- O que nós estamos sabendo é que havia alguns menores acompanhando os seus pais - disse.
Oito pessoas foram trazidas para a delegacia para prestar depoimento.



O Globo On Line

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário